Entre o português como língua estrangeira e as práticas interculturais comunicativas: estudo de caso em universidade colombiana

Autores

  • Cristine Gorski Severo UFSC
  • Daniela Viola Universidad EAN

DOI:

https://doi.org/10.26512/rhla.v16i1.1491

Palavras-chave:

Bilinguismo;, PLE;, Hispanofalantes;, Prática comunicativa;, Interculturalidade

Resumo

Resumo

O artigo enfoca teórico-metodologicamente uma experiência de ensino de português como língua estrangeira em universidade colombiana voltada para a formação empresarial. Trata-se de propor uma abordagem de ensino bilíngue que considere a língua como prática social e não como objeto. Nesse caso, o enfoque da experiência bilíngue considera a língua portuguesa como mediadora de encontros interculturais. A partir disso, conceitos como translinguagem e prática social foram considerados em articulação teórico-metodológica com a concepção de língua como gêneros discursivos. Buscou-se uma visão contextualizada e sensível às práticas comunicativas e interculturais. Os resultados do projeto demonstram que o processo de aprendizagem de uma língua estrangeira não exige, necessariamente, que a língua tenha que ser sistematizada e autonomizada para ser ensinada. As práticas comunicativas bilíngues produzem hibridizações e amálgamas linguísticos que não devem ser vistos como “problemas”, mas como recursos que possibilitam o processo de produção, negociação e compreensão de sentidos.

Palavras-chave: bilinguismo; PLE; hispanofalantes; prática comunicativa.

 

Between Portuguese as a foreign language and intercultural communicative practices: a case study in a Colombian university

Abstract

The article presents a theoretical and methodological approach to the teaching of Portuguese as foreign language in a Colombian university focused on business training. We propose a bilingual teaching approach that considers language as social practices rather than theoretical objects. In this case, the focus of the project on the bilingual experience considers Portuguese language as a mediator of intercultural encounters. Concepts such as translinguagem and social practice were considered in theoretical and methodological integration with a concept of discursive genres. The results demonstrate that the process of learning a foreign language does not necessarily require that languages be systematized to be taught. Also, the bilingual communicative practices produced linguistic hybridizations and amalgams that should not be seen as “problems”, but as resources that enable the meaning making process.

Palavras-chave: bilingualism; PFL; Spanish speakers; communicative practice.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ACOSTA-PEREIRA, Rodrigo; RODRIGUES, Rosângela H. Perspectivas atuais sobre gêneros do discurso no campo da Linguística. Letra Magna, v. 5, p. 1-18, 2009.

BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso (1952-53). In:BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1992. p. 261- 306.

BAKHTIN, Mikhail. O problema do texto (1959-61). In: BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1992. p. 307-336.

BAKHTIN, Mikhail. Questões de literatura e de estética. São Paulo: Unesp/Hucitec, 1988.

BLOMMAERT, Jan. The sociolinguistics of globalization. Cambridge: Cambridge University Press, 2010.

CANAGARAJAH, Suresh (Org.). Reclaiming the local in language policy and practice. London, New York: Taylor & Francis Group, 2004.

CAVALCANTI, Marilda.; BORTONI-RICARDO, Stella M. (Orgs.). Transculturalidade, linguagem e educação. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2007.

CORRÊA. Leda. O status da variedade brasileira do português no Mercosul: delineamento de uma pesquisa em curso. Revista SIPLE, ano 2, n. 2, [s.p.], 2011. Disponível em: <http://www.siple.org.br>. Acesso em: 01 fev. 2016.

DINIZ, Leandro R. A. Entre discursos mercadológicos e nacionalistas: apontamentos para o ensino-aprendizagem de português para falantes de outras línguas. Entremeios: Revista de Estudos do Discurso, v.10,

p. 5-8, jan.-jun. 2015 Disponível em: <http://www.entremeios.inf.br>. Acesso em: 20 jan. 2016.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GARCÃA, Ofelia, WEI, Li. Translanguaging: language, bilingualism and education. New York: Palgrave Macmillan, 2014.

GARCÃA, Ofelia. Bilingual education in the 21st century: a global perspective. Malden, MA and Oxford: Basil/Blackwell, 2009.

GERALDI, João Wanderley. Portos de Passagem. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

KLEIMAN, Angela B. (Org.). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado de Letras, 1995.

KLEIMAN, Angela B. (Org.) Leitura e interdisciplinaridade: tecendo redes nos projetos da escola. Campinas: Mercado de Letras, 1999.

NASCIMENTO, Elvira; ROJO, Roxane R. (Orgs.). Gêneros de texto/discurso e os desafios da contemporaneidade. 1. ed. Campinas, SP: Pontes Editores, 2014.

MASSELO, Laura. Construir o PLE nos países: abertura de caminhos

para o ensino de português no Sul da América Latina. Revista SIPLE, ano 1, n. 1, [s.p.], 2010. Disponível em: <http://www.siple.org.br>. Acesso em: 01 fev. 2016.

MOITA LOPES, Luiz Paulo. Por uma linguística aplicada indisciplinar. São Paulo: Parábola, 2006.

NETO, Francisco T.Castro et al As línguas do ABC: o antes e o depois do Mercosul na história do ensino de PLE na Argentina e no Chile e de ELE no Brasil. Revista SIPLE, ano 4, n. 1, [s.p.], 2013. Disponível em:

<http://www.siple.org.br>. Acesso em: 01 fev. 2016.

PENNYCOOK, Alastair. Language as a local practice. Londres; Nova York: Routledge, 2010.

PENNYCOOK, Alastair. Principled polycentrism and resourceful speakers. Journal of Asia Tefl, v. 11, n. 4, p.1-19, 2014.

ROJAS, Juan Pedro. Portunhol: fossilização consentida da interlíngua de hispanofalantes aprendizes de PLE?. Revista SIPLE, ano 1, n. 1, [s.p.], 2010. Disponível em: <http://www.siple.org.br>. Acesso em: 01 fev. 2016.

SEVERO, Cristine G. A açucarada língua portuguesa: lusotropicalismo e lusofonia no século XXI. Revista Brasileira de Linguistica Aplicada, v. 15, n. 01, p. 85-107, 2015.

SILVA, Diego B. De flor do Lácio à língua global. Jundiaí: Paco Editorial, 2013.

ZOPPI FONTANA, Mónica (Org.). O português do Brasil como língua transnacional. Campinas: Editora RG, 2009.

Downloads

Publicado

2017-07-07

Como Citar

Severo, C. G., & Viola, D. (2017). Entre o português como língua estrangeira e as práticas interculturais comunicativas: estudo de caso em universidade colombiana. Revista Horizontes De Linguistica Aplicada, 16(1). https://doi.org/10.26512/rhla.v16i1.1491

Edição

Seção

Artigos