Influência de aspectos prosódicos na compreensão da linguagem oral e da leitura

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/lc.v22i47.4811

Palavras-chave:

Entonação, Compreensão da linguagem oral, Compreensão da leitura

Resumo

Este estudo objetivou investigar a influência de aspectos prosódicos na compreensão da linguagem oral e a relação entre esta compreensão e a compreensão da leitura. Participaram 79 alunos de 7 a 11 anos, sendo 39 do 3º ano e 40 do 5º ano do ensino fundamental. As provas aplicadas mostraram que, na compreensão da escuta, as crianças mais novas e com menor nível de escolaridade foram mais dependentes dos aspectos prosódicos. Os alunos mais velhos e com maior escolaridade apresentaram melhor desempenho na compreensão leitora (Cloze). Confirmou-se uma relação entre a compreensão oral e a compreensão da leitura entre os alunos dos anos iniciais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adolfo Antonio Hickmann, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e atua na linha de pesquisa Cognição, Aprendizagem e Desenvolvimento Humano. E-mail: hickmannadolfo@gmail.com

Marini dos Santos Fussek, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Paraná (UFPR). E-mail: fonomarini@hotmail.com

Sandra Regina Kirchner Guimarães, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Doutora em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela Universidade de São Paulo (USP). Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Líder do Grupo de Pesquisa Cognição, Aprendizagem e Desenvolvimento Humano. E-mail: srkguimaraes@uol.com.br

Referências

ALVES, Luciana Mendonça. A prosódia na leitura da criança disléxica. 2007. Tese (Doutorado em Letras) ”“ Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007.

ALVES, Luciana Mendonça et al. Aspectos temporais e entonativos na leitura e compreensão de crianças com transtorno de aprendizagem. Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, São Paulo, v. 11, n. 3, p. 151-157, 2006.

ARCAND, Marie-Soleil et al. Segmenting texts into meaningful word groups: beginning readers’ prosody and comprehension. Scientific Studies of Reading, Montreal, v. 18, n. 3, p. 208-223, 2014.

ARCHANJO, Renata Valadão Leite. Diferenças nas abordagens de ensino afetam a leitura e compreensão de textos narrativos? 1998. Dissertação (Mestrado em Psicologia Cognitiva) ”“ Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 1998.

BELLIS, Teri James. Assessment and management of central auditory processing disorders in the educational setting. California: Thomson Delmar Learning, 2003.

BOERSMA, Paul; WEENINK, David. PRAAT: doing phonetics by computer. Amsterdam: Praat, 2014. Disponível em: <http://www.fon.hum.uva.nl/praat/>. Acesso em: 28 jan. 2015

BREZNITZ, Zvia. Fluency in reading: synchronization of processes. Mahwah: Lowrence Elbaum Associates, 2006.

CAGLIARI, Luiz Carlos. Prosódia: algumas funções dos supra-segmentos. Caderno de Estudos Linguísticos, Campinas, v. 23, p. 137-151, 1992.

______. Alfabetização e linguística. São Paulo: Scipione, 1995.

______. A estrutura prosódica do romance A Moreninha. Oxford: University of Oxford, 2003.

CUNHA, Vera Lúcia Orlandi; CAPELLINI, Simone Aparecida. Procomle: Protocolo de Avaliação da Compreensão de Leitura. Ribeirão Preto: Book Toy, 2014.

CUTLER, Anne; DAHAN, Delphine; DONSELAAR, Wilma. Prosody in the comprehension of spoken Language: a literature review. Language and Speech, London, v. 40, n. 2, p. 142-201, 1997.

HALLIDAY, Michael Alexander Kirkwood. A course in spoken English: intonation. London: Oxford University Press, 1970.

JOANETTE, Yves; GOULET, Pierre; HANNEQUIN, Didier. Déficits de comunicação verbal por lesão no HD. In: NITRINI, Ricardo (Org.). Neuropsicologia das bases anatômicas à reabilitação. São Paulo: FMUSP, 1996. p. 203-214.

JOLY, Maria Cristina Rodrigues Azevedo; NICOLAU, Adriana Ferreira. Avaliação de compreensão em leitura usando Cloze na 4ª série. Temas Desenvolvimento, v. 14, n. 83-84, p. 14-19, nov. 2005.

KUHN, Melanie R.; SCHWANENFLUGEL, Paula J.; MEISINGER, Elizabeth B. Aligning theory and assessment of reading fluency: automaticity, prosody, and definitions of fluency. Reading Research Quarterly, Cambridge, v. 45, n. 2, p. 230-251, 2010. Disponível em: <http://www.readcube.com/articles/10.1598%2FRRQ.45.2.4?r3_referer=wol&tracking_action=preview_click&show_checkout=1>. Acesso em: 17 abr. 2015.

KUHN, Melanie R.; STAHL, Steven A. Fluency: a review of developmental and remedial practices. Journal of Educational Psychology, v. 95, p. 3-21, 2003.

LADD, Robert D. Intonational phonology. Cambridge: Cambridge University Press, 1996.

MARTINS, Maíra Anelli; CAPELLINI, Simone Aparecida. Fluência e compreensão da leitura em escolares do 3º ao 5º ano do ensino fundamental. Estudos de Psicologia, v. 31, n. 4, p. 499-506, 2014. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-166X2014000400004&script=sci_arttext>. Acesso em: 17 abr. 2015.

MELLO, Daniela. No fundo do mar. Blumenau: Vale das Letras, [s.d.].

NAVAS, Ana Luiza Gomes Pinto; PINTO, Joana Cecilia Baptista Ramalho; DELLISA, Paula Roberta Rocha. Avanços no conhecimento do processamento da fluência em leitura: da palavra ao texto. Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, São Paulo, v. 14, n. 3, p. 553-559, 2009.

PACHECO, Vera. O efeito dos estímulos auditivo e visual na percepção de marcadores prosódicos lexicais e gráficos usados na escrita do português do Brasil. 2006. Tese (Doutorado em Linguística) ”“ Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2006.

REIS, César Augusto da Conceição. Aspectos entoacionais do português. 1984. Dissertação (Mestrado em Letras) ”“ Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1984.

______. A entonação no ato de fala. In: MENDES, Eliana Amarante de Mendonça; OLIVEIRA, Paulo Motta; BENN-IBLER, Veronika (Orgs.). O novo milênio: interfaces linguísticas e literárias. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2001. p. 221-229.

SANTOS, Acácia Aparecida Angeli. O Cloze como técnica de diagnóstico e remediação da compreensão em leitura. Interação em Psicologia, v. 8, p. 217-226, jul.-dez. 2004.

SCHREIBER, Peter A. Understanding prosody’s role in reading acquisition. Theory into Practice, v. 30, n. 3, p. 158-164, 1991. Disponível em: <http://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/00405849109543496#preview>. Acesso em: 17 abr. 2015.

SCHWANENFLUGEL, Paula J. et al. Becoming a fluent reader: reading skill and prosodic features in the oral reading of young readers. Journal of Educational Psychology, v. 96, n. 1, p. 119-129, Mar. 2004. Disponível em: <http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2748352/>. Acesso em: 17 abr. 2015.

SIEGEL, Sidney. Estatística não-paramétrica para ciências do comportamento. São Paulo: McGraw Hill do Brasil, 1975.

Downloads

Publicado

25.10.2016

Como Citar

Hickmann, A. A., dos Santos Fussek, M., & Kirchner Guimarães, S. R. . (2016). Influência de aspectos prosódicos na compreensão da linguagem oral e da leitura. Linhas Crí­ticas, 22(47), 170–188. https://doi.org/10.26512/lc.v22i47.4811

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.