As fichas de cultura do Sistema de Alfabetização Paulo Freire: um “Ovo de Colombo”

  • Osmar Fávero Universidade Federal Fluminense - UFF
Palavras-chave: Cultura;, Cultura popular;, Alfabetização;, Freire, Paulo;, Fichas de cultura

Resumo

O artigo retoma, inicialmente, as elaborações teóricas sobre cultura e cultura popular que fundamentaram a criação dos centros e movimentos de cultura e educação popular no Brasil nos anos de 1960. Apresenta, a seguir, o conceito antropológico de cultura assumido por Paulo Freire no Sistema de Alfabetização de Adultos, cuja primeira experiência foi realizada em Angicos, no Estado do Rio Grande do Norte, em 1963. Analisa o caráter inovador das fichas de cultura, motivadoras do processo de alfabetização. Reproduz e comenta as imagens artísticas dessas fichas, imagens feitas por Francisco Brennand para o Programa Nacional de Alfabetização, que seria implantado em todo o país, mas que foi bruscamente interrompido pelo golpe militar de 31 de março de 1964.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Osmar Fávero, Universidade Federal Fluminense - UFF

Osmar Favero possui graduação em Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, mestrado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e doutorado em Filosofia da Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Atualmente é professor aposentado da Universidade Federal Fluminense, atuando como colaborador permanente no Programa de Pós-Graduação em Educação da mesma Universidade. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em política educacional, atuando principalmente nos seguintes temas: pós-graduação em educação, educação de jovens e adultos e educação popular.

Seção
Dossiê: Educando com Paulo Freire