As paixões aristotélicas na caracterização de dois universos: a língua inglesa na escola de idiomas e na escola de ensino regular

Autores

  • Maria Flávia Figueiredo Universidade de Franca (UNIFRAN)
  • Sinelle Duarte Universidade de Franca

DOI:

https://doi.org/10.26512/rhla.v12i2.1315

Palavras-chave:

Linguística Aplicada;, Linguística;, Educação

Resumo

Aristóteles, instigado pelo entendimento das reações humanas diante dos diferentes discursos, advoga que as paixões são sentimentos que alteram as pessoas de tal modo que as fazem modificar seus julgamentos. Paixões são suscitadas em toda interação comunicativa, inclusive no processo ensino-aprendizagem. Sendo assim, este estudo pretende analisar as paixões despertadas em aprendizes da língua inglesa oriundos de duas realidades de ensino: a escola de ensino regular pública e a escola de idiomas, de caráter privado. Procedemos, inicialmente, a um estudo de campo para a coleta de dados. Com base nela selecionamos as amostras a serem analisadas com vistas ao confronto dos dois grupos de participantes selecionados. Tomando como instrumento de pesquisa a redação escolar, o corpus da pesquisa constituiu-se de dez redações elaboradas pelos aprendizes do idioma acerca do tema “O inglês na minha vida”. Esses textos foram analisados à luz da teoria das paixões proposta por Aristóteles. A investigação se deu por meio de uma análise qualitativa dos dados. Os resultados da pesquisa confirmaram nossa hipótese de que as situações de ensino-aprendizagem distintas também suscitam paixões variadas em seus aprendizes e nos permitiu uma reflexão sobre as estratégias metodológicas de abordagem do conteúdo e a inserção do aprendiz na língua alvo em diferentes realidades de aprendizado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Maria Flávia Figueiredo, Universidade de Franca (UNIFRAN)

Doutora em Linguística pela Unesp, com Especialização em Línguas Estrangeiras pela Universidade de Nova York (State University of New York Albany), formação em Psicanálise pela APVP (Associação Psicanalítica do Vale do Paraíba) e Graduação em Letras pela UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas). Por dez anos, atuou como Coordenadora dos Cursos de Graduação em Letras e Tradutor e Intérprete e das Especializações em Língua Portuguesa e Língua Inglesa na Universidade de Franca. Atualmente, é Vice-Coordenadora do Programa de Mestrado em Linguística, além de atuar como professora do curso de Letras e Docente Permanente do Mestrado nessa mesma universidade.

Sinelle Duarte, Universidade de Franca

Mestra em Liinguística pela Universidade de Franca - UNIFRAN. Especialização em Língua Inglesa (2009) e Graduação em Letras com habilitações em Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Língua Espanhola e respectivas literaturas, também pela Universidade de Franca - UNIFRAN. Atualmente é professora de Língua Inglesa e Língua Espanhola e tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Portuguesa e Língua Inglesa.

Referências

ARAGÃO, RodrigoC.A dimensão afetiva na instrução formal. In: MAGALHÃES, José ; TRAVAGLIA, Luis Carlos. (Org.). Múltiplas perspectivas em lingüística. Uberlândia: Edufu, 2008.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. Tradução de António de Castro Caeiro. São Paulo: Atlas, 2009.

______. Retórica. Tradução de Marcelo Silvano Madeira. São Paulo: Rideel, 2007 (Coleção Biblioteca Clássica).

______. Retórica das paixões. Prefácio de Michel Meyer.Introdução, notas e tradução do grego: Isis Borges B. da Fonseca. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

CORACINI, MariaJ. A celebração do outro. Campinas: Mercado de Letras, 2007.

DUARTE, Stênio F. P.; SOARES, FabyanoG.; RODRIGUES, AdrianaL. Guia para composição de projeto de pesquisa. 2011. Disponível em: http://ebookbrowse.com/fainor-guia-para-composição-de-projeto-de-pesquisa-pdf-d87486744>. Acesso em: 10/11/2012.

HOUAISS, Dicionário eletrônico. CD (2001).

HUME, David. Tratado da natureza humana. Tradução de Serafim da Silva Fontes. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2001.

LAPLANCHE, Jean;PONTALIS, Jean-Bertrand. Vocabulário da psicanálise.Tradução de Pedro Tamen.4. ed.São Paulo: Martins Fontes, 2001.

LIGHTBOWN, Patsy M.; SPADA, Nina. Howlanguages are learned. New York: Oxford University Press, 2006.

MASTRELLA-DE-ANDRADE, MarianaR.(Org.). Afetividade e emoções no ensino/aprendizagem de línguas: múltiplos olhares. Campinas: Pontes Editores, 2011.

MATURANA, Humberto. Emoções e linguagem na educação e na política. Tradução de José Fernando Campos Fortes. Belo Horizonte: UFMG, 1998.

MEYER, Michel. A retórica. Tradução de Marly N. Peres. São Paulo: Ática, 2007.

ZIMERMAN, DavidE. Vocabulário contemporâneo de psicanálise. Porto Alegre: Artmed, 2001.

Downloads

Publicado

2014-12-18

Como Citar

Figueiredo, M. F., & Duarte, S. (2014). As paixões aristotélicas na caracterização de dois universos: a língua inglesa na escola de idiomas e na escola de ensino regular. Revista Horizontes De Linguistica Aplicada, 12(2). https://doi.org/10.26512/rhla.v12i2.1315

Edição

Seção

Artigos