A pedagogia performativa na cultura digital

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/lc.v27.2021.30350

Palavras-chave:

Tecnologia, Pedagogia performativa, Cultura digital

Resumo

A reflexão hermenêutica problematiza a pedagogia da performance como um saber aprendente, processual e realizativo do sujeito, revelado na atitude de atribuir sentido ao mundo digital. Se as tecnologias interferem diretamente na linguagem performativa e em todas as dimensões da atividade humana, porque carregam representações e crenças socioculturais. Então, trata-se de mostrar que a arquitetônica da humanidade é inseparável dos gestos expressivos e técnicos, do relacionamento intersubjetivo e das experiências comunicativas. É preciso experimentar a cultura digital no trabalho performativo do conhecimento com o outro, para enfrentar a realidade hipercomplexa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elaine Conte, Universidade La Salle, Brasil

Doutora em educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2012). Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade La Salle. Membro do grupo de Estudos sobre Filosofia da Educação e Formação de Professores - GEFFOP/CNPq e coordenadora do Núcleo de Estudos sobre Tecnologias na Educação - NETE/CNPq. E-mail: elaine.conte@unilasalle.edu.br

Referências

Adorno, T. W. (1995). Educação e Emancipação. Paz e Terra.

Antunes, J. (2012). Carta dirigida a professores encontrada em concentração nazista. Blog Acervo de Professor. https://acervodeprofessor.blogspot.com/2012/11/carta-dirigida-professores-encontrada.html

Bannell, R. I., Duarte, R., Carvalho, C., Pischetola, M., Marafon, G., & Campos, G. H. B. (2016). Educação no século XXI: cognição, tecnologias e aprendizagens. Vozes.

Benjamin, W. (1991). Walter Benjamin. Ática.

Benjamin, W. (2002). Reflexões sobre a criança, o brinquedo e a educação. Duas Cidades.

Camus, A. (2007). O mito de Sísifo. Record.

Chauí, M. (1996). Convite à filosofia (12. ed.). Ática.

Conte, E. (2012). Aporias da performance na educação. [Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul]. Repositório institucional da UFRGS. https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/40493

Conte, E. (2013). Aporias da performance na educação. Revista Brasileira de Educação, 18 (52), 81-99. https://www.scielo.br/pdf/rbedu/v18n52/06.pdf

Conte, E. (2020). Perspectivas da performance docente à luz das tecnologias digitais. Educação em revista, 36, e62506. https://revistas.ufpr.br/educar/article/view/62506/41205

Conte, E., & Martini, R. M. F. (2015). As Tecnologias na Educação: uma questão somente técnica? Educação & Realidade, 40 (4), 1191-1207. http://doi.org/10.1590/2175-623646599

Dowbor, L. (2013). Tecnologias do Conhecimento - os desafios da educação. Vozes.

Feenberg, A. (2017). Entre a razão e a experiência: ensaios sobre tecnologia e modernidade. MIT Press.

Flick, U. (2009). Introdução à pesquisa qualitativa (3. ed.). Artmed.

Flusser, V. (2008). O universo das imagens técnicas: elogio da superficialidade. Annablume.

Freire, P. (1984). A máquina está a serviço de quem? Revista BITS, 1 (7), 6.

Gadamer, H.-G. (2002a). Verdade e método II: complementos e índice. Vozes.

Gadamer, H.-G. (2002b). Verdade e método (4. ed.). Vozes.

Gonçalves, J. C., & Silva, M. F. G. (2019). (Re)inventar-se professor no olho do furacão. Revista de Educação, Ciência e Cultura, 24 (1), 7-10. http://doi.org/10.18316/recc.v24i1.5628

Habermas, J. (1987). Teoría de la Acción Comunicativa I: Racionalidad de la Acción y Racionalización Social. Taurus.

Habermas, J. (1990). O Discurso Filosófico da Modernidade. Dom Quixote.

Habermas, J. (1994). Técnica e ciência como ideologia. Dom Quixote.

Habermas, J. (2009). Verdade e Justificação: ensaios filosóficos (2. ed.). Edições Loyola.

Habowski, A. C., Conte, E., & Trevisan, A. L. (2019). Por uma cultura reconstrutiva dos sentidos das tecnologias na educação. Educação & Sociedade, 40, e0218349. http://doi.org/10.1590/es0101-73302019218349

Han, B.-C. (2018). Psicopolítica: o neoliberalismo e as novas técnicas de poder. Âyiné.

Heidegger, M. (1994). Conferencias y artículos. Ediciones del Serbal.

Johnson, S. (1997). Cultura da Interface: como o computador transforma nossa maneira de criar e comunicar. Jorge Zahar.

Marcuse, H. (1999). Tecnologia, Guerra e Fascismo. Editora da UNESP.

Marfim, L., & Pesce, L. (2020). Formação inicial do pedagogo para integrar as TDIC Ã s práticas educativas: um estudo de caso. Revista Eletrônica de Educação, 14, e2544006. http://doi.org/10.14244/198271992544

Pineau, E. L. (2010). Nos Cruzamentos entre a Performance e a Pedagogia: uma revisão prospectiva. Educação e Realidade, 35 (2), 89-113. http://doi.org/10.14244/198271992544

Recuero, R. (2012). A conversação em rede: Comunicação mediada pelo computador e redes sociais na Internet. Sulina.

Santaella, L. (2001). Matrizes da linguagem e pensamento sonoro, visual, verbal: aplicações na hipermídia. Iluminuras.

Santaella, L. (2005). Potenciais e desafios da sociedade informacional. Anais do 9º Congresso Mundial de Informação em Saúde e Bibliotecas, Salvador, Bahia, Brasil. http://www.icml9.org/program/public/documents/salvadorsantaella-141204.pdf

Santos, M. E. E. (2015). Educação e Contemporaneidade em Michel Serres. Pro-Posições, 26 (1), 239-257. https://doi.org/10.1590/0103-7307201507615

Sartori, G. (2000). Homo Videns - televisão e pós-pensamento. Terramar.

Schechner, R., Icle, G., & Pereira, M. A. (2010). O que pode a Performance na Educação? Uma entrevista com Richard Schechner. Educação e Realidade, 35 (2), 23-35. https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/13502/7644

Wittgenstein, L. (1968). Tratactus Lógico-Philosophicus. Editora Nacional.

Zumthor, P. (2000). Performance, recepção e leitura. Educ.

Arquivos adicionais

Publicado

19.01.2021

Como Citar

Conte, E. (2021). A pedagogia performativa na cultura digital. Linhas Críticas, 27, 1–19. https://doi.org/10.26512/lc.v27.2021.30350