Aula de língua inglesa e responsabilidade social: problematização de atos de corrupção no cotidiano

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/rhla.v22i1.45309

Palavras-chave:

Estágio supervisionado, Aula de língua inglesa, Corrupção, Cidadania

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar os resultados de uma pesquisa que investigou como uma aula de língua inglesa, que visa promover discussões sobre corrupção, pode contribuir para o desenvolvimento da cidadania participativa. Fundamentamo-nos em Menezes de Souza e Monte Mór (2006), por defenderem que o objetivo do ensino de língua estrangeira na escola pública não se restringe à abordagem de aspectos linguísticos, mas está comprometido com a formação de indivíduos criativos e receptivos para novos conhecimentos e possuidores de uma consciência social. Para isso, acreditamos que tal ensino deva estar fundamentado em princípios éticos e orientado por uma perspectiva crítica. Dessa forma, a aula analisada foi planejada com o intuito de promover discussões a respeito da corrupção na sociedade e estimular a reflexão acerca de nossa responsabilidade social enquanto cidadãos. A investigação ocorreu durante o período de regência do estágio supervisionado realizado em uma turma de 3º ano do Ensino Médio de uma escola da rede estadual de ensino da Paraíba, no segundo semestre de 2016. Com a análise, percebemos que as discussões causaram desestabilização nas representações cristalizadas dos alunos sobre os atos de corrupção e de pessoas consideradas desonestas. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Walter Vieira Barros, Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)

Doutorando e Mestre em Linguagem e Ensino pelo Programa de Pós-Gradução em Linguagem e Ensino (PPGLE) da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). Licenciado em Letras - Língua Inglesa pela UFCG.

Edith Estelle Blanche Owono Elono, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Doutoranda e Mestre em Letras pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Licenciada em Letras - Língua Inglesa pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).

Marco Antônio Margarido Costa, Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)

Doutor em Letras pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São
Paulo (FFLCH/USP). Professor da Unidade Acadêmica de Letras da Universidade Federal de
Campina Grande (UFCG).

Referências

ARAÚJO, U. F. Escola, democracia e a construção de personalidades morais. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 26, n. 2, p. 91-107, jul./dez. 2000.

ARAUJO, U. F. A educação e a construção da cidadania: eixos temáticos da ética e da democracia. In: BRASIL. Ética e educação: construindo valores na escola e na sociedade. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2007. p. 11-21.

AZZARI, E. F.; CUSTÓDIO, M. A. Fanfics, google docs... A produção textual colaborativa. In: ROJO, R. (Org.). Escol@ conectada: os multiletramentos e as TICs. São Paulo: Parábola, 2013. p. 73-94.

CERVETTI, G.; PARDALES, M. J.; DAMICO, J. S. A tale of differences: comparing the traditions, perspectives and educational goals of critical reading and critical literacy. Reading Online, v. 4, n. 9, 2001.

FARIA, M. A. O jornal na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2004.

FEREIRA, J. B. D. Ser ético: uma prioridade inconveniente. Revista Homem, Espaço e Tempo, p. 71-84, out. 2010. Disponível em: <http://www.uvanet.br/rhet/artigos_outubro_2010/ser_etico.pdf>. Acesso em: 15 set. 2016.

GIMENEZ, T. A corrupção nossa de cada dia. Folha de Londrina, Londrina, PR, p. 1-1, 11 mar. 2008. Disponível em: <https://www.folhadelondrina.com.br/opiniao/espaco-aberto-634240.html>. Acesso em: 15 set. 2016.

JORDÃO, C. M.; FOGAÇA, F. C. Ensino de inglês, letramento crítico e cidadania: um triângulo amoroso bem-sucedido. Revista Línguas & Letras, v. 8, n. 14, p. 79-105, 2007.

MATTOS, A. M. A. Construindo cidadania nas aulas de inglês: uma proposta para o letramento crítico. In: TAKAKI, N. H.; MACIEL, R. F. (Org.). Letramentos em terra de Paulo Freire. Campinas, SP: Pontes Editores, 2014. p. 171-191.

MATTOS, A. M. A. Ensino de Inglês como língua estrangeira na escola pública: letramentos, globalização e cidadania. Jundiaí, SP: Paco Editorial, 2015.

MENEZES DE SOUZA, L. M. T.; MONTE MÓR, W. Conhecimentos de língua estrangeiras. In: BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Orientações curriculares para o Ensino Médio: Linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: MEC/SEB, 2006. v. 1. p. 85-124.

MONTE MÓR, W. Crítica e letramentos críticos: reflexões preliminares. In: ROCHA, C. H.; MACIEL, R. F. (Org.). Língua estrangeira e formação cidadã: por entre discursos e práticas. Campinas, SP: Pontes Editores, 2013. p. 31-50.

PEQUENO, M. Ética, educação e cidadania. Educação em Direitos Humanos: fundamentos histórico-filosóficos. 2003. Disponível em: <http://www.dhnet.org.br/dados/cursos/edh/redh/01/04_marconi_pequeno_etica_educacao_cidadania.pdf>. Acesso em: 22 ago. 2016.

PEREIRA, A. E.; SILVA, E. L. Educação ética e cidadania: a contribuição da atual instituição escolar. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, SP: UFSCar, v. 2, n. 1, p. 26-32, jun. 2008.

Downloads

Publicado

2023-06-02

Como Citar

Barros, W. V., Elono, E. E. B. O., & Costa, M. A. M. (2023). Aula de língua inglesa e responsabilidade social: problematização de atos de corrupção no cotidiano. Revista Horizontes De Linguistica Aplicada, 22(1), AG1. https://doi.org/10.26512/rhla.v22i1.45309

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.