Uma década contra o trabalho: debates desde o direito sobre os desafios postos ao movimento de trabalhadores e trabalhadoras (2012-2022)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/revistainsurgncia.v8i2.44036

Palavras-chave:

Sindicalismo, Neoliberalismo, Assédio Moral, Serviço público, corte de ponto

Resumo

O presente artigo tem por intento lançar luzes no processo de ataques aos direitos sociais e às respostas impressas pelos trabalhadores e trabalhadoras na última década, marcada dentre outras coisas pela construção do Instituto de Pesquisa, Direitos e Movimentos Sociais-IPDMS. Considerando a já existente produção bibliográfica crítica sobre uma miríade de assuntos que despontaram no período, o texto elege como temas para abordagem os dilemas e desafios da luta sindical, os efeitos do assédio moral no trabalho sob desenho neoliberal e, visando articular estas reflexões desde uma redução a concreto, o debate sobre o corte de ponto de servidores públicos grevistas a partir do julgamento do RE 693.456-RJ, pelo STF.

Biografia do Autor

Paula Talita Cozero, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Paraná, Brasil

Professora de Direito do Trabalho no Centro Unicersitário Autônomo do Brasil – UniBrasil. Doutora e mestra em Direitos Humanos e Democracia pela Universidade Federal do Paraná. Pesquisadora do Núcleo de Direito Cooperativo e Cidadania do Programa de Pós-Graduação em Direito da UFPR. Advogada Popular em Curitiba-PR

Alexandre Mandl, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, Brasil

Mestre em Desenvolvimento Econômico, na subárea Economia Social e do Trabalho, do CESIT (Centro de Estudos Sindicais e do Trabalho), do Instituto de Economia da Unicamp. Graduado e Especialista em Direito Constitucional pela Puc-Campinas. Advogado popular, membro da Rede Nacional dxs Advogadxs Populares (RENAP) e do IPDMS (Instituto de Pesquisa, Direitos e Movimentos Sociais). Integrante do Grupo de Pesquisa Direitos Humanos, Centralidade do Trabalho e Marxismo (DHCTEM) e do Grupo de Pesquisa Trabalho e Capital (GPTC), ambos da Faculdade de Direito da USP.

Gustavo Seferian, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Professor da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais. Pesquisador-Líder do Grupo de Pesquisa Trabalho e Capital-USP. Coordenador do Núcleo de Estudos Interpretar e Transformar o Brasil – UFMG. Membro da Secretaria Nacional do Instituto de Pesquisas, Direitos e Movimentos Sociais-IPDMS (2021-2023). Diretor do ANDES-SN (2020-2023).

Referências

ALMEIDA, Daniel Ferrer de. A profissionalização precária do skate brasileiro: entre o esporte e o lifestyle. InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 5, n.1, p. 515-538, 2020.

ALVES, Giovanni. Dimensões da precarização do trabalho: Ensaios de sociologia do Trabalho. Bauru: Canal 6, 2013.

ALVES, Giovanni. O novo (e precário) mundo do trabalho: reestruturação produtiva e crise do sindicalismo. São Paulo: Boitempo, 2000.

ALVES, Giovanni. Gestão por Metas e Serviço Público: A Degradação do Trabalho no Brasil Neoliberal. Marília: Praxis, 2021.

ANTUNES, Ricardo. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.

ANTUNES, Ricardo. Os Sentidos do Trabalho: Ensaios sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2007.

ANTUNES, Ricardo (org). Uberização, trabalho digital e Indústria 4.0. São Paulo: Boitempo, 2020.

ARRUDA, Lara Vitória Cavalcante; MONTEZUMA, Talita de Fátima Pereira Furtado. Direitos flexibilizados: análise da reforma trabalhista face à proteção do mercado da mulher. InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 5, n. 2, p. 132-165, 2019.

BARISON, Thiago. A estrutura sindical de Estado no Brasil e o controle do judiciário após a Constituição de 1988. 2014. 247 f. São Paulo: Programa de Pós-Graduação (Doutorado) em Direito da Universidade de São Paulo, 2014.

BATISTA, Flávio Roberto. Sujeito de direito, indivíduo e coletividade: apontamentos críticos sobre o princípio da autonomia privada coletiva no direito sindical. In: FURLAN, Valéria (org.). Sujeito no direito: história e perspectivas para o século XXI. Curitiba: CRV, 2012, p. 245-255.

BATISTA, Flávio Roberto. Em busca de um método para a produção de conhecimento sobre a greve: o materialismo histórico-dialético e sua relação com a empira. InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 2, n. 1, p.138-162, 2016.

BATISTA, Flávio Roberto; SEFERIAN, Gustavo. Financiamento sindical, direito do trabalho e crise: aproximações empíricas ao tema da funcionalidade do direito do trabalho para o capitalismo. Revista Direito e Práxis, Rio de Janeiro, v. 11, n. 4, p. 2669-2695, dez. 2020.

BOITO JÚNIOR, Armando. Hegemonia neoliberal e sindicalismo no Brasil. Crítica Marxista, São Paulo, Editora Brasiliense, n. 3, 1996.

BRAGA, Ruy. A política do precariado: do populismo à hegemonia lulista. São Paulo: Boitempo, 2012.

BRAGA, Ruy. A rebeldia do precariado: trabalho e neoliberalismo no sul global. São Paulo: Boitempo, 2017.

BRASIL, Mariane Lima Borges. ANDRADE, Odara Gonzaga de. A ilegalidade do trabalho prisional: análise da legalidade da mercantilização da pobreza e a crítica à forma jurídica. InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 5, n. 2, p. 101-131, 2019.

BRASIL DE FATO. Maior greve geral da história do país contou com 40 milhões de brasileiros. Publicado em 28.04.2017. Disponível em: < https://www.brasildefato.com.br/2017/04/29/40-milhoes-param-no-pais-ato-em-sp-reune-70-mil-e-termina-com-repressao-da-pm/ >.

CHAPADEIRO, Bruno. Trabalho e gestão através do cinema. Bauru: Canal 6, 2013.

CNN. Cerca de 11,4 milhões de brasileiros dependem de aplicativos para ter uma renda. Publicado em 12.04.2022. Disponível em: < https://www.cnnbrasil.com.br/business/cerca-de-11-4-milhoes-de-brasileiros-dependem-de-aplicativos-para-ter-uma-renda/ >.

COZERO, Paula Talita. Capitalismo dependente e sindicalismo expropriado: relações coletivas de trabalho sob o acirramento do neoliberalismo jurídico no Brasil (2015-2020). Curitiba: Programa de Pós-graduação (Doutorado) em Direito, Setor de Ciências Jurídicas, da Universidade Federal do Paraná, 2021.

COUTINHO, Grijalbo Fernandes. Justiça política do capital: a desconstrução do direito do trabalho por meio de decisões judiciais. São Paulo: Tirant Brasil, 2021.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIECONÔMICOS – DIEESE. Balanço das greves em 2020. Estudos e pesquisas, Brasília, nº 99, maio 2021. Disponível em: < https://www.dieese.org.br/balancodasgreves/2021/estPesq99greves2021.html>. Acesso em: 07 jun. 2022.

DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIECONÔMICOS – DIEESE. Estudos e pesquisas, n. 100, 9 de setembro de 2021. Disponível em: < https://www.dieese.org.br/balancodasgreves/2021/estPesq100greves1sem21.pdf >.

DOMINGUES, Alice Maciel. A Constituinte de 1987/1988 e os movimentos sindicais: das lutas sociais ao texto positivado. InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 5, n. 2, p.38-74, 2019.

DRUCK, Graça et alii. A terceirização no serviço público: particularidades e implicações. In: CAMPOS, André Gambier. Terceirização do trabalho no Brasil: novas e distintas perspectivas para o debate. Brasília: Ipea, 2018.

DUTRA, Renata Queiroz. Trabalho, regulação e cidadania: a dialética da regulação social do trabalho em call centers na Região Metropolitana de Salvador. 2017. 388 f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-graduação em Direito. Universidade de Brasília, Brasília, 2017.

DUTRA, Renata Queiroz. MACHADO, Sidnei. O Supremo e a Reforma Trabalhista: a construção jurisprudencial da Reforma Trabalhista de 2017 pelo Supremo Tribunal Federal. Porto Alegre: Fi, 2021.

EDELMAN, Bernard. A legalização da classe operária. Tradução coordenada por Marcus Orione. São Paulo: Boitempo, 2016

FERNANDES, Florestan. Capitalismo dependente e classes sociais na América Latina. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1975.

FILGUEIRAS, Vítor Araújo. “É tudo novo”, de novo: As narrativas sobre grandes mudanças no mundo do trabalho como ferramenta do capital. São Paulo: Boitempo, 2021.

FONTES, Virgínia. Marx, expropriações e capital monetário: notas para o estudo do imperialismo tardio. Crítica Marxista, São Paulo, v. 1, n. 26, p. 9-31, 2008.

GALVÃO, Andréia. Reforma trabalhista: efeitos e perspectivas para os sindicatos. In: KREIN, José Dari; OLIVEIRA, Roberto Véras de; FILGUEIRAS, Vitor Araújo. Reforma trabalhista no Brasil: promessas e realidade. Campinas: Curt Nimuendajú, 2019, p. 199-223.

GUEDES, Raquel da Silva. "O professor acha que eu não deveria estar ali": o feminino e o desafio profissional na ciência e tecnologia. InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 3, n. 1, p. 441-465, 2017.

HELOANI, Roberto; BARRETO, Margarida. Assédio moral: gestão por humilhação. Curitiba: Juruá, 2018.

LAPOLLI, Édis Mafra. GOMES, Roberto Kern. Práticas intraempreendedoras na gestão pública: um estudo de caso na Embrapa. Estudos Avançados, v. 31, n. 90, p.127-142, 2017.

LEONE, Eugênia Troncoso; TEIXEIRA, Marilane Oliveira. As mulheres no mercado de trabalho e na organização sindical. Anais do XVII Encontro Nacional de Estudos Populacionais, Caxambu, Minas Gerais, Brasil, 2010. Disponível em: <http://www.abep.org.br/~abeporgb/publicacoes/index.php/anais/article/view/2289/2243>. Acesso em: 10 maio 2022.

LÚCIO, Clemente Ganz. Caminhos para os sindicatos construírem seu futuro em um mundo do trabalho em mudança. In: Agência DIAP, 17 abr. 2021b. Disponível em: <http://fnttaa.org.br/website/mais/noticias/6495-caminhos-para-os-sindicatos-construirem-seu-futuro-em-um-mundo-do-trabalho-em-mudanca>. Acesso: 30 abr. 2021.

MACHADO, Sidnei. Negociação coletiva no Brasil: entre desarticulação e reinstitucionalização. Teoria Jurídica Contemporânea, v. 6, 2021.

MELLO, Lawrence Estivalet. Crise do contrato de trabalho e ilegalidades expandidas. 2020. 450 f. Curitiba: Programa de Pós-graduação (Doutorado) em Direito, Setor de Ciências Jurídicas, da Universidade Federal do Paraná, 2020.

MENEZES, Cláudio Armando Couce. Assédio moral e seus efeitos jurídicos. Publicado em 25 abr. 2010. Disponível em < http://jus.com.br/artigos/14748/assedio-moral-e-seus-efeitos-juridicos >.

MODA, Felipe. GONSALES, Marco. Por dentro da mobilização global dos motoristas de transporte particular por aplicativo. Pensata, v. 9, n. 1, 2020.

NOGUEIRA, Claudia Mazzei. O trabalho duplicado: a divisão sexual no trabalho e na reprodução – um estudo das trabalhadoras do telemarketing. São Paulo: Expressão Popular, 2006.

OLIVEIRA, Roberto Véras de; GALVÃO, Andreia; CAMPOS, Anderson. Reforma trabalhista: impactos imediatos sobre os sindicatos e primeiras reações. Cadernos do Ceas: Revista crítica de humanidades, Salvador, n. 248, p. 668-689, set./dez. 2019.

OLIVEIRA, Ana Cláudia Lima de et alii. A pandemia de coronavírus: uma análise descritiva sobre o contexto laboral das mulheres trans. InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 7, n. 2, p.126-148, 2021.

OXFAM. Fome avança no Brasil em 2022 e atinge 33,1 milhões de pessoas. Disponível em: < https://www.oxfam.org.br/noticias/fome-avanca-no-brasil-em-2022-e-atinge-331-milhoes-de-pessoas/ >.

PAMPLONA FILHO, Rodolfo; SANTOS, Claiz Naria Pereira Gunça dos. Assédio moral organizacional: presencial e virtual. São Paulo: Saraiva Educação, 2020.

RODRIGUES, Julia de Souza. ANTELO, Luiza Ribeiro. Crise do direito do trabalho na Era pós-socialista: uma análise da teoria da justiça de Nancy Fraser. InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 5, n. 2, p. 75-100, 2019.

OLIVEIRA, Murilo Carvalho Sampaio. CARELLLI, Rodrigo de Lacerda. GRILLO, Sayonara. Conceito e crítica das plataformas digitais de trabalho. Rev. Direito e Práxis, Rio de Janeiro, v. 11, n. 4, p. 2609-2634, 2020.

RUAS, Rhaysa. Teoria da Reprodução Social: apontamentos para uma perspectiva unitária das relações sociais capitalistas. Rev. Direito e Práxis, Rio de Janeiro, v. 12, n. 1, p. 379-415, 2020.

SANTOS, Amanda Cataldo de Souza Tilio dos. Justiça de transição e responsabilidade corporativa: o caso da Volkswagen do Brasil. InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 4, n.1, p. 216-244, 2018.

SEFERIAN, Gustavo. Contrarreformas trabalhistas e (mais) valorização da negociação coletiva no contexto da crise sanitária. Videre, v. 12, n. 25, 2020a.

SEFERIAN, Gustavo. Direito do Trabalho como barricada: sobre o uso tático da proteção jurídica das trabalhadoras e trabalhadores. Belho Horizonte: RTM, 2021.

SEFERIAN, Gustavo. Duas provocações ecossocialistas e abolicionistas à luz dos desastres empresariais de Mariana e Brumadinho. InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 5, n. 2 p. 166-187, 2019.

SEFERIAN, Gustavo. "O pulso ainda pulsa": sobre a vitalidade histórica da greve e sua reinvenção ecológica. Revista ciências do trabalho, n. 18, 2020b.

SILVA, Jair Batista da. Ação sindical e racismo: as centrais sindicais e a discriminação racial no Brasil. In: XIV Congresso Brasileiro de Sociologia, 2009, Rio de Janeiro. Anais do XIV Congresso Brasileiro de Sociologia. Rio de Janeiro: Sociedade Brasileira de Sociologia, 2009, p. 1-33.

SOUTO MAIOR, Jorge Luiz. A ilegalidade do corte de salários dos trabalhadores em greve. Publicado em agosto de 2014. Disponível em: < https://www.jorgesoutomaior.com/uploads/5/3/9/1/53916439/a_ilegalidade_do_corte_de_salários_dos_trabalhadores_em_greve.pdf >.

SOUTO MAIOR, Jorge Luiz; SEVERO, Valdete Souto. Resistência: aportes teóricos contra o retrocesso trabalhista. São Paulo: Expressão Popular, 2017.

SOUTO MAIOR, Jorge Luiz; SEVERO, Valdete Souto. Resistência II: defesa e crítica da Justiça do Trabalho. São Paulo: Expressão Popular, 2018a.

SOUTO MAIOR, Jorge Luiz; SEVERO, Valdete Souto. Resistência III: o direito do trabalho diz não à terceirização. São Paulo: Expressão Popular, 2018b.

TANCREDO, Maria Isabel. Desapropriação para fins de reforma agrária nos casos de descumprimento das funções social, ambiental e trabalhista. InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 1, n. 2, p. 176-205, 2015.

VIANA, Adriana Soares. SILVA, Rubens Alves da. A história de luta nos movimentos sindicais: práticas informacionais. InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 5, n. 2, p. 20-37, 2019.

Downloads

Publicado

31.07.2022

Como Citar

COZERO, Paula Talita; MANDI, Alexandre Tortorella; SEFERIAN, Gustavo. Uma década contra o trabalho: debates desde o direito sobre os desafios postos ao movimento de trabalhadores e trabalhadoras (2012-2022). InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 8, n. 2, p. 267–294, 2022. DOI: 10.26512/revistainsurgncia.v8i2.44036. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/insurgencia/article/view/44036. Acesso em: 22 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê "IPDMS, 10 anos de história e desafios”

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.