Infância em tempos de pandemia

cadê o currículo e as práticas pedagógicas?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/lc.v26.2020.34110

Palavras-chave:

Infância, Pandemia, Educação Infantil, Currículo, Práticas Pedagógicas

Resumo

A Covid-19 impactou quotidianos familiares, econômico-laborais, socioculturais, incluindo a infância. Focadas no período de confinamento e em dois estudos qualitativos no Brasil e em Portugal, analisamos: i) medidas e recomendações oficiais da COVID-19 para a educação infantil (pesquisa documental); ii) como o currículo e as práticas pedagógicas foram reconfigurados por educadoras brasileiras (entrevistas) e educadoras portuguesas (publicações no Facebook). Não generalizando ou comparando realidades sociopolíticas, educativas e profissionais diferentes, reflete-se sobre o valor da educação infantil no bem-estar infantil e discute-se as (im)possibilidades de desenvolver o currículo e as práticas pedagógicas a distância e na impessoalidade tecnológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula Braz Maletta, Universidade do Estado de Minas Gerais, Brasil

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2017). Investigadora do COED ”“ Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Conhecimento e Educação e do NEPEL- Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação e Linguagem. E-mail: ana.maletta@uemg.br

Maria Manuela Martinho Ferreira, Universidade do Porto, Portugal

Doutora em Educação pela Universidade do Porto (2002). Investigadora do CIIE ”“ Centro de Investigação e Intervenção Educativas. E-mail: manuela@fpce.up.pt

Catarina Almeida Tomás, Instituto Politécnico de Lisboa e CICS.NOVA. FCSH.NOVA, Portugal

Doutora em Estudos da Criança (Sociologia da Infância) pela Universidade do Minho (2007). Investigadora do CICS.NOVA - Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais da Universidade Nova de Lisboa. E-mail: ctomas@eselx.ipl.pt

Referências

Barbosa, M. C., Delgado, A. C. C., & Tomás, C. (2016). Estudos da infância, estudos da criança: quais campos? Quais teorias? Quais questões? Quais métodos? InterAção, 41(1), 103-122. https://doi.org/10.5216/ia.v41i1.36055

Belo Horizonte. (2003). Lei nº 8.679, de 19 de novembro de 2003 (Institui o Plano de Carreira dos Servidores da Área de Atividades de Administração Geral da Prefeitura de Belo Horizonte, estabelece a respectiva Tabela de Vencimentos e dá outras providências). http://portal6.pbh.gov.br/dom/iniciaEdicao.do?method=DetalheArtigo&pk=914281

Bernstein, B. (1996). A Estruturação do discurso pedagógico: classe, códigos e controle. Vozes.

Bhutta, C. (2012). Not by the Book: Facebook as a Sampling Frame. Sociological Methods & Research, 41(1) 57–88. https://doi.org/10.1177/0049124112440795

Brasil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Senado. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm

Brasil. (1996). Lei nº. 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Presidência da República). Casa Civil. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm

Brasil. (2009). Resolução nº 5, de 17 de dezembro de 2009 (Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil). Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. http://www.seduc.ro.gov.br/portal/legislacao/RESCNE005_2009.pdf

Brasil. (2010). Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=9769-diretrizescurriculares-2012&category_slug=janeiro-2012-pdf&Itemid=30192

Brasil. (2018). Base Nacional Comum Curricular – BNCC. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf

Brasil. (2020). Parecer nº. 5/2020 (Reorganização do Calendário Escolar e da possibilidade de cômputo de atividades não presenciais para fins de cumprimento da carga horária mínima anual, em razão da Pandemia da COVID-19. Ministério da Educação). Conselho Nacional de Educação. http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=145011-pcp005-20&category_slug=marco-2020-pdf&Itemid=30192

Convenção dos Direitos da Criança (CDC). (1989, novembro 20). Resolução 44/25 de 20 Novembro 1989. Assembleia Geral das Nações Unidas. https://www.ohchr.org/Documents/ProfessionalInterest/crc.pdf

Ferraço, C. E. (2017). Práticas-políticas curriculares cotidianas como possibilidades de resistência aos clichês e à Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Linhas Críticas, 23(52). https://doi.org/10.26512/lc.v23i52.19419

Ferreira, M. (2004). 'A gente gosta é de brincar com os outros meninos!': Relações sociais entre crianças num jardim de infância. Edições Afrontamento.

James, A., & Prout, A. (1990). Constructing and reconstructing childhood: New directions in the sociological study of childhood. Falmer.

Maletta, A. P. B. (2017). Currículo pensado para, por, entre e com as crianças: aproximações e distanciamentos entre o contexto brasileiro e o português. [Tese de Doutorado, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais]. Plataforma Sucupira. https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=5023274

Moss, P. (2018). Alternative Narratives in Early Childhood. Routledge.

Nowak-Lojewska, A., O’Toole, L., Regan, C., & Ferreira, M. (2019). “To learn with” in the view of the holistic, relational and inclusive education. The Pedagogical Quarterly, 64(1), 151-162. http://doi.org/10.5604/01.3001.0013.1856

Pacheco, J., Eggertsdóttir, R., & Marinósson, G. L. (2007). Caminhos para a inclusão: um guia para o aprimoramento da equipe escolar. Artmed. https://www.urantiagaia.org/educacional/ponte/caminhos_para_inclusao.pdf

Portugal. (1986). Lei n° 46/86 (Lei de Bases do Sistema Educativo). https://dre.pt/pesquisa/-/search/222418/details/normal

Portugal. (1997). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Ministério da Educação. Direção-Geral da Educação.

Portugal. (2016). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Ministério da Educação. Direção-Geral da Educação. https://www.dge.mec.pt/ocepe/sites/default/files/Orientacoes_Curriculares.pdf

Portugal. (2020a). Decreto do Presidente da República n.º 14 – A/2020. https://dre.pt/home/-/dre/130399862/details/maximized

Portugal. (2020b). Decreto-Lei n.º 10 – A/2020, de 13 de março. https://dre.pt/home/-/dre/130243053/details/maximized

Portugal. (2020c). Decreto Lei n.º 2-A/2020. https://dre.pt/home/-/dre/130473161/details/maximized

Portugal. (2020d, março 16). Perto ou longe, a Educação é um direito! Direção-Geral da Educação. https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/informacoes_escolas/espaco_online_apoio_escolas_covid19.pdf

Portugal. (2020e, 16 março). Apoio às escolas. Direção-Geral da Educação. https://apoioescolas.dge.mec.pt

Sacristán, J. G. (2000). Currículo: uma reflexão sobre a prática. Artmed.

Santos, B. S. (2020). A cruel pedagógica do vírus. Almedina. http://www.abennacional.org.br/site/wp-content/uploads/2020/04/Livro_Boaventura.pdf

Tomás, C. (2014). As culturas da infância na educação de infância: um olhar a partir dos direitos da criança. Interacções, 10(32), 129-144. https://doi.org/10.25755/int.6352

Downloads

Publicado

16.12.2020

Como Citar

Braz Maletta, A. P., Martinho Ferreira, M. M., & Almeida Tomás, C. (2020). Infância em tempos de pandemia: cadê o currículo e as práticas pedagógicas?. Linhas Crí­ticas, 26, e34110. https://doi.org/10.26512/lc.v26.2020.34110

Edição

Seção

Dossiê: Tempo de pausa ou de crise?

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.