Alfabetização científica e a construção de concepções na contexto de formação de professores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/lc.v25.2019.21588

Palavras-chave:

Alfabetização Científica, Formação de Professores, Formação continuada, Ensino de Ciências

Resumo

O presente artigo investiga as concepções sobre Alfabetização Científica (AC) de professores de Ciências de 6º ao 9º ano da rede pública de um município do interior paulista em um contexto de formação continuada. Os dados foram coletados através de um questionário com perguntas abertas sobre a atividade da formação, as concepções dos professores antes e depois dessas atividades. Como resultados, alguns professores apresentaram mudanças de suas concepções sobre Alfabetização Científica no que diz respeito à necessidade de métodos científicos, nos permitindo apontar a necessidade de continuidade de pesquisas que contemplem esse tipo de abordagem bem como as formações continuadas de professores

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia da Silva Sessa, Universidade Federal do ABC

Professora adjunta da Universidade Federal do ABC. Doutora pela Faculdade de educação na USP. Pesquisadora no programa de Mestrado em Ensino e História das Ciências e da Matemática. Pesquisa na área de Formação de Professores; Alfabetização científica e Argumentação no Ensino de Ciências e Biologia.

Júlio Carvalho de Paiva, Universidade Federal do ABC

Mestrando do Programa de Pós Graduação em Biotecnociência na Universidade Federal do ABC. Possui graduação em Engenharia de Materiais, Engenharia Biomédica e em Bacharelado em Ciências e Tecnologia pela UFABC.

Emile Ferreira da Cunha Casasco, Universidade Federal do ABC

Mestre em ensino pelo Programa de Pós-graduação em Ensino e História das Ciências e Matemática pela Universidade Federal do ABC. Bacharel em Ciência e Tecnologia (2014), Licenciada e Bacharel em Ciências Biológicas (2015) pela UFABC. Pesquisadora nas áreas de Ensino de Botânica; Formação de Professores e Fisiologia Vegetal.

João Rodrigo Santos da Silva, Universidade Federal do ABC

Professor adjunto da Universidade Federal do ABC. Doutor pela Universidade de São Paulo. Pesquisador no programa de Mestrado em Ensino e História das Ciências e da Matemática. Pesquisa na área de Formação de Professores; Ensino de Ciências/Biologia em especial Botânica e Práticas de Ensino.

Referências

Araujo, E. S. N. N., Caluzi, J. J., & Caldeira, A. M. A. (2006). Divulgação e cultura científica. In E.S.N.N. Araujo, J. J. Caluzi, & A. M. A. Caldeira (org.). Divulgação científica e ensino de ciência: estudos e experiências (pp 15-34). São Paulo. Escrituras.

Bauer, H. H. (1992). Scientific Literacy and the Myth of the Scientific Method. Univ. of Illinois Press, Urbana and Chicago.

Bybee, R. W. (1997). Achieving scientific literacy: from purposes to practices. Portmounth: Heineman.

Cachapuz, A. et al. (2011). A necessária renovação do ensino das ciências. São Paulo: Cortez.

Chassot, A. (2002). Alfabetização científica: uma possibilidade para a inclusão social. III Cumbre Iberoamericana de Rectores de Universidades Públicas. Revista Brasileira de Educação, 21, 157-158.

Fourez, G. (2003). Crise no Ensino de Ciências. Investigações em Ensino de Ciências, 8(2), 109-123.

Gatti, B. A., & Garcia, W. E. (org.). (2011). textos selecionados de Bernadete A. Gatti. Belo HOrizonte: Autêntica Editora.

Gil Perez, D., Montoro, I. F., Carrascosa, J., Cachapuz, A., & Praia, J. (2001). Para uma imagem não deformada do trabalho científico. Revista Ciência & Educação, 7(2): 125 - 153.

Imbernón, F. (2010). Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed.

Lankshear, C., & Knobel, M. (2008). Pesquisa Pedagógica: do projeto à implementação. Tradução de Magda França Lopes. Porto Alegre: Artmed.

Lemke, J. (2006). Investigar para el futuro de la educación científica: nuevas formas de aprender, nuevas formas de vivir. Revista Enseñanza de Las Ciencias, 24 (1), 5 -12.

Moraes, R. (2003). Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência & Educação, 9(2), 191-211.

Moraes, R., & Galiazzi, M. C. (2006). Análise textual discursiva: processo reconstrutivo de múltiplas faces. Ciência & Educação, 12(1), 117-128.

National Research Council. (1996). National Science Education Standards. Washington D.C.: National Academy Press.

Penick, J. E. (1998). Ensinando "alfabetização científica". Educar em Revista, 14, 91113.

Pozo, J. I., & Crespo, M. A. G. (2009). A aprendizagem e o ensino de ciências: do conhecimento cotidiano ao conhecimento científico. Porto Alegre: Artmed.

Roden, J., & Ward, H. (2010). O que é ciência? In H. Ward et al. (orgs.) Ensino de Ciências (pp 13 - 33). Porto Alegre: Artmed.

Sasseron, L. H. (2015). Alfabetização Científica, Ensino por Investigação e Argumentação: Relações entre Ciências da Natureza e Escola. Revista Ensaio, 17 (especial), 49-67.

Sasseron, L. H., & Carvalho, A. M. P. (2008). Almejando a Alfabetização Científica no ensino fundamental: a proposição e a procura de indicadores do processo. Investigações em Ensino de Ciências, 13(3), 333-352.

Shamos, M. H. (1995). The myth of scientific literacy. New Brunswick: Rutgers University Press.

Vogt, C., & Polino, C. (2003). Percepção pública de ciência: resultados da pesquisa na Argentina, Brasil, Espanha e Uruguai. Campinas: Editora Unicamp/Fapesp.

Downloads

Publicado

11.02.2019

Como Citar

Sessa, P. da S., Paiva, J. C. de, Casasco, E. F. da C., & Silva, J. R. S. da. (2019). Alfabetização científica e a construção de concepções na contexto de formação de professores. Linhas Crí­ticas, 25, e21588. https://doi.org/10.26512/lc.v25.2019.21588

Edição

Seção

Dossiê: Ciência, Educação e Sociedade

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.