Avaliação dos cursos de graduação da Universidade Federal da Bahia: a biblioteca universitária em foco, de 2010 a 2017

Palavras-chave: Biblioteca universitária. Avaliação. Ensino de graduação. Universidade Federal da Bahia. Avaliação educacional. INEP.

Resumo

Este artigo, resultado parcial de pesquisa, tem como objetivos (1) conhecer a contribuição da biblioteca na avaliação, pelo INEP, dos cursos de graduação da Universidade Federal da Bahia, tendo como foco as bibliografias básicas e complementares e os periódicos especializados; (2) demonstrar o modus operandi dos avaliadores e seu impacto no resultado da avaliação dos cursos de graduação. Analisaram-se as notas atribuídas aos cursos de graduação da UFBA pelos avaliadores, nas visitas in loco, entre os anos de 2010 a 2017. O estudo se configura como uma pesquisa qualitativa e quantitativa, de caráter descritivo, baseada na literatura pertinente e em levantamento documental referente aos instrumentos do INEP e aos relatórios de avaliação dos cursos, elaborados pelos avaliadores. A análise dos dados, comparativamente à realidade conhecida e vivenciada pelas bibliotecas da UFBA, revelou que os critérios de avaliação registrados pelos avaliadores se apresentam muitas vezes subjetivos, não revelando com fidedignidade o estado real das bibliotecas. Conclui-se que ter como únicos indicadores de avaliação da biblioteca universitária as bibliografias básicas e complementares e os periódicos especializados não é uma medida suficiente para configurar se ela cumpre sua função junto à comunidade acadêmica. Ademais, o peso de sua contribuição no cômputo total da avaliação do curso é ínfimo, uma vez que ela integra um elenco de itens da dimensão Infraestrutura. Ante esse cenário, propõe-se que a biblioteca universitária seja transformada numa quarta dimensão a ser avaliada – ao lado da Organização Didático-pedagógica, Corpo Docente e Tutorial e Infraestrutura – na perspectiva que ela tenha representatividade no total da avaliação, por sua função de estrutura fundante da Instituição e para justificar os investimentos feitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nídia Maria Lienert Lubisco, Universidade Federal da Bahia. Instituto de Ciência da Informação. Salvador, BA. Brasil

Doutora em Documentação, Universidade Carlos III de Madrid; docente do Programa de Pós-graduação em Ciência de Informação da Universidade Federal da Bahia (UFBA), líder do grupo de pesquisa GEINFO Saberes e Fazeres em Informação e Conhecimento, membro da Academia de Ciências da Bahia.

 

 

Flávia Bulhões de Sousa, Universidade Federal da Bahia, Instituto de Ciência da Informação, Salvador, BA, Brasil

Bacharel em Biblioteconomia, Universidade Santa Úrsula (RJ); Especialista em Metodologia do Ensino Superior, IBPEX; Mestre em Ciência da Informação, Universidade Federal da Bahia.

 

Referências

BARBOSA, Marilene L. A; FRANKLIN, Sérgio. Controle, avaliação e qualidade de serviço em unidades de informação. In: LUBISCO, Nídia M. L. (Org.). Biblioteca universitária: elementos para o planejamento, avaliação e gestão. Salvador: EDUFBA, 2011. p. 89-137.

BELLONI, Isaura. Avaliação da universidade: por uma proposta de avaliação consequente e compromissada política e cientificamente. In: FÁVERO, Maria de Lourdes. (Org.) A universidade em questão. São Paulo: Cortez; Autores Associados, 1989.

BRASIL. Decreto nº 9.235 de 15 de dezembro 2017. Dispõe sobre o exercício das funções de regulação, supervisão e avaliação das instituições de educação superior e dos cursos superiores de graduação e de pós-graduação no sistema federal de ensino. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Poder Legislativo. Brasília, DF, 18.dez. 2017. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Decreto/D9235.htm>. Acesso em: 10 abr. 2017.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/l9394.htm>. Acesso em: 02 fev. 2018.

BRASIL. Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Legislativo, Brasília, DF, 15 abr. 2004. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil/_Ato2004-2006/2004 /Lei/L10.861.htm>. Acesso em: 10 abr. 2017.

BRASIL. Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 29 dez. 2008. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11892.htm>. Acesso em: 02 fev. 2018.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Portaria normativa nº 840, de 24 de agosto de 2018. Dispõe sobre os procedimentos de competência do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, referentes à avaliação de instituições de educação superior, de cursos de graduação e de desempenho acadêmico de estudantes. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, Seção 1, nº 165, p. 99-102, 27 ago. 2018. Disponível em: <http://download.inep.gov.br/educacao_superior/avaliacao_institucional/legislacao_normas/2018/portaria_normativa_GM-MEC_n840_de_24082018.pdf>. Acesso em: 02 set. 2018.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior. Resolução nº 01, de 17 de junho de 2010. Normatiza o Núcleo Docente Estruturante e dá outras providências. Brasília, DF, 2010. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php ?option=com_docman&task=doc_download&gid=6885&Itemid=>. Acesso em: 02 set. 2018.

BUTLER, Pierce. Introdução à ciência da biblioteconomia. Rio de Janeiro: Lidador, 1971. 86p.

CAMPELLO, Bernadete Santos; CENDÓN, Beatriz Valadares; KREMER, Jeannette Marguerite. Fontes de informação para pesquisadores e profissionais. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 2000. 319p.

CAPES. Portal de Periódicos. Disponível em: <https://www.periodicos.capes. gov.br/>. Acesso em: 09 ago. 2017.

CHIAVENATO, Idalberto. Administração de recursos humanos: fundamentos básicos. 5. ed. São Paulo, SP: Atlas, 2003. 205 p.

CHIAVENATO, Idalberto. Iniciação à teoria das organizações. Barueri, SP: Manole, 2010. 268p.

COELHO NETTO, José Teixeira. Semiótica, informação e comunicação. São Paulo: Perspectiva, 1983. 223p.

CUNHA, Maria Luísa Monteiro da. Tema 5: bibliotecas universitárias. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO, 7, 1973, Belém. Anais ... Rio de Janeiro: IBBD, 1977. p. 229-250.

CUNHA, Murilo Bastos da. Desafios na construção de uma biblioteca digital. Brasília, Ciência da Informação, Brasília, v. 28, n. 3, p. 257-268, set./dez.1999.

CUNHA, Murilo Bastos da; DIÓGENES, Fabiene Castelo Branco A trajetória da biblioteca universitária no Brasil no período de 1901 a 2010. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, v. 21, n. 47, p. 100-123, set./dez., 2016. ISSN 1518-2924. DOI: 10.5007/1518-2924.2016v21n47p100. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php /eb/article/view/1518-2924.2016v21n47p100>. Acesso em: 30 jan. 2018.

FERREIRA, Bruno Cesar de Freitas; CASTRO FILHO, Cláudio Marcondes de. A relação entre a bibliografia e a formação do profissional da informação. Rebecin, v. 1, n.2, p. 19-36, jun./dez. 2015. ISSN:2358-3193. Disponível em: <http://abecin.org.br/portalderevistas/index.php/rebecin/article/view/14 >. Acesso em: 09 abr. 2017.

FERREIRA, Lusimar Silva. Bibliotecas universitárias brasileiras: análise de estruturas centralizadas e descentralizadas. São Paulo: Pioneira; [Brasília]: INL, 1980. 118 p.

INEP. Avaliação dos cursos de graduação. Brasília, DF, 2015. Disponível em: <http://portal.inep. gov.br/web/guest/avaliacao-dos-cursos-de-graduacao>. Acesso em:01 fev. 2018.

INEP. Avaliação in loco: referenciais no âmbito do SINAES. Brasília, DF, 2015. v. 5, 290 p. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/documents/186968/484109/SINAES+-+Sistema+Nacional+de+Avalia%C3%A7%C3%A3o+da+Educa%C3%A7%C3%A3o+Superior+Vol+5/ee07ce50-a60f-4614-9aac-01bfe168df5f?version=1.2>. Acesso em: 30 jan. 2018.

INEP. Avaliação in loco e novos instrumentos de avaliação de instituições de educação superior e cursos de graduação: subsídios para atuação de procuradores institucionais (PI). Brasília, DF, 2018. Disponível em: <http://download.inep.gov.br/educacao_superior/avaliacao_institucional/avaliacao_in-loco/Capacitacao_Procuradores_Educacionais_Institucionais_2018.pdf>. Acesso em: 15 set. 2018.

INEP. Instrumento de avaliação de cursos de graduação presencial e a distância. Brasília, DF: INEP, 2015. Disponível em: <http://download.inep.gov.br/educacao_ superior/avaliacao_cursos_graduacao/instrumentos/2015/instrumento_cursos_graduacao_publicacao_agosto_2015.pdf>. Acesso em: 11 abr. 2017.

INEP. Instrumento de avaliação de cursos de graduação presencial e a distância. Brasília, DF: INEP, 2016. Disponível em: <http://download.inep.gov.br/educacao _superior/avaliacao_cursos_graduacao/instrumentos/2016/instrumento_2016.pdf >. Acesso em: 11 abr. 2017.

INEP. Instrumento de avaliação de cursos de graduação presencial e a distância: autorização. Brasília, DF: INEP, 2017a. Disponível em: <http://download.inep.gov.br/ educacao_superior/avaliacao_cursos_graduacao/instrumentos/2017/curso_autorizacao.pdf.>. Acesso em: 11 jan. 2018.

INEP. Instrumento de avaliação de cursos de graduação presencial e a distância: reconhecimento, renovação de reconhecimento. Brasília, DF: INEP, 2017b. Disponível em:<http://download.inep.gov.br/educacao_superior/avaliacao_cursos _graduacao/instrumentos/2017/curso_reconhecimento.pdf>. Acesso em: 11 jan. 2018.

INEP. Nota técnica nº 16/2017/CGACGIES/DAES, 2017. Disponível em: <http://download.inep.gov.br/educacao_superior/avaliacao_cursos_graduacao/legislacao_normas/2017/nota_tecnica_sei_inep_0126132.pdf>. Acesso em: 01 fev. 2018.

KEELING, Ralph. Gestão de projetos: uma abordagem global. São Paulo: Saraiva, 2002. 293p.

LEMOS, Antonio Agenor Briquet de. Bibliotecas. In: CAMPELO, Bernadete Santos; CALDEIRA, Paulo da Terra. Introdução às fontes de informação. 2.ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

LUBISCO, Nídia M. L. (Org.). Biblioteca universitária: elementos para o planejamento, avaliação e gestão. Salvador: EDUFBA, 2011. 263 p.

LUBISCO, Nídia M. L. A biblioteca universitária brasileira: um modelo para avaliar seu desempenho. PontodeAcesso Revista do Instituto de Ciência da Informação, Salvador, v. 2, n. 1, p. 153-199, jun. 2008. Disponível em: <https://portalseer.ufba.br/index.php/revistaici/article/view/2671>. Acesso em: 03 jul. 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.9771/1981-6766rpa.v2i1.2671.

LUBISCO, Nídia M. L. A Biblioteca Universitária no Processo de “Avaliação das Condições de Oferta” dos Cursos de Graduação pelo MEC: o caso da UFBA. 2001. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Instituto de Ciência da Informação, Universidade Federal da Bahia. Salvador. Orientador: Dora Leal Rosa.

LUBISCO, Nídia M. L. Avaliação de biblioteca universitária: projeto para sua construção em plataforma web. Salvador, 2017. 8 f. Projeto aprovado pela plenária do Departamento de Fundamento e Processos Informacionais, do Instituto de Ciência da Informação, UFBA, em 27 de julho de 2017. Não publicado.

LUBISCO, Nídia M. L. Bibliotecas universitárias, seus serviços e produtos: transposição de um modelo teórico de avaliação para um instrumento operacional: relatório de pesquisa desenvolvida durante estágio pós-doutoral, na Universidad de Salamanca (ES). PontodeAcesso Revista do Instituto de Ciência da Informação, Salvador, v. 8, n. 3, p. 56-61/ 80-141, dez. 2014. Disponível em: <https://portalseer.ufba.br/index.php/revistaici/article/view/12834>. DOI: http://dx.doi.org/10.9771/1981-6766rpa.v8i3.12834

LUBISCO, Nídia M. L. La evaluación en la biblioteca universitaria brasileña: evolución y propuesta de mejora. 2007. 405 p. Tese (Doctorado en Documentación) – Universidad Carlos III de Madrid.

LUBISCO, Nídia M. L. Tipologia de biblioteca segundo as variáveis função, acervo e público. Salvador, 2016. Disponível em: <https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri /23819>.

MANO GONZÁLEZ, M. de la. Propuesta de un sistema de evaluación para bibliotecas universitarias. Revista española de Documentación Científica, [S.l.], v. 21, n. 2, p. 174-197, june 1998. ISSN 1988-4621. Disponível em: <http://redc.revistas.csic.es/index.php/redc/article/view/353>. Acesso em: 06 fev. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.3989/redc.1998.v21.i2.353.

MASETTO, Marcos Tarciso. Competência pedagógica do professor universitário. 3.ed. São Paulo: Summus, 2015. 207p.

MIRANDA, Antonio. Biblioteca universitária no Brasil: reflexões sobre a problemática. Brasília, DF: Capes, 1978. Disponível em: <http://antoniomiranda.com.br/ciencia_informacao/BIBLIOTECA_UNIVERSITARIA_.pdf >. Acesso em: 08 set. 2017.

PACHECO, Eliezer. Os institutos federais uma revolução na educação profissional e tecnológica. Brasília, DF: MEC, [2009?]. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/insti_evolucao.pdf>. Acesso em: 08 set. 2017.

THOMPSON, James; CARR, Reg. La biblioteca universitaria: introducción a su gestión. Trad. de David Torra Ferrer. Madrid: Fundación Sánchez Ruipérez; Pirámide, 1989.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA. Pró- Reitoria de Planejamento e Orçamento. UFBA em números Retrospectiva Especial 70 anos. Salvador: UFBA, 2016. Disponível em:<https://proplan.ufba.br/sites/proplan.ufba.br/files/UFBA %20em%20n%C3%BAmeros%20Retrospectiva%20Especial%2070%20Anos%2007fev.pdf>. Acesso em: 08 set. 2017.

ZANITO, Maria Amélia Sabbag; PINTO, Maira Lúcia Accioly Teixeira. Gestão da instituição de ensino e ação docente. Curitiba: Ibepex, 2008. 134 p.

Publicado
2019-09-13
Como Citar
LubiscoN. M. L., & SousaF. B. de. (2019). Avaliação dos cursos de graduação da Universidade Federal da Bahia: a biblioteca universitária em foco, de 2010 a 2017. Revista Ibero-Americana De Ciência Da Informação, 12(3), 665-701. https://doi.org/10.26512/rici.v12.n3.2019.17762