Inclusão no ensino superior

possibilidades docentes a partir da Teoria Histórico-Cultural

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/lc.v27.2021.35389

Palavras-chave:

Educação, Ensino superior, Inclusão educacional, Professores, Teoria Histórico-Cultural

Resumo

Diante do cenário educacional contemporâneo no Brasil, este artigo, de cunho teórico reflexivo, tem por objetivo problematizar as diferentes esferas de exclusão no ensino superior, enfatizando as possibilidades de (transform)ação docente nesse contexto. Fundamentado na Teoria Histórico-Cultural, o artigo discute as especificidades dos processos de inclusão e exclusão que se estabelecem no ensino superior e tece reflexões sobre o trabalho docente, com vistas à consolidação de ambientes educacionais efetivamente inclusivos nos quais se possa reconhecer, valorizar e promover a presença, a participação e a aprendizagem de cada estudante.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paula Maria Ferreira de Faria, Universidade Federal do Paraná, Brasil

Mestre em Educação pela Universidade Federal do Paraná (2018). Psicóloga (Universidade Tuiuti do Paraná, 2003) e pedagoga (Centro Universitário Claretiano, 2018). E-mail: paula.pmff@gmail.com

Ana Carolina Lopes Venâncio, Universidade Federal do Paraná, Brasil

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Paraná (2017). Professora do Programa de Escolarização Hospitalar e Pedagoga especializada na área de avaliação da Rede Municipal de Curitiba. Desenvolve pesquisas nas áreas de Literatura, Escolarização Hospitalar e Inclusão Educacional. Membro do GP Direitos Humanos (CNPq/FAE). E-mail: anavenancio2704@gmail.com

Juliana Corrêa Schwarz, Universidade Federal do Paraná, Brasil

Mestre em Educação pela Universidade Federal do Paraná (2020). Docente na UniOpet. E-mail: julischwarz13@gmail.com

Denise de Camargo, Universidade Federal do Paraná e Universidade Tuiuti do Paraná, Brasil

Doutora em Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1997). Professora Sênior do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Paraná. Professora Titular no Mestrado em Psicologia da Universidade Tuiuti do Paraná. E-mail: denicamargo@gmail.com

Referências

American Psychiatric Association (APA). (2015). Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-5 (5. Ed.). Artmed.

Bannell, R. I., Duarte, R., Carvalho, C., Pischetola, M., Marafon, G., & Campos, G. H. B. de. (2016). Educação no século XXI: cognição, tecnologias e aprendizagens. Vozes.

Brasil. (2015). Lei n.º 13.146, de 6 de julho de 2015 (Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência). Presidência da República. Casa Civil. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm

Brasil. (2020). LDB: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Presidência da República. Casa Civil. https://www2.senado.leg.br/bdsf/handle/id/572694

Faria, P. M. F. de, & Camargo, D. de. (2018). Vigotski e as implicações da teoria histórico-cultural no contexto escolar. Em D. de Camargo, & P. M. F. de Faria (Orgs.). Vigotski e a inclusão: contribuições ao contexto educacional (pp. 11-26). Travessa dos Editores.

Faria, P. M. F. de, & Camargo, D. de. (2020). Emoção, saúde e docência no Ensino superior: reflexões sob a perspectiva histórico-cultural. Em P. M. F. de Faria, D. de Camargo, & A. C. L. Venâncio (Orgs). Vigotski no Ensino superior: concepção e práticas de inclusão (pp. 61-79). Editora Fi. https://www.editorafi.org/731vigotski

Faria, P. M. F. de, Venâncio, A. C. L., & Camargo, D. de. (2020). O ensino superior sob a perspectiva histórico-cultural: repensando as contribuições de Vigotski. Em P. M. F. de Faria, D. de Camargo, & A. C. L. Venâncio (Orgs.). Vigotski no Ensino superior: concepção e práticas de inclusão (pp. 221-232). Editora Fi. https://www.editorafi.org/731vigotski

Fofonca, E., Brito, G. da S., Estevam, M., & Cmas, N. P. V. (Orgs.) (2018). Metodologias pedagógicas inovadoras: contextos da educação básica e da educação superior (Vol. 1). Editora IFPR.

Meira, M. E. M. (2007). Psicologia Histórico-Cultural: fundamentos, pressupostos e articulações com a Psicologia da Educação. Em M. E. M. Meira, & M. G. D. Facci (Orgs.). Psicologia Histórico-Cultural: contribuições para o encontro entre a subjetividade e a educação (pp. 27-62). Casa do Psicólogo.

Orrú, S. E., & Nápoles, R. A. L. (2017). Educação inclusiva no ensino superior: desafios para o século XXI. Em S. E. Orrú (Org.). Por uma escola inovadora e inclusiva: desafios à educação do século XXI (cap. 6). Librum.

Roldão, F. D., Cicarello Júnior, I. C., Schwarz, J. C., & Camargo, D. de. (2020). Reflexões sobre o trabalho do professor universitário: um olhar a partir da teoria de Vigotski. Em P. M. F. de Faria, D. de Camargo, & A. C. L. Venâncio (Orgs.). Vigotski no Ensino superior: concepção e práticas de inclusão (pp. 41-60). Editora Fi. https://www.editorafi.org/731vigotski

Schwarz, J. C. (2020). Estudantes com baixo desempenho acadêmico: proposta de Intervenção a partir da psicologia histórico-cultural [Dissertação de mestrado não publicada]. Universidade Federal do Paraná.

Schwarz, J. C., & Camargo, D. de. (2019). Teoria da Atividade Reflexiva: contribuições teóricas e práticas derivadas da Zona de Desenvolvimento Proximal de Vigotski. Em M. S. de L. Dias (Org.). Introdução à s leituras de Lev Vygotski: debates e atualidades na pesquisa (pp. 67-82). Editora Fi. https://www.editorafi.org/645vygotski

Schwarz, J. C., Cicarello Júnior, I. C., Camargo, D. de, & Faria, P. M. F. de. (2020). Ensino superior: cognição e o afeto do aluno em tempos digitais. Educação em Foco, 23(40), 8-26. https://doi.org/10.24934/eef.v23i40.4245

Severo, L. R. de, Carreiro, G. da N., Morais, M. S. de, Paiva, C. de L. C., & Duré, R. C. (2020). “Ser estudante” no ensino superior: aspectos valorativos da experiência na perspectiva discente”. Linhas Críticas, 26, 1-21. https://www.periodicos.unb.br/index.php/linhascriticas/article/view/32512/27483

Souza, L., Ferreira, E. L., & Cavalcanti, A. C. (2019). A monitoria como estratégia de ensino-aprendizagem em disciplina do curso de graduação em saúde coletiva. Seminário De Projetos de Ensino, 3(1), 1-5. https://periodicos.unifesspa.edu.br/index.php/spe/article/view/444/85

Tannús-Valadão, G., & Mendes, E. G. (2018). Inclusão escolar e o planejamento educacional individualizado: estudo comparativo sobre práticas de planejamento em diferentes países. Revista Brasileira de Educação, 23, e230076. https://doi.org/10.1590/s1413-24782018230076

Vigotski, L. S. (1997). Obras escogidas V: fundamentos de defectología. Visor.

Vigotski, L. S. (2004). Psicologia pedagógica (2. ed. Bezerra, P., Trad.). Martins Fontes.

Vigotski, L. S. (2017). A formação social da mente (7. ed., 9. reimp. J. Cipolla Neto, J., L. S. M. Barreto, & S. C. Afeche, Trads.). Martins Fontes.

Zaretsky, V. K. (2010). The Zone of Proximal Development: what Vygotsky Did not have time to write. Journal of Russian and East European Psychology, 47(6), 70-93. https://doi.org/10.2753/RPO1061-0405470604

Zaretsky, V. K. (2016). Vygotsky’s Principle “one step in learning - one hundred steps in development”: from idea to practice. Cultural-Historical Psychology, 12(3), 149-188. https://doi.org/10.17759/chp.2016120309

Zerbato, A. P., & Mendes, E. G. (2018). Desenho universal para a aprendizagem como estratégia de inclusão escolar. Educação Unisinos, 22(2), 147-155. https://doi.org/10.4013/edu.2018.222.14125

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

18.02.2021

Como Citar

Ferreira de Faria, P. M., Lopes Venâncio, A. C., Corrêa Schwarz, J., & de Camargo, D. (2021). Inclusão no ensino superior: possibilidades docentes a partir da Teoria Histórico-Cultural. Linhas Críticas, 27, 1–19. https://doi.org/10.26512/lc.v27.2021.35389