Educação como estratégia política: orientação dos organismos internacionais

Autores

  • Elisângela Alves da Silva Scaff

DOI:

https://doi.org/10.26512/lc.v7i12.2890

Palavras-chave:

Banco Mundial;, Unesco;, Política educacional

Resumo

O objetivo deste texto é analisar de que maneira os Organismos Internacionais Banco Mundial e Unesco têm desenvolvido as políticas neoliberais de redefinição do público, mais especificamente no que se refere à educação pública nos países em desenvolvimento. Para tanto, elegeu-se como metodologia a análise documental, abrangendo os documentos mais recentes desses organismos e analisando-os à luz de bibliografia selecionada. A análise de tais documentos permite identificar que a prioridade atribuída pelos Organismos Internacionais à  educação deve-se ao fato de que estes a consideram como estratégia política para a redução da pobreza e instrumento para a aquisição de apoio ao desenvolvimento das políticas neoliberais.    

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

30.10.2002

Como Citar

Scaff, E. A. da S. (2002). Educação como estratégia política: orientação dos organismos internacionais. Linhas Crí­ticas, 7(12), 113–130. https://doi.org/10.26512/lc.v7i12.2890

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.