Ensino de História sob um olhar interseccional

considerações sobre relatos de estudantes negras do Sul do Pará

Autores

  • Andréia Costa Souza
  • Dernival Venâncio Ramos Júnior Professor adjunto da Universidade Federal do Tocantins

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v1i36.31771

Palavras-chave:

Ensino de História. Interseccionalidade. Estudantes negras.

Resumo

Este artigo apresenta parte das discussões resultantes de uma pesquisa de mestrado no campo do Ensino de História, que teve estudantes negras como protagonistas. Em uma turma de oitavo ano de uma escola pública de Conceição do Araguaia, Sul do Pará, realizei uma formação para o Ensino de História das Relações Étnico-raciais e de Gênero. Como parte fundamental desta formação, os relatos de três estudantes negras desvendam como mecanismos de opressão interseccional operam-se em suas relações e subjetividades. Autoras como Gonzalez (2018), Crenshaw (2002; 2012), Lugones (2008; 2014) e Kilomba (2019) foram utilizadas na discussão teórica. A experiência permitiu alcançar maior aproximação da realidade das estudantes, a fim de criar futuras e novas narrativas na prática pedagógica do Ensino de História. Narrar e ouvir as histórias umas das outras abriu a possibilidade para outro olhar, até então inédito. Um olhar interseccional sobre si mesmas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AKOTIRENE, Carla. O que é interseccionalidade? Belo Horizonte: Letramento; Justificando, 2018.
CARNEIRO, Sueli. Enegrecer o feminismo: a situação da mulher negra na América latina a partir de uma perspectiva de gênero. 2011b. Disponível em: <http://www.unicap.br/neabi/?page_id=137>. Acesso em: 18 jan. 2018.
______. Mulheres em movimento. Estudos avançados. vol.17, n.49, São Paulo, dez. 2003. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010340142003000300008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt>. Acesso em: 16 mar. 2016.
COLLINS, Patricia Hill. Epistemologia feminista negra. In: Bernadino-Costa, Joaze; MALDONADO-TORRES, Nelson; GROSFOGUEL, Ramón. (Orgs.) Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. 1ª ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2018, p.139-170.
CRENSHAW, Kimberlé. A Interseccionalidade na Discriminação de Raça e Gênero. In: Painel 1 ”“ Cruzamento Raça e Classe, 2012. Disponível em: <http://www.acaoeducativa.org.br/fdh/wpcontent/uploads/2012/09/Kimberle-Crenshaw.pdf> Acesso em: 05 abr. 2018.
____________. Documento para o Encontro de Especialistas em Aspectos da Discriminação Racial Relativos ao Gênero. Estudos Feministas, Ano 10, 1º Semestre, 2002, p.171-189.
DAVIS, Angela. As mulheres negras na construção de uma nova utopia. Texto publicado no portal Geledés ”“ Instituto da Mulher Negra em 12 jul. 2011. Disponível em: <https://www.geledes.org.br/as-mulheres-negras-na-construcao-de-uma-nova-utopia-angela-davis/>. Acesso em: 24 mar. 2018.
______. Mulheres, raça e classe. Tradução: Heci Regina Candiani. 1ª ed. São Paulo: Boitempo, 2016.
FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática pedagógica. São Paulo: Ed. Paz e Terra, 1996.
GATTI, Bernadete. A. Grupo focal na pesquisa em Ciências Sociais e Humanas. Brasília: Liber Editora, 2005.
GONZALEZ, Lélia. Primavera para as rosas negras: Lélia Gonzalez em primeira pessoa. 1ª ed. Diáspora Africana: Editora Filhos da África, 2018.
HALL, Stuart. Quem precisa de identidade? In: SILVA, Tomaz Tadeu da; HALL, Stuart; WOODWARD, Kathryn (Orgs.). Identidade e Diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Tradução: Tomaz Tadeu da Silva. Petrópolis: Editora Vozes, 2013, p. 103-133.
HOOKS, bell. Intelectuais Negras. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 3, n. 2, p. 464, jan. 1995. ISSN 1806-9584. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/16465>. Acesso em: 17 nov. 2018.
________. Ensinando a transgredir: a educação como prática de liberdade. 2ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2017.
KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. Tradução: Jess Oliveira. 1ª ed. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.
LUGONES, María. Colonialidad y Género. Tabula Rasa ”“ Colômbia, Nº9, 75-101, jul./dez., 2008. Disponível em: <http://www.revistatabularasa.org/numero-9/05lugones.pdf>. Acesso em: 20 jan. 2019.
__________. Rumo a um feminismo descolonial. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 22, n. 3, p. 935-952, set. 2014. ISSN 1806-9584. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/36755>. Acesso em: 10 abr. 2018.
QUIJANO, Anibal. Colonialidade do poder, Eurocentrismo e America Latina. In: LANDER, Edgardo. (org.) A Colonialidade do Saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas Latino-americanas. Clacso, Consejo Latinoamericano de Ciências Socialies, Ciudad Autônoma de Buenos Aires, Argentina, 2005, p.105-127.
RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala? Belo Horizonte: Letramento: Justificando, 2017.

Downloads

Publicado

2020-07-04

Como Citar

COSTA SOUZA , . A. .; VENÂNCIO RAMOS JÚNIOR, D. . Ensino de História sob um olhar interseccional: considerações sobre relatos de estudantes negras do Sul do Pará. Em Tempo de Histórias, [S. l.], v. 1, n. 36, 2020. DOI: 10.26512/emtempos.v1i36.31771. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/31771. Acesso em: 7 dez. 2022.