O documentário Dzi Croquettes (2009) e a construção de uma memória marginal, do subterrâneo e do esquecimento sobre a contracultura na ditadura civil-militar no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v1i37.33701

Palavras-chave:

Memória. Documentário. Cinema

Resumo

O presente artigo objetiva compreender a importância do documentário Dzi Croquettes (2009) como elemento de resgate de uma memória na historiografia da contracultura na década de 1970, buscando destacar não apenas o seu papel como elemento que retira o grupo teatral que dá nome ao filme do esquecimento, mas também como efetiva este processo de recuperação. De tal maneira, objetiva-se levar em conta não apenas como a memória e a dimensão pessoal se tornam pedras angulares na narrativa, mas como também a influenciam na forma como é transmitida ao público, destacando a posição do documentário entre uma posição de recuparação do passado e sua idealização e apreender como determinados aspectos são ignorados para se monumentalizar um passado para os espectadores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADORNO,Theodor; HORKHEIMER, Max. A indústria cultural: o iluminismo como mistificação de massas. In: THEODOR, Adorno. Indústria Cultural e Sociedade. Tradução de Juba Elisabeth Levy. 5. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2009, p.5-49.

BARROS, José D’Assunção. Cinema-História: Múltiplos aspectos de uma relação. In: Dispositiva ”“ Revista do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social, Belo Horizonte, v.3, n.1, p.17-40, 2014. Disponível em: <http://periodicos.pucminas.br/index.php/dispositiva/article/view/11551/9291>. Acessado em 01 dez. 2019.

BRAGA, Cíntia Guedes. Desejos desviantes e imagens cinematográficas: a construção da subjetividade não heterossexual no cinema brasileiro contemporâneo. 2015. 150f. Dissertação (Mestrado em Cultura e Sociedade). Instituto de Humanidades, Artes e Ciências, Universidade Federal da Bahia, 2015.

CAPELLARI, Marcos Alexandre. O Discurso da Contracultura no Brasil: o underground através de Luiz Carlos Maciel (c.1970). 2007. 248p. Tese (Doutorado em História Social) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. Disponível em: <https://teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-14052008-132129/publico/TESE_MARCOS_ALEXANDRE_CAPELLARI.pdf>. Acessado em: 13 fev. 2017.

CASTELO BRANCO, Edwar de Alencar. Ele é o homem, eu sou apenas uma mulher: corpo, gênero e sexualidade entre as vanguardas tropicalistas. 2006. In: Fazendo Gênero, 7., Gênero e Preconceitos. Anais Eeletrônicos. Florianópolis: UFSC, 2006, p.1-7. Disponível em: <http://www.fazendogenero.ufsc.br/7/artigos/E/Edwar_de_Alencar_Castelo_Branco_16.pdf >. Acessado em: 08 jul. 2019, Ã s 13h36min.

CORDEIRO, Janaína Martins. Anos de chumbo ou anos de ouro? A memória social sobre o governo Médici. In: Estudos Históricos. Rio de Janeiro, v.22, n.43, p.85-104, jan-jun. 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/eh/v22n43/v22n43a05.pdf>. Acessado em 23 dez. 2019.

DINIZ, Sheyla Castro. Desbundados e Marginais: A MPB “pós-tropicalista” no contexto dos Anos de Chumbo. In: Congresso Internacional da Brazilian Studies Association, 12., Anais Eletrônicos. Londres: King’s College, 2016, p.1-15. Disponível em: <http://www.brasa.org/wordpress/Documents/BRASA_XII/Proceedings/Sheyla%20Castro%20Diniz%20-%20Desbundados%20e%20Marginais.pdf>. Acessado em 23 dez. 2019.

DZI CROQUETTES. Direção: Tatiana Issa e Raphael Alvarez. Produção: TRIA PRODUCTIONS e Produções Artísticas e Canal Brasil. Roteiro de Tatiana Issa e Raphael Alvarez. Rio de Janeiro: TRIA PRODUCTIONS e Produções Artísticas. Distribuição: Imovision, 2009. 110 min., son., color. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=OGrIMj-4UWc>. Acessado em 13 abr. 2019.

EISENSTEIN, Serguei Mikhailovitch. Reflexões de um cineasta. Tradução de Gustavo A. Dória. 1. ed. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1969, p.151.

ENTREVISTA com Tatiana Issa e Raphael Alvarez. [S.l]: Saraiva Conteúdo, 2010. (6min48seg). Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=XINnOZpoDc0>. Acessado em 11 set. 2019..

FACCHINI, Regina. Múltiplas identidades, diferentementes enquadramentos e visibilidades: um olhar para os 40 anos do movimento LGBT. In: GREEN, James et al. História do Movimento LGBT no Brasil. 1. ed: São Paulo: Alameda, 2018, p.311-329.

GINZBURG, Carlo. O queijo e os vermes ”“ O cotidiano de um moleiro perseguida pela Inquisição. Tradução de Maria Betânia Amoroso. 1. ed. São Paulo: Companhia de Bolso, 2006.

GRAMSCI, Antonio. Caderno 25 (1934): Às margens da história (História dos grupos sociais subalternos). In: ______. Cadernos do Cárcere ”“ Volume 5: O Risorgimento: Notas sobre a História da Itália. Tradução de Luiz Sérgio Henriques. 1ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002, p.129-145.

GREEN, James Naylor. Revolucionário e gay: a vida extraordinária de Herbert Daniel ”“ pioneiro na luta pela democracia, diversidade e inclusão. Tradução de Marília Sette Câmara. 1. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2018.

GUILHERMETI, Paulo; KNUPPEL, Maria Aparecida Crissi. Memória, Esquecimento e Experiência nos Meios de Comunicação: apontamentos a partir da teoria crítica. In: Encontro Nacional de História da Mídia, 8. Anais Eletrônicos. Guaruapuava: Unicentro, 2011, p.1-10. Disponível em: <http://www.ufrgs.br/alcar/encontros-nacionais-1/encontros-nacionais/8o-encontro-2011-1/artigos/Memoria-%20esquecimento%20e%20experiencia%20nos%20meios%20de%20comunicacao%20apontamentos%20a%20partir%20da%20teoria%20critica.pdf/view>. Acessado em 13 abr. 2020.

GUTFREIND, Cristiane Freitas. O cinema como objeto de comunicação histórica. In: Revista Fronteiras ”“ Estudos Midiáticos, São Leopoldo, v.2, n.1, p.47-52, 2005. Disponível em: <http://revistas.unisinos.br/index.php/fronteiras/article/view/6383>. Acessado em 24 dez. 2019.

HOLLANDA, Heloísa Buarque de. Impressões de viagem: CPC, vanguarda e desbunde, 1960/1970. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1981.

ISIDIO, Jean. O cinema e a indústria cultural. In: VIANA, Nildo (org). Indústria Cultural e Cultura Mercantil. 1. ed. Corifeu: Rio de Janeiro, 2007, p.56-65.

MARTIN, Marcel. A linguagem cinematográfica. Tradução de Paulo Neves. 1. ed. São Paulo: Brasiliense, 2003.

MENEZES, Paulo Roberto Arruda de. Cinema: Imagem e Interpretação. In: Tempo Social: Revista de Sociologia da USP, São Paulo, vol. 8, n.2, 1996, p.83-104. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/ts/article/view/86299/88961>. Acessado em 01 dez. 2019.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. O anticomunismo militar. In: UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ”“ UFRJ et al. 1964-2004: 40 anos do golpe. Ditadura militar e resistência no Brasil. 1ª ed. Rio de Janeiro: 7 Letras/FAPERJ, 2004, p. 292.

NAPOLITANO, Marcos. A História depois do papel. In: PINSKY, Carla Bassanezi (Org). Fontes Históricas. São Paulo: Contexto, 2005. p.235-289.

NICHOLS, Bill. Introdução ao documentário. Tradução de Mônica Saddy Martins. 5. ed. São Paulo: Papirus, 2010.

NORA, Pierre. Entre Memória e História ”“ A problemática dos lugares. Tradução: Yara Aun Khoury. In: Projeto História ”“ Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados de História, São Paulo, v.10, p.7-28, jul./dez. 1993. Disponível em: <https://revistas.pucsp.br/index.php/revph/article/view/12101>. Acessado em 25 abr. 2019.

OCANHA, Rafael. Amor, Feijão, Abaixo Camburão ”“ Imprensa, Violência e Trottoir em São Pulo (1979-1983). 2014. 217p. Dissertação (Mestrado em História). Pontífica Universidade Católica, São Paulo, 2014. Disponível em: <https://sapientia.pucsp.br/bitstream/handle/12830/1/Rafael%20Freitas%20Ocanha.pdf>. Acessado em: 9 de fev. 2017

PARKER, Richard. História de duas cidades. In: ______. Abaixo do equador ”“ Culturas do desejo, homossexualidade masculina e comunidade gay no Brasil. Tradução de Ryta Vinagre. 1. ed. Rio de Janeiro: Record, 2002. cap.5.

PEREIRA JUNIOR, Jurandir Eduardo. Nem homem, nem mulher, gente: trajetória do grupo Dzi Croquettes entre o passado e reflexões no presente. 2016. 207f. Dissertação (Mestrado em Teatro) ”“ Departamento de Arte, Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis. Disponível em: <http://sistemabu.udesc.br/pergamumweb/vinculos/000013/00001333.pdf>. Acessado em 27 mar. 2019.

POLLAK, Michael. Memória, Esquecimento, Silêncio. In: Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 2. n. 3, 1989, p.3-15. Disponível em: <http://www.uel.br/cch/cdph/arqtxt/Memoria_esquecimento_silencio.pdf>. Acessado em 2 abr. 2019.

PRYSTHON, Â. F. O subalterno na tela: um novo cânone para o cinema brasileiro? 2004. In: Encontro Anual da Compós, 13., Anais Eletrônicos. São Bernardo dos Campos: Universidade Metodista de São Paulo. 2004. Disponível em: <http://www.compos.org.br/data/biblioteca_607.pdf>. Acessado em 30 nov. 2019.

SEIXAS, Xosé Pereira Nuñez. La Historia Social ante el domínio de la Historia Social. In: Historia Social, Valencia, n.60, 2008, p.177-184.

SELIPRANDY, Fernando. Documentário e memória intergeracional das ditaduras do Cone Sul. 2018. 378p. Tese (Doutorado em História Social) ”“ Faculdade Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018. Disponível em: <https://teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-25092018-125808/publico/2018_FernandoSeliprandy_VCorr.pdf>. Acessado em 25. dez. 2019.

SETEMY, Adrianna Cristina Lopes. Vigilantes da moral e dos bons costumes: condições sociais e culturais para a estruturação política da censura durante a ditadura militar. In: Topoi ”“ Revista de História: Programa de Pós-Graduação em História Social da UFRJ, Rio de Janeiro, vol.19, n.37, p.171-197, jan./abr. 2018. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/topoi/v19n37/2237-101X-topoi-19-37-171.pdf>. Acessado em 22 dez. 2019.

SORLIN, Pierre. Sociologie du Cinéma. 1ª ed. Paris: Aubier, 1977.

THOMPSON, John Brookshire. Mídia e Modernidade. Tradução de Wagner de Oliveira Brandão. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 1998.

VICENTE, Keides Batista. Nos não somos mulheres também não, (...) nós somos gente. Androgenia, dança e contestação política durante a Ditadura Militar no Brasil. 2013. In: Simpósio Nacional de História, 27., Anais Eletrônicos. Natal: UFRN, 2013. Disponível em: < http://www.snh2013.anpuh.org/resources/anais/27/1364168062_ARQUIVO_anphu2013.pdf >. Acessado em: 17 jun. 2017.

WILLIAMS, Raymond. Base e superestrutura na teoria da cultura marxista. In: ______. Cultura e materialismo. Tradução de André Glaser. 1ª ed. São Paulo: Editora UNESP, 2011.

Downloads

Publicado

2020-12-03

Como Citar

CHIRILÃ, A. O documentário Dzi Croquettes (2009) e a construção de uma memória marginal, do subterrâneo e do esquecimento sobre a contracultura na ditadura civil-militar no Brasil. Em Tempo de Histórias, [S. l.], v. 1, n. 37, 2020. DOI: 10.26512/emtempos.v1i37.33701. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/33701. Acesso em: 8 ago. 2022.