Ocupações secundaristas em Goiânia

formação e experiências políticas das/os jovens

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/lc.v27.2021.36308

Palavras-chave:

Juventude, Educação, Ocupações juvenis, Formação política, Goiânia

Resumo

O artigo debate as ocupações das escolas públicas em Goiânia ocorridas em 2015 e 2016, à luz das experiências formativas e subjetivações dos jovens, como protesto contra a transferência da gestão escolar para “Organizações Sociais”. A análise debruçou-se sobre três indicadores: panorama das ocupações no Estado; formação e socialização política das e dos jovens nas ocupações e os impactos formativos das vivências e experiências de participação. Constatamos que estes jovens tornaram visíveis os caminhos para a defesa da gestão democrática e a proposição de outro modelo de formação humana e de escola, em maior conexão com as lutas coletivas que combatem as exclusões da sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávio Munhoz Sofiati, Universidade Federal de Goiás, Brasil

Doutor em Sociologia pela USP (2009). Professor Associado de Sociologia da Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Ciências Sociais, Programa de Pós-graduação em Sociologia e Programa de Pós-graduação em Antropologia Social. Membro do Observatório Juventudes na Contemporaneidade e do Núcleo de Estudos de Religião “Carlos Rodrigues Brandão”. E-mail: flavio_sofiati@ufg.br

José Elias Domingos Costa Marques, Instituto Federal de Goiás, Brasil

Doutor em Sociologia pela UFG (2016). Professor Efetivo de Sociologia do Instituto Federal de Goiás. Coordenador do Núcleo de Pesquisa em Educação, Cultura e Sociedade (NEPECS IFG - CNPQ). Membro do Observatório Juventudes na Contemporaneidade. E-mail: jose.marques@ifg.edu.br

João Roberto Resende Ferreira, Universidade Estadual de Goiás, Brasil

Doutor em Educação pela UFG (2011). Professor do Curso de Pedagogia da Universidade Estadual de Goiás (UEG-Anápolis), pesquisador dos programas de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Programa Interdisciplinar de Educação, Linguagem e Tecnologias, foi coordenador deste último no período de janeiro de 2018 a janeiro de 2020. E-mail: joaoresendeferreira58@gmail.com

Referências

Almond, G., & Verba, S. (1964). The Civic Culture: political attitudes and Democracy in five nations. American Political Science Review, 58 (3), 676-679. https://doi.org/10.2307/1953147

Amâncio, T. (2018, nov 23). MBL lança braço para formar jovens liberais e disputar centros acadêmicos. Folha de São Paulo. https://www1.folha.uol.com.br/educacao/2018/11/mbl-lanca-braco-para-formar-jovens-liberais-e-disputar-centros-academicos.shtml

Amorim, M. S., & Silveira, S. (2005). Socialização política e capital social: uma análise da participação da juventude no contexto escolar e político. Educação Unisinos, 9(2), 155-163.

Baldino, J. M., & Freitas, F. S. de. (2016). Movimento de ocupação de escolas públicas: jovens estudantes contra a gestão da escola pública por organizações sociais. Revista Educativa, 19 (1), 902-926. http://doi.org/10.18224/educ.v19i3.5457

Baquero, M. (2011). Padrões de constituição da cultura política na América Latina no século XXI. Em M. Baquero. Cultura(s) política(s) e democracia no século XXI na América Latina (pp. 25-45). Editora da URGS.

Brasil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Congresso Nacional do Brasil. Assembleia Nacional Constituinte. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm

Brasil. (2013). Agenda juventude Brasil: pesquisa nacional sobre perfil e opinião dos jovens brasileiros. Secretaria Nacional da Juventude. https://bibliotecadigital.mdh.gov.br/jspui/handle/192/91

Castro, L. R. (2009). Juventude e socialização política: atualizando o debate. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 25 (4), 479-487. http://doi.org/10.1590/S0102-37722009000400003

Corrochano, M. C., & Abramo, L. W. (2016). Juventude, educação e trabalho decente. Linhas Críticas, 22(47), 110-129. https://doi.org/10.26512/lc.v22i47.4789

Cunha, J. B. C. (2019) Educação, juventudes e participação política: os sentidos atribuídos pelos jovens à ocupação de escolas em Goiás entre 2015 e 2016. [Dissertação de mestrado, Pontifícia Universidade Católica de Goiás]. Sistema de Publicação Eletrônica de Teses e Dissertações – TEDE. http://tede2.pucgoias.edu.br:8080/handle/tede/4380

Dayrell, J. (2003). O jovem como sujeito social. Revista Brasileira de Educação, (24), 40-52. http://doi.org/10.1590/S1413-24782003000300004

Dias, M. (2020). As ocupações secundaristas em Goiás: o avanço da violência institucional e o limite da tática de reivindicação. Mimeo.

Fernandes, C. N., & Ferreira, T. da S. (2018). Juventude e atuação política: as ocupações em escolas públicas e novas formas de resistência e convivência nas cidades. Revista PerCursos, 19(40), 86-110. https://doi.org/10.5965/1984724619402018086

Gohn, M. da G. (2011). Movimentos sociais na contemporaneidade. Revista Brasileira de Educação, 16(47), 333-361. https://doi.org/10.1590/S1413-24782011000200005

Goiás. (2015). Despacho n. 596. Governo do Estado de Goiás. https://www.goias.gov.br/servico/86183-governo-divulga-documento-sobre-mudanca-de-gestao-nas-escolas.html

Groppo, L. A., & Silva, R. M. D. da. (2020). Experiência e subjetivação política nas ocupações estudantis do Rio Grande do Sul. Estudos Avançados, 34(99), 409-424. https://doi.org/10.1590/s0103-4014.2020.3499.024

Groppo, L. A., Trevisan, J. R. F., Borges, L. F., Benetti, A. M. (2017). Ocupações no Sul de Minas: autogestão, formação política e diálogo intergeracional. ETD - Educação Temática Digital, 9(1), 141-164. https://doi.org/10.20396/etd.v19i1.8647616

Mello, J. (2017, fevereiro 03). Em Goiás, política militar se aliou a diretores para vigiar estudantes. O jornal de todos os Brasis. https://jornalggn.com.br/direitos-humanos/em-goias-policia-militar-se-aliou-a-diretores-para-vigiar-estudantes/

Ministério Público do Estado de Goiás. (2016). MP pede na Justiça a suspensão do edital de chamamento de OSs para assumir gestão de escolas. Ministério Público do Estado de Goiás. http://www.mpgo.mp.br/portal/noticia/mp-pede-na-justica-a-suspensao-do-edital-de-chamamento-de-oss-para-assumir-gestao-de-escolas#.YFjwhK9KjIV

Morais, L. B. V. (2016). Movimentos sociais contemporâneos: o Tarifa Zero Goiânia. [Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Goiás]. Biblioteca Digital de Teses e Dissertações – BDTD. http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/6690

Neundorf, A., & Smets, K. (2017). Political Socialization and the Making of Citizens. Oxford Handbooks Online, 1-28. https://doi.org/10.1093/oxfordhb/9780199935307.013.98

Oliveira, S. M. de (2015). A melancolia na constituição político-identitária da juventude. [Tese de doutorado, Universidade Federal de Goiás]. Biblioteca Digital de Teses e Dissertações – BDTD. http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/6210

Pinheiro, V., & Guimarães, G. (2018). A educação na sociedade da mercadoria: militarização e terceirização das escolas públicas no estado de Goiás. Revista de Educação e Sociedade, 5(9), 253-268. https://periodicos.ufms.br/index.php/persdia/article/view/4164

Rennó, L. (1998). Teoria da cultura política: vícios e virtudes. BIB, (45), 71-91. https://www.anpocs.com/index.php/bib-pt/bib-45/486-teoria-da-cultura-politica-vicios-e-virtudes/file

Schmidt, J. P. (2000). Juventude e política nos anos 1990: um estudo da socialização política no Brasil. [Tese de doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul]. Repositório Institucional UNISC. http://hdl.handle.net/11624/287

Sposito, M. P. (2014). Ação coletiva, jovens e engajamento militante. Em P. Carrano, & O. Fávero. Narrativas juvenis e espaços públicos: olhares de pesquisa em educação, mídia e ciências sociais. (pp. 97-130). Editora da UFF.

Straiotto, S. (2015, março 15). Edital de chamamento das OSs na educação será divulgado nesta segunda. Diário de Goiás. https://diariodegoias.com.br/edital-de-chamamento-das-os-s-na-educacao-sera-divulgado-nesta-segunda-4/amp/

Zorzi, F. B. (2016). Cidadania desigual: socialização política comparada em escolas públicas e privadas de Porto Alegre/RS. [Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul]. Repositório Digital – LUME. https://lume.ufrgs.br/handle/10183/143113

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

12.04.2021

Como Citar

Munhoz Sofiati, F., Domingos Costa Marques, J. E. ., & Resende Ferreira, J. R. . (2021). Ocupações secundaristas em Goiânia: formação e experiências políticas das/os jovens. Linhas Crí­ticas, 27, 1–20. https://doi.org/10.26512/lc.v27.2021.36308

Edição

Seção

Dossiê: As dimensões educativas da luta