Composição de uma história do ensino de biologia pela análise da legislação brasileira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v22i42.47696

Palavras-chave:

História do ensino de Biologia, Educação em Ciências, História e Filosofia da Biologia

Resumo

Neste artigo, nos propomos a investigar as circunstâncias e as condições que podem ter possibilitado a constituição do ensino de Biologia no Brasil. Para tanto, nos utilizamos da coleção de leis (que inclui cartas, alvarás e outras normas) do período imperial brasileiro (1822-1889). Como ferramenta investigativa, nos aproximamos do método arqueológico de Michel Foucault, especificamente da noção de acontecimento. Identificamos os seguintes acontecimentos: 1) criação de espaços/locais, como hortos, gabinetes, laboratórios incentivados, promovidos ou financiados pelo Estado para a circulação dos saberes das Ciências Naturais; 2) a inserção de matérias/disciplinas nos planos ou grades curriculares de instituições de ensino, como as portarias e regulamentos que tratam das instituições Pedro II e Minas, escolas normais e os colégios militares; 3) e o engajamento de pessoas especializadas, em que exigiu sujeitos especializados ou envolvidos com os conhecimentos do campo das Ciências Naturais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Peterson Fernando Kepps da Silva, Universidade Federal do Rio Grande

Professor de Ciências e Biologia licenciado pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG), Especialização em Educação com Ênfase nos Ensinos Fundamental II e Médio; Mestre e Doutor em Educação em Ciências pelo Programa de pós-graduação em Educação em Ciências da FURG. Atualmente é professor de Ciências da rede municipal de Pelotas; tutor no curso de Licenciatura em Ciências da FURG; e integrante do Grupo de Pesquisa em Educação em Ciência (PEmCie). Temas de interesse e pesquisa são: Educação em Ciências; Ensino de Ciências e Biologia; Currículo e cotidiano escolar; e História e Filosofia da Ciência e Biologia.

Lavínia Schwantes, Universidade Federal do Rio Grande

Licenciada e bacharel em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Doutora em Educação em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande. Atualmente, professora adjunta da Universidade Federal do Rio Grande (FURG) no curso de Licenciatura em Ciências Biológicas e coordenadora adjunta do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências (PPGEC/FURG). Tem experiência e interesse na área de Educação em Ciências, atuando principalmente nos seguintes temas: educação em ciência, formação de professores, história e filosofia da ciência, e ensino de Biologia. Pesquisadora-líder do Grupo de Pesquisa em Educação em Ciências (PEmCie), lotado no Centro de Educação Ambiental e Ensino de Ciências e Matemática (CEAMECIM) da FURG. O PEmCie desenvolve projetos e estudos em filosofia, história e educação em ciência e faz divulgação científica no blog https://www.blogs.unicamp.br/pemcie/) e no podcast Pensando com PEmCie

Referências

ABSOLON, Bruno Araújo; FIGUEIREDO, Francisco José; GALLO, Valéria. O primeiro Gabinete de História Natural do Brasil (“Casa dos Pássaros”) e a contribuição de Francisco Xavier Cardoso Caldeira. Filosofia e História da Biologia, v. 13, n. 1, p. 1-22, 2018. Disponível em: <https://www.abfhib.org/FHB/FHB-13-1/FHB-13-01-01-Bruno-Araujo-Absolon-et-al.pdf>. Acesso em: 21 abr. 2021.

BRAGA, Marco; GUERRA, Andreia; REIS, José Carlos. Breve história da ciência moderna: das luzes ao sonho do doutor Frankenstein. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

CASTANHA, André Paulo. Regimento interno das escolas públicas da corte de 1883: uma síntese da educação imperial. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. esp., p. 282-296, 2012. Disponível em: <https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640123/7682>. Acesso em: 21 abr. 2021.

CHASSOT, Áttico. A ciência através dos tempos. São Paulo: Moderna, 1994.

DOMINGUES, Heloísa Maria Bertol. Ciência, um caso de política: as relações entre as ciências naturais e a agricultura no Brasil Império. Resgate: Revista Interdisciplinar De Cultura, v. 6, n. 1, p. 121-126, 1997. Disponível em: <https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/resgate/article/view/8645533/12838>. Acesso em: 21 abr. 2021.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2017.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso: aula inaugural no Collége de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade: curso no Collège de France (1975-1976). São Paulo: Martins Fontes, 1999.

FOUCAULT, Michel. Verdade e poder. In: FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015a, p. 35-54.

FOUCAULT, Michel. Nietzsche, a genealogia e a história. In: FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015b, p. 55-86.

LIMEIRA, Aline de Morais; NASCIMENTO, Fátima. Entre o altar e o trono: iniciativas de escolarização na capital imperial. História da Educação, n. 38, v. 16, p. 167-198, 2012. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/scielo.php?pid=S2236-34592012000200167&script=sci_abstract. Acesso em: 29 set. 2022.

LORENZ, Karl M. Os livros didáticos de ciências na escola secundária brasileira: 1900 a 1950. Revista Educar, n. 10, p. 71-79, 1995. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/er/n10/n10a10.pdf>. Acesso em: 21 abr. 2021.

MACHADO, Roberto. Foucault, a ciência e o saber. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.

MAPA. Memória da Administração Pública Brasileira. Academia Imperial Militar. 2016. Disponível em:< http://mapa.arquivonacional.gov.br/index.php/menu-de-categorias-2/244-academia-imperial-militar>. Acesso em: 15 mai. 2019.

MARANDINO, Martha. SELLES, Sandra Escovedi. FERREIRA, Marcia Serra. Ensino de Biologia: histórias e práticas em diferentes espaços educativos. São Paulo: Cortez, 2009.

ULIANA, Edna Regina. Histórico do curso de Ciências Biológicas no Brasil e em Mato Grosso. In: VI COLÓQUIO INTERNACIONAL EDUCAÇÃO E CONTEMPORANEIDADE, 2012, São Cristovão. Anais... São Cristovão: UFU, 2008. p. 1-14. Disponível em: <http://educonse.com.br/2012/eixo_06/PDF/34.pdf>. Acesso em: 30 abr. 2019.

VEYNE, Paul Marie. Como se escreve a história. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1992.

ZOTTI, Solange Aparecida. Sociedade, educação e currículo no Brasil: dos jesuítas aos anos de 1980. Brasília, DF: Editora Plano, 2004.

Downloads

Publicado

2023-12-22

Como Citar

SILVA, Peterson Fernando Kepps da; SCHWANTES, Lavínia. Composição de uma história do ensino de biologia pela análise da legislação brasileira. Em Tempo de Histórias, [S. l.], v. 22, n. 42, p. 129–144, 2023. DOI: 10.26512/emtempos.v22i42.47696. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/47696. Acesso em: 15 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.