Navegar é preciso: análise da instrução gramatical em um curso de inglês online

  • Evania Alves Netto Casa Thomas Jefferson
  • Joara Martin Bergsleithner UnB
Palavras-chave: instrução gramatical, curso de inglês online, design pedagógico

Resumo

Este estudo tem como objetivo analisar um curso online de gramática de inglês como língua estrangeira (LE) a fim de investigar como é feita a instrução gramatical e como é elaborado o design pedagógico dos exercícios com as estruturas gramaticais (Netto, 2012). O estudo investigou um curso online de gramática em inglês com as seguintes perguntas de pesquisa: (a) Que foco é dado na apresentação do tópico gramatical: foco na forma, foco nas formas ou foco no significado? e (b) Que tipos de instrução são apresentados nas atividades? Os resultados mostraram que o curso analisado ministra a gramática de maneira tradicional, sem contextualização e com foco primordialmente nas formaS (Long, 1991). Os resultados também fornecem algumas contribuições na reelaboração do design do curso a partir da base originalmente criada, de modo que o curso possa espelhar melhor as pesquisas na área do ensino de línguas na modalidade online e que a instrução pudesse ser centrada na forma-ICF (Ellis, 2001). Por fim, são mostradas algumas limitações do estudo, sugestões para futuras pesquisas, assim como são sugeridas algumas implicações pedagógicas para serem trabalhadas em aulas de línguas mediadas por computador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, V.P. Conhecendo as regras do jogo: a competência comunicativa e os manuais didáticos de ensino de inglês como língua estrangeira. 2011. 263f. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade de Brasília, Brasília, 2011.

BEHAR, P. A. Modelos pedagógicos em educação a distância. In: Modelos pedagógicos em educação a distância. Porto Alegre: Artmed, 2009. p. 15-32.

BELL, B.; MEYER, R. Distributed learning by distributed doing. Edmedia, 1997. Disponível em: <http://www.tc.columbia.edu/~academic/cite/papers/distlrn.htm>. Acesso em: 10 dez. 2011.

BROWN, H. D. Teaching by principles: an interactive approach to language pedagogy. 3. ed. Englewood Cliffs, NJ: Prentice Hall Regents, 1994.

______. Principles of language learning and teaching. 5. ed.. White Plains, NY: Pearson Education, 2007.

BRIULLOV, K. O último dia de Pompéia. 1827. Pintura a óleo.

DECOO, W. The induction-deduction opposition: ambiguities and complexities of the didactic reality. International Review of Applied Linguistics, v. 34 n. 2, p. 95-118, 1996.

DEKEYSER, R.M. Learning second language grammar rules: An experiment with a miniature linguistic system. Studies in Second Language Acquisition, Cambridge, UK, v. 17, p. 379-410, 1995.

DOUGHTY C.; WILLIAMS, J. Focus on form in classroom second language acquisition. Cambridge, United Kingdom: Cambridge University Press, 1998.

ELLIS, R. The study of second language acquisition. 3. ed. Oxford, UK: Oxford University Press, 1994.

_____. Investigating form-focused instruction. Language Learning, Michigan, v. 51, p.1–46, 2001.

______. Task-based language learning. Oxford, UK: Oxford University Press, 2003.

HORTON, W. E-learning by design. San Francisco, CA: Pfeiffer, 2006.

JOHNSON, K.; JOHNSON, H. Encyclopedic dictionary of Applied Linguistics. Oxford, England. Blackwell Publishers, 1998.

LEFFA, V. J. A aprendizagem de línguas mediada por computador. In: _____. (Org.). Pesquisa em Linguística Aplicada: temas e métodos. Pelotas: Educat, 2006, p. 11-36.

LEOW, R. P. Explicit learning in the L2 classroom: a student-centered approach. Estados Unidos, Editora Routledge, 2015.

LONG, M. H. Does second language instruction make a difference? A review of research. TESOL Quarterly, v. 17, n. 3, p. 359-382, 1983.

______. Focus on form: a design feature in language teaching methodology. In: BOT, K. de; GINSBERG G.; KRAMSCH, C. (Orgs.). Foreign language research in cross-cultural perspective. Amsterdã: John Benjamins, 1991, p. 39-52.

LONG M; ROBINSON P. Theory, research, and practice. In: DOUGHTY C.; WILLIAMS, J. Focus on form in classroom second language acquisition. Cambridge, United Kingdom: Cambridge University Press, 1998, p. 15-41.

NETTO, E. Gramática para já ou para levar? Desempenho, v. 12, p. 6-45, 2011.

_______. Navegar é preciso: análise de um curso de inglês online com foco na instrução e no design pedagógico. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Instituto de Letras, Universidade de Brasília, Brasília, 2012.

NORRIS, J.; ORTEGA, L. Effectiveness of L2 instruction: a research synthesis and quantitative meta-analysis. Language Learning, v. 50, n. 3, p. 417-528, September 2000.

PAIVA, V.M. Ambientes virtuais de aprendizagem: Implicações epistemológicas. Educação em Revista. Belo Horizonte, v. 26 n. 3, p.353-370, 2010.

SANTOS, G. ; BERGSLEITHNER, J. M. . Tecnologias?: computador e internet no ensino/aprendizagem de língua inglesa no Brasil. Interdisciplinar: Revista de Estudos em Língua e Literatura, v. 12, p. 105-116, 2010.

SIEMENS, G. A learning theory for the digital age. Instructional Technology and Distance Education, v. 2, n. 1, p. 3-10, 2005. Disponível em: <http://www.elearnspace.org/Articles/connectivism.htm>. Acesso em: 01 jun. 2012.

______. Sala de aula interativa. XXIV Congresso Brasileiro da Comunicação. Campo Grande, MS, 2001. Anais... Disponível em: <http://galaxy.intercom.org.br:8180/dspace/bitstream/1904/4727/1/NP8SILVA3.pdf>. Acesso em: 10 jun. 2011.

SILVEIRA, J. A Imagem: Interpretação e comunicação. Revista Linguagem em (Dis)curso, v. 5, número especial, 2005. Disponível em http://www3.unisul.br/paginas/ensino/pos/linguagem/0503/05.htm. Acesso em: 10 mar. 2012.

SIMS, R. Interactivity: a forgotten art? Computers in Human Behavior, v. 13, n. 2, p. 157-180, May 1997. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0747563297000046. Acesso em: 26 fev. 2012. https://doi.org/10.1016/S0747-5632(97)00004-6.

SPADA, N. Form focused instruction and second language acquisition: A review of classroom and laboratory research. Language Teaching, v. 30, n. 2, p. 73-87, 1997.

______.The interaction between types of content and type of instruction: some effects on the L2 proficiency of adult learners. Studies in Second Language Acquisition, v. 8, p. 181-99, 1986.

TORREZAN, C. Design pedagógico: um olhar na construção de materiais educacionais digitais. 2009. 197 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul, 2009.

TORREZAN, C.; BEHAR, P. A. Parâmetros para a construção de materiais digitais do ponto de vista do design pedagógico. In: BEHAR, P. A. (Org.). Modelos pedagógicos em educação a distância. Porto Alegre: Artmed, 2009. p. 33-65.

WEISSHEIMER, J.; BERGSLEITHNER, J. M. ; LEANDRO, D. C. Escrita colaborativa com Google Docs na aprendizagem de inglês como língua adicional. In: ABRAPUI, 2012, Florianópolis. Language and Literature in the Age of Technology, 2012. Anais…

Publicado
2018-12-27
Como Citar
NettoE. A., & BergsleithnerJ. M. (2018). Navegar é preciso: análise da instrução gramatical em um curso de inglês online. Revista Horizontes De Linguistica Aplicada, 17(2). https://doi.org/10.26512/rhla.v18i2.24748
Seção
Artigos