O protagonismo da Competência em Informação no contexto das fake news

dados de pesquisa, propostas e reflexões

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/rici.v15.n2.2022.36755

Palavras-chave:

Fake news, Redes sociais, Competência em informação, Midias sociais, Desinformação

Resumo

Aborda a relação entre a competência em informação e as fake news no universo das mídias redes sociais, por meio das fontes relativas à competência em informação, fake news e desinformação na era da informação. Objetivou apresentar as relações existentes entre as fake news e a competência em informação, sugerindo diretrizes para identificação e redução das fake news no contexto das mídias e redes sociais. Para tanto, buscou enfatizar o impacto que as notícias falsas correntes nas mídias e redes sociais geram à sociedade, destacando-se a competência em informação como a principal ferramenta de combate às fake news e de capacitação informacional humana. Tratou-se de uma pesquisa bibliográfica. Os resultados demonstraram que é papel dos cientistas e profissionais da informação trabalhar em prol do combate às fake news no ambiente das mídias e redes sociais, visto que as os efeitos desse tipo de notícia podem ser perigosos e oferecerem riscos à consistência da sociedade. Como considerações finais, afirma-se que a competência em informação é o processo norteador para preparo e capacitação humana acerca do acesso e do uso eficaz da informação nos seus multivariados contextos e que esse processo é essencialmente importante na causa de combate às fake news.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafaela Carolina da Silva, Universidade Estadual Paulista, Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Marilia, SP, Brasil

Doutoranda e Mestra em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Unesp Marília, na linha de Pesquisa Gestão, Mediação e Uso da Informação. Bolsista FAPESP. Foi bolsista CAPES. Membro do Grupo de Pesquisa Informação, Conhecimento e Inteligência Organizacional (ICIO). Fez Mestrado Sanduíche na Robert Gordon University, Escócia, Reino Unido (Setembro a Dezembro de 2016). Especialista em Psicopedagogia Institucional pela FUNDEPE, Marília/SP. Graduada em Biblioteconomia, onde também foi bolsista FAPESP. Atualmente dedica-se à pesquisa científica, trabalhando principalmente na interdisciplinaridade dos temas: Bibliotecas híbridas; Conceito de hibridez em bibliotecas; Desenvolvimento social; Gestão da informação; e Desenvolvimento de comunidades. ORCID: http://orcid.org/0000-0001-9684-0327. My Research ID: C-1753-2015.

Beatriz Rosa Pinheiro dos Santos, Universidade Estadual Paulista, Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Marilia, SP, Brasil

Docente e Líder do Núcleo Docente Estruturante do curso de Administração de Empresas na Faculdade de Ensino Superior do Interior Paulista. Membro do Núcleo Docente Estruturante do curso de Bacharelado em Moda da Faculdade de Ensino Superior do Interior Paulista. Professora Mediadora na Universidade Virtual do Estado de São Paulo. Graduada em Gestão Empresarial pela Faculdade de Tecnologia de Garça, onde realizou Iniciação Científica. Mestre em Ciência da Informação pela UNESP/FFC. Atualmente é doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI) da UNESP de Marília-FFC, vinculada à linha de pesquisa: Gestão, Mediação e Uso da Informação e membro do grupo de pesquisa Informação, Conhecimento e Inteligência Organizacional da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP - FFC). Realiza pesquisas no âmbito da Gestão da Informação, Gestão do Conhecimento, pmbook gestão de projetos, Competência em Informação e Cultura Informacional e suas relações com as organizações públicas e privadas, assim como aspectos logísticos empresariais, inteligência organizacional, empreendedorismo informacional, processos gerenciais, planejamento estratégico, gestão de pessoas, metodologias ativas de aprendizagem adaptadas ao campo empresarial, entre outros. Foi bolsista CAPES de mestrado (2017) e bolsista CNPq de mestrado (2018). 

Selma Letícia Capinzaiki Ottonicar, Universidade Estadual Paulista, Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Marilia, SP, Brasil

Professora de Empreendedorismo Social (2020-2021) e de Gestão da Cadeia de Suprimentos (2020) do MBA da Universidade de Marília (UNIMAR 2020-2021). Atua como especialista em Inteligência Competitiva na Empresa OTT Telecom, Marília. Doutora e Mestra pelo Programa de Pós Graduação em Ciência da Informação da Universidade Estadual de Marília (Capes 6). Realizou Doutorado Sanduíche na Université de Sherbrooke (Québec, Canadá). Tecnóloga em Gestão Empresarial pela Faculdade de Tecnologia de Garça (FATEC). Membro da Global Insight Network for Competitive Intelligence Professionals da Carleton University (Ottawa, Canadá), Membro do Grupo de Pesquisa Arquivologia e Competência em Informação da Universidade Federal do Pará (UFPR). Membro do Grupo de Pesquisa Informação, Conhecimento e Inteligência Organizacional da UNESP. Atuou como pesquisadora do Grupo IntelliLab da Université de Sherbrooke (UdeS) entre 2017-2019. Durante a graduação realizou iniciação científica e foi contemplada com uma bolsa do Centro Paula Souza para ser monitora de Inglês dos alunos dos cursos de Gestão Empresarial, Mecatrônica Industrial e Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Em 2013 recebeu uma menção honrosa da FATEC por seu desempenho acadêmico, sendo considerada aluna destaque da faculdade. Ao terminar a graduação, foi escolhida entre os 20 melhores alunos do Estado de São Paulo para realizar um curso de Espanhol na cidade de Córdoba, Argentina. Assim, o Centro Paula Souza e o Governo do Estado custearam o curso de Espanhol, as passagens de avião, o material didático, hotel e a alimentação em Córdoba. Durante o doutorado foi contemplada com duas bolsas canadenses para realizar estágio de pesquisa (Doutorado sanduíche) no Canadá: The Future Leaders of America Program (ELAP) do Governo Federal do Canada e do Fonds de Recherche du Québec - Nature et Technologies (FRQNT) em 2º lugar. Além disso, foi contemplada com a bolsa de Doutorado Sanduíche da CAPES para desenvolver pesquisa no Canadá. Selma tem experiência com ensino, pesquisa e consultoria sobre Competência em Informação (CoInfo), Inteligência Competitiva e temas relacionados à Indústria 4.0 ou 4ª Revolução Industrial e startups. Os temas de interesse não estão limitados apenas a esses citados, mas aqueles que conectam a área da Gestão Empresarial e da Ciência da Informação de maneira interdisciplinar. Fala Inglês, Francês e Português fluentemente e possui conhecimento intermediário em Espanhol. 

Ieda Pelógia Martins Damian, Universidade Estadual Paulista, Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Marilia, SP, Brasil

Docente da Universidade de São Paulo no curso de graduação em Ciência da Informação e Documentação do Departamento de Educação, Comunicação e Informação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras - FFCLRP/USP. Docente do Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação na Unesp - Marília - SP. Pós-doutorado pela Universidad de Salamanca (USAL), Espanha, 2020. Doutorado em Administração de Organizações pela FEA-RP/USP, 2012. Mestrado em Administração de Organizações pela FEA-RP/USP, 2009. Graduação em Análise de Sistemas pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, 1994. Membro do Conselho Fiscal da Associação Brasileira de Educação em Ciência da Informação (ABECIN), 2019-2022. Áreas de concentração: Gestão do Conhecimento, Gestão da Informação, Serviço de Referência e Informação, Redes de Informação, Sistemas de Informação, Comércio e Governo Eletrônico. 

Referências

AMERICAN LIBRARY ASSOCIATION. Framework for information literacy for higher education. 2015. Disponível em: http://www.ala.org/acrl/standards/ilframework. Acesso em: 29 jun. 2018.

ARAÚJO, M. de. Manipulação e fake news: debate no Goethe-Institut. In: BIEBER, C.; ARAÚJO, M. DE; BOAS, L. V. Manipulação e fake news: uma nova forma de comunicação amoral? Munique: Goethe-Institut; UA RUHR; Universitat Duisburg Essen, 2016. p. 1-4. Disponível em: https://www.merriam-webster.com/words-at-play/the-real-story-of-fake-news. Acesso em: 29 jun. 2018.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. São Paulo: Nova Cultural, 1991.

ASSOCIATION OF COLLEGE & RESEARCH LIBRARIES. First part of the draft framework for information literacy for higher education. 2014. Disponível em: http://acrl.ala.org/ilstandards/wp-content/uploads/2014/02/Framework-for-IL-for-HE-Draft-1-Part-1.pdf. Acesso em: 09 jan. 2017.

BAKIR, V.; MCSTAY, A. Fake news and the economy of emotions: problems, causes, solutions. Digital Journalism, v. 6, n. 2, p. 154”“175, 2018. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/21670811.2017.1345645?journalCode=rdij20. Acesso em: 08 jan. 2020.

BAUMAN, Z. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BEAL, A. Gestão estratégica da informação. São Paulo: Atlas, 2004.

BERKOWITZ, D.; SCHWARTZ, D. A. Miley, CNN and the onion: when fake news becomes realer than real. Journalism Practice, v. 10, n. 1, p. 1”“17, 2016. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/17512786.2015.1006933. Acesso em: 08 jan. 2020.

BELLUZZO, R. C. B. Construção de mapas: desenvolvendo competências em informação e comunicação. Bauru: Cá Entre Nós, 2007.

BELLUZZO, R. C. B.; FERES, G. G. Competência em informação, redes de conhecimento e as metas educativas para 2021: reflexões e inter-relações. In: BELLUZZO, R. C. B; FERES, G. G.; VALENTIM, M. L. P. (Orgs.). Redes de conhecimento e competência em informação: interfaces da gestão, mediação e uso da informação/organização. Rio de Janeiro: Interciência, 2015. 414 p.; p.1-35.

BELLUZZO, R.C.B.; KOBAYASHI, M. do C.; FERES, G. G. Information literacy: um indicador de competência para a formação permanente de professores na sociedade do conhecimento. Educação Temática Digital, Campinas, v. 6, n. 1, p. 81-99, dez. 2004.

BRISOLA, A. C.; ROMEIRO, N. L. A competência crítica em informação como resistência: uma análise sobre o uso da informação na atualidade. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, Online First, 2018. Disponível em: https://rbbd.febab.org.br/rbbd/issue/view/82. Acesso em: 27 jun. 2018.

BRUCE, C. S. Workplace experiences of Information literacy. International Journal of Information Management, v.19, p.33-47, 1999. Disponível em: http://www.personal.kent.edu/~wjrobert/images/WorkplaceInfoLit.pdf. Acesso em: 18 fev. 2015.

BUNDY, A. Australian and New Zealand information literacy framework: principles, standards and practice, 2004. Disponível em: http://archive.caul.edu.au/info-literacy/InfoLiteracyFramework.pdf. Acesso em 18 jun. 2018.

CAMPELLO, B. Letramento informacional no Brasil: práticas educativas de bibliotecas escolares de ensino básico. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstream/handle/1843/ECID-7UUPJY/tesebernadetesantoscampello.pdf?sequence=1. Acesso em 02 ago. 2017.

CAPURRO, R. Ética intercultural de la información. In: GOMES, H. F.; BOTTENTUIT, A. M.; OLIVEIRA, M. O. E. de (Orgs.). A ética na sociedade, na área da informação e da atuação profissional: o olhar da filosofia, da sociologia, da ciência da informação e do exercício profissional do bibliotecário no Brasil. Brasília: CFB, 2009. p. 43-64.

CASTRO, F. ‘Fake news’ têm 70% mais chance de viralizar que as notícias verdadeiras, segundo novo estudo. O Estado de S. Paulo, 08 mar. 2018. Disponível em: https://ciencia.estadao.com.br/noticias/geral,fake-news-se-espalham-70-mais-rapido-que-as-noticias-verdadeiras-diz-novo-estudo,70002219357. Acesso em: 18 jul. 2018.

CHOUDHURY, N. World wide web and its journey from web 1.0 to web 4.0. International Journal of Computer Science and Information Technologies, v. 5, n. 6, p. 8096-8100, 2014. Disponível em: http://ijcsit.com/docs/Volume 5/vol5issue06/ijcsit20140506265.pdf. Acesso em 15 maio 2018.

COSTA, L.; JUNQUEIRA, V.; MARTINHO, C.; FECURI, J. (coord.). Redes: uma introdução às dinâmicas da conectividade e da auto-organização. Brasília: WWF-Brasil, 2003.

D’ANCONA, M. Pós-verdade: a nova guerra contra os fatos em tempos de fake news. Barueri: Faro Editorial, 2018.

DARNTON, R. A verdadeira história das notícias falsas: séculos antes das redes sociais, os boatos e as mentiras alimentavam pasquins e gazetas na Europa. El País Brasil, 2017. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2017/04/28/cultura/1493389536_863123.html. Acesso em: 26 jun. 2018.

DEMASSON, A.; PARTRIDGE, H.; BRUCE, C. Information literacy and the serious leisure participant: variation in the experience of using information to learn. Information Research, v. 21 no. 2, jun., 2016. Disponível em: http://www.informationr.net/ir/21-2/paper711.html - .WX83_4jyvIU. Acesso em: 31 jul. 2017.

DICIONÁRIO ONLINE DE PORTUGUÊS. Desinformação. 2020. Disponível em: https://www.dicio.com.br/desinformacao/. Acesso em: 08 jan. 2020.

DUDZIAK, E. A. A information literacy e o papel educacional das bibliotecas. 2001. 187f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação e Documentação) ”“ Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

DUDZIAK, E. A. Information literacy: princípios, filosofias e práticas. Ciência da Informação, Brasília, v. 32, n.1, p.23-35, jan./abr. 2003. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/index.php/ciinf/article/view/123/104. Acesso em: 18 fev. 2015.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila.

INTERNATIONAL FEDERATION OF LIBRARIES ASSOCIATIONS AND INSTITUTIONS. How to spot fake news. 2020. Disponível em: https://www.ifla.org/node/11174. Acesso em: 07 jan. 2020.

GIACOIA JUNIOR, O. E se o erro, a fabulação, o engano revelarem-se tão essenciais quanto a verdade? Folha de São Paulo, 10 fev. 2017. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2017/02/1859994-e-se-o-erro-a-fabulacao-o-engano-revelarem-se-tao-essenciais-quanto-a-verdade.shtml. Acesso em: 18 jul. 2018.

GIL, A.C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

HOLBERT, R. L. A typology for the study of entertainment television politics. The American Behavioral Scientist, v. 49, 2005, p. 436-453, 2005.

KAPLAN, A. M.; HAENLEIN, M. Users of the world, unite! The challenges and opportunities of Social Media. Business Horizons, v. 53, 2010. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/222403703_Users_of_the_World_Unite_The_Challenges_and_Opportunities_of_Social_Media. Acesso em: 08 jan. 2020.

LAU, J. Diretrizes sobre desenvolvimento de habilidades de informação para a aprendizagem permanente. The Haague: IFLA, 2007. 56p. Disponível em: http://www.ifla.org/files/assets/information-literacy/publications/ifla-guidelines-pt.pdf. Acesso em: 18 jun. 2018.

LEITE, L. R. T.; MATOS, J. C. M. Zumbificação da informação: a desinformação e o caos informacional. IN: CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA, DOCUMENTAÇÃO E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 28., 2017. Anais... Ceará: Centro Universitário Estácio do Ceará, 2017, p. 2334-2349. Disponível em: https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/918. Acesso em: 02 jul. 2018.

LEONG, L. Fighting fake news: how Google, Facebook and others are trying to stop it. Techradar, 2017. Disponível em: http://www.techradar.com/news/fighting-fake-news-how-google-facebook-and-more-are-working-to-stop-it. Acesso em: 01 jul. 2018.

LÉVY, P. Cibercultura. 3. ed. São Paulo: Ed. 34, 2010.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E.M. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostras e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. 7.ed. São Paulo: Atlas, 2008.

MARTELETO, R. M. Análise de redes sociais: aplicação nos estudos de transferência da informação. Ciência da Informação, Brasília, v. 30, n. 1, p. 71-81, jan./abr. 2001.

MENESES PLACERES, G. La evaluación en la alfabetización informacional en el contexto de la educación superior: aproximación teórica. Biblios, n. 31, p. 1-11, 2008.

MANJOO, F. True enough: learning to live in a post-fat society. John Wiley & Sons: New Jersey, 2008.

OLIVEIRA-DELMASSA, H. C.; OTTONICAR, S. L. C.; SANTOS, B. R. P. A Competência em Informação de feministas na disseminação da igualdade de gênero: reflexões acadêmicas no âmbito das redes sociais. In: MUJERES INVESTIGADORAS E INVESTIGACIÓN SOBRE MUJERES EN LAS UNIVERSIDADES IBÉRICAS, 2018, Salamanca. Anais... Salamanca: USAL, 2018.

OTTONICAR, S. L. C. Análise teórico-descritiva da competência em informação de gestores como fator de competitividade das indústrias de eletroeletrônicos da cidade de Garça/SP. 271 f. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2016.

OTTONICAR, S.L.C.; VALENTIM, M.L.P.; FERES, G.G. Competência em informação e os contextos educacional, tecnológico, político e organizacional. RICI: Revista Ibero-americana de Ciência da Informação, Brasília, v. 9, n. 1, p. 124-142, jan./jun.2015.

PANGRAZIO, L. What’s new about ‘fake news’? critical digital literacies in an era of fake news, post-truth and clickbait. Revista Páginas de Educación, v. 11, n. 1, p. 6-22, 2018. Disponível em: https://revistas.ucu.edu.uy/index.php/paginasdeeducacion/article/download/1551/1535/. Acesso em: 01 jul. 2018.

POGUE, D. What Facebook is doing to combat fake news. Scientific American, 2017. Disponível em: https://www.scientificamerican.com/article/pogue-what-facebook-is-doing-to-combat-fake-news/. Acesso em: 02 jul. 2018.

POLIZELLI, D. L. Sociedade da informação: iniciando o debate. In: POLIZELLI, D. L.; OZAKI, A. M. (orgs.). Sociedade da informação: os desafios da era da colaboração e da gestão do conhecimento. São Paulo: Saraiva, 2008. p. 1-36.

PRIMO, A. O aspecto relacional das interações na Web 2.0. E-Compós, Brasília, v. 9, p. 1-21, 2007. Disponível em: http://www.ufrgs.br/limc/PDFs/web2.pdf. Acesso em: 15 maio 2018.

RAMONET, I. O poder midiático. In: MORAES, D. de (Org.). Por uma outra comunicação. Rio de Janeiro: Record, 2003. p. 243-252.

SANTOS, J. A.; SPINELLI, E. M. Pós-verdade, fake news e fact-checking: impactos e oportunidades para o jornalismo. IN: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISADORES EM JORNALISMO, 15, 2017. Anais... São Paulo: Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo, 2017, p.1-18. Disponível em: sbpjor.org.br/congresso/index.php/sbpjor/sbpjor2017/paper/view/746/462. Acesso em: 18 jul. 2018.

TANDOC, E. C.; LIM, Z. W.; LING, R. Defining “fake news”: a typology of scholarly definitions. Digital Journalism, 2018. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/319383049_Defining_Fake_News_A_typology_of_scholarly_definitions. Acesso em 08 jan. 2020.

YAFUSHI, C. A. P. A Competência em informação para a construção de conhecimento no processo decisório: estudo de caso na Duratex de Agudos (SP). 232 f. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2015.

WEBSTER, M. The real story of ‘fake news’. 2017. Disponível em: https://www.merriam-webster.com/words-at-play/the-real-story-of-fake-news. Acesso em: 30 jun. 2018.

Downloads

Publicado

2022-08-22

Como Citar

Silva, R. C., Santos, B. R. P., Ottonicar, S. L. C. ., & Damian, I. P. M. (2022). O protagonismo da Competência em Informação no contexto das fake news: dados de pesquisa, propostas e reflexões. Revista Ibero-Americana De Ciência Da Informação, 15(2), 351–374. https://doi.org/10.26512/rici.v15.n2.2022.36755

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)