A pesquisa na formação de tradutores: pesquisa-ação em contextos pedagógicos específicos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/belasinfieis.v10.n2.2021.33607

Palavras-chave:

Didática de tradução. Ensino/aprendizagem de tradução. Pesquisa em sala de aula. Material didático.

Resumo

A ausência de tradição de pesquisa sobre a construção do processo de ensino-aprendizagem de tradução foi apontada recentemente por Echeverri (2018), que chamou a atenção para as portas fechadas da sala de aula, a que ele se referiu como “última fronteira a ser superada”. Segundo o autor, esse tipo de investigação permitiria aos pesquisadores interessados em pedagogia e didática da tradução avançar a formação de tradutores, para além de relatos de experiência didática, que, embora relevantes para o levantamento de questões oriundas da sala de aula de tradução, não resultam de pesquisa informada teoricamente e não refletem a complexidade das questões teórico-pedagógicas do ensino-aprendizagem de tradução. Nesse cenário, e buscando contribuir para o avanço das pesquisas nessa área, este artigo apresenta a configuração e os resultados de três pesquisas de doutorado, realizadas na sala de aula de tradução, em três contextos pedagógicos específicos. Tais pesquisas compartilham aspectos em comum, a saber: os pesquisadores desenvolveram a pesquisa a partir de sua prática como professores em salas-de-aula de tradução; os materiais didáticos foram elaborados com base no mesmo quadro teórico composto (pesquisa-ação; formação por competências; didática de tradução; metodologias ativas; tarefas de tradução); a análise dos dados obtidos foi efetuada  de modo similar, sendo duas delas apoiadas nos procedimentos da Análise de Conteúdo (Bardin, 2016). Os resultados, apesar da especificidade das situações pedagógicas, apontam para denominadores comuns, quais sejam: (i) as questões surgidas da prática de sala de aula e examinadas a partir de quadros teóricos e metodológicos bem definidos podem oferecer uma compreensão mais ampla do processo envolvido no ensino-aprendizagem de tradução; (ii) a pesquisa-ação em sala de aula de tradução pode contribuir para a formação do pesquisador-professor, como resultado de seu engajamento no planejamento curricular (elaboração de programas de ensino) e seu amadurecimento profissional decorrente de prática educacional reflexiva (Viana, 2007);

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Lúcia Barbosa de VASCONCELLOS, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora titular na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Doutora em Inglês: Estudos Linguísticos e Literários (1997) pela Universidade Federal de Santa Catarina. Mestre em Estudos Literários (1987) pela Universidade Federal de Minas Gerais. Especialista em Letras Inglês (1983) e Graduada em Letras (1970) pela Universidade Federal de Minas Gerais.  Realizou pesquisa de pós-doutorado na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2011) e na Universitat Autònoma de Barcelona (2012), Espanha. Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão, Departamento de Língua e Literatura Estrangeiras. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. 

Edelweiss Vitol GYSEL, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Professora na  Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri. Doutora (2017) e Mestra (2013) em Estudos da Tradução (2017) pela Universidade Federal de Santa Catarina. Graduada em Letras Inglês (2009) pela  mesma instituição. Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, Faculdade Interdisciplinar em Humanidades, Departamento de Letras. Diamantina, Minas Gerais, Brasil

Filipe Mendes NECKEL, Universidade Federal de Santa Catarina

Pós-doutorando no Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução (PGET) da Universidade Federal de Santa Catarina. Doutor (2019) e Mestre (2011) em Estudos da Tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina. Bacharel em Letras com habilitação em tradução Português-Alemão (2008) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão, Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. 

Lavínia Teixeira GOMES, Universidade Federal da Paraíba

Professora Adjunto II na Universidade Federal da Paraíba. Doutora em Estudos da Tradução (2019) pela Universidade Federal de Santa Catarina. Mestre em Didática de Línguas e Culturas (2004) pela Universidade Paris III Sorbonne-Nouvelle. Especialização em Didática do Francês Língua Estrangeira (2001) pela Universidade de Poitiers. Licenciada em Letras Português-Francês (2002) pela Universidade Federal da Paraíba. Universidade Federal da Paraíba, Centro de Ciências Humanas Letras e Artes, Departamento de Letras Estrangeiras Modernas. João Pessoa, Paraíba, Brasil. 

Referências

Andreu, M.; Berenguer, L.; Orero, P.; Ripoll, O. (2002). Competència traductora i ensenyament de llengües estrangeres. Quaderns: Revista de Traducció, (7), 155-165, 2002.

Ausubel, D. P. (2000). The acquisition and retention of knowledge: A cognitive view. Kluwer Academic Publishers.

Bardin, L. (2016). Análise de Conteúdo. L. A. Reto, & A. Pinheiro (Trads.). Edições 70.

Berenguer, L. (1999). Didáctica de segundas lenguas en los estudios de traducción. In A. Hurtado Albir (Ed.), La enseñanza de la traducción (pp. 9-30). Universitat Jaume I.

Bersin, J. (2004). The blended learning book: Best practices, proven methodologies and lessons learned. Pfeiffer.

Biggs, J., & Tang, C. (2007). Teaching for Quality Learning at University. Society for Research into Higher Education & Open University Press.

Brehem Cripps, J. & Hurtado Albir, A. (1999). La enseñanza de lenguas en la formación de traductores (pp. 59-70). In A. Hurtado Albir (ed.). Enseñar a traducir - Metodología en la formación de traductores e intérpretes. Edelsa.

Cantarotti, A., & Lourenço, F. M. A. (2012). Tradução: Uma abordagem de ensino/aprendizagem para o Secretariado Executivo. Revista Gestão e Secretariado, 3(1), 159-179. https://www.revistagesec.org.br/secretariado/article/view/98

Coaten, N. (2003). Blended e-learning. Educaweb, (69). http://www.educaweb.com/esp/servicios/monografico/formacionvirtual/1181076.asp

Delisle, J. (1993). La traduction raisonnée. Les Presses de l’Université d’Ottawa.

Echeverri, A. (2018). El Aprendizage activo en la formación de traductores, declaración de princípios (pp. 21-48). Formação de Tradutores: por uma pedagogia e didática de tradução no Brasil. Pontes Editores.

Galán-Mañas, A. (2009). La enseñanza de la traducción em la modalidad semipresencial [Tese doutorado, Universidade Autônoma de Barcelona].

Galán-Mañas, A. (2011). Translator Training Tools. Babel, 57(4), 414 - 429. https://benjamins.com/#catalog/journals/babel.57.4/main

Gomes, L. T. (2019). Delimitação do espaço didático do ensino de língua francesa na formação de tradutores: Fundamentos teórico-metodológicos e proposta de unidades didáticas [Tese doutorado, Universidade Federal de Santa Catarina]. http://www.bu.ufsc.br/teses/PGET0453-T.pdf

González Davies, M. (2004). Multiple voices in the Classrrom. Benjamins.

Gysel, E. V. (2013). Blogs segundo a Tipologia Textual baseada em Contexto: proposta para análise textual em Estudos da Tradução. [Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Santa Catarina]. http://tede.ufsc.br/teses/PGET0155-D.pdf

Gysel, E. V. (2017). Competência tradutória e didática de tradução no contexto do curso de secretariado executivo [Tese doutorado, Universidade Federal de Santa Catarina]. http://tede.ufsc.br/teses/PGET0360-T.pdf

Hurtado Albir, A. (1999). Enseñar a traducir: Metodología em la formación de traductores e intérpretes. Edelsa.

Hurtado Albir, A. (2005). A aquisição da competência tradutória. In F. Alves, C. Magalhães, & A. Pagano (Orgs), Competência em Tradução: Cognição e Discurso (pp. 19-57). Editora UFMG.

Hurtado Albir, A. (2007). Competence-Based Curriculum Design for Training Translators. The Interpreter and Translator Trainer, 1(2), p. 163-195.

Hurtado Albir, A. (2008). Compétence en traduction et formation par compétences. TTR: traduction, terminologie, rédaction. La formation en traduction: pédagogie, docimologie, technologies, 21(1), p. 17-64.

Hurtado Albir, A. (2011). Traducción y Traductología. Introducción a la Traductología. Cátedra.

Hurtado Albir, A. (2015). Aprender a Traducir del francés al español: Competencias y tareas para la iniciación a la traducción. Publicacions de la Universitat Jaume I.

Hurtado Albir, A. (2020). Competência tradutória e formação por competência. L. T. Gomes, & M. P. Dantas (Trads.). Cadernos de Tradução, 40(1), pp. 367-416.

Kelly, D. (2005). A Handbook for Translator Trainers. St. Jerome.

Kiraly, D. (2000). A Social Constructivist Approach to Translator Education: Empowerment from Theory to Practice. Sr. Jérôme.

Lasnier, F. (2000). Réussir la formation par compétences. Guérin.

Li, D. (2013). Teaching Business Translation: A Task-based Approach. The Interpreter and Translator Trainer, 7(1), 1-26.

Matthiessen, C. M. I. M., Teruya, K., & Lam, M. (2007). English grammar through text: text typology and grammatical patterns. Department of Linguistics, Macquarie University; Centre for Language in Social Life, Macquarie University; Systemic Meaning Modelling Group; Halliday Centre for Intelligent Applications of Language Studies, Hong Kong City University.

Melo, S.S.C. (2013). O secretário executivo e a tradução no ambiente corporativo. In XII Semisec, Construindo o futuro com maturidade profissional. FENASSEC.

Moita Lopes, L.P. (1996). Oficina de linguística aplicada: A natureza social e educacional dos processos de ensino/aprendizagem de línguas. Mercado de Letras.

Narcy-Combes, J-P. (2005). Didactique des langues et TIC: Vers une recherche-action responsable. Ophrys.

Neckel, F. M. (2019). Metalinguagem e autorregulação na formação de tradutores: Uma proposta de disciplina e material didático sob a ótica da perspectiva cognitivo-construtivista de aprendizagem [Tese doutorado, Universidade Federal de Santa Catarina]. http://www.bu.ufsc.br/teses/PGET0437-T.pdf

Nonato Junior, R. (2008). A gestão dos recursos da informação nas ciências sociais aplicadas: Uma abordagem para secretariado executivo. Revista Capital Científico do Setor de Ciências Sociais Aplicadas, 7(1), 41-54. http://revistas.unicentro.br/index.php/capitalcientifico/article/viewArticle/769

PACTE. (2003). Building a Translation Competence Model. In F. Alves (Ed.), Triangulating Translation: Perspectives in Process Oriented Research (pp. 43-66). John Benjamins.

Ronca, A. C. C. (1994). Teorias de Ensino: A Contribuição de David Ausubel. Temas em psicologia, 2(3), 91-95.

Schunk, D. H. (2012). Teorías del aprendizaje: Una perspectiva educativa. Pearson Educación.

Thiollent, M. (2011). Metodologia da pesquisa-Ação. (18. ed.). Cortez.

Tripp, D. (2005). Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação & Pesquisa, 31(3), 443-466. http://www.scielo.br/pdf/ep/v31n3/a09v31n3.pdf

Viana, N. (2007). Pesquisa-ação e ensino/aprendizagem de língua estrangeira: das implicações educacionais e sócio-políticas ao percurso metodológico de investigação. In M. L. O. Alvarez, & K. A. Silva (Orgs.), Linguística aplicada: múltiplos olhares. (pp. 233-2532). Pontes Editores.

Vigotski, L. S. (2018). A construção do pensamento e da linguagem. P. Bezerra (Trad.). (2. ed.). Editora WMF Martins Fontes.

Wertsch, J. V. (1979). From social interaction to higher psychological processes: A clarification and application of Vygotsky's theory. Human Development, 22(1), 1-22.

Wertsch, J. V. (1985). Vygotsky and the social formation of mind. Harvard University Press.

Wills, W. (1976). Perspectives and Limitations of a Didactic Framework for the Teaching of Translation. In R. W. Brislin (Ed.), Translation Applications and Research (pp. 117-137). Gardner.

Publicado

10-06-2021

Como Citar

VASCONCELLOS, Maria Lúcia Barbosa de; GYSEL, Edelweiss Vitol; NECKEL, Filipe Mendes; GOMES, Lavínia Teixeira. A pesquisa na formação de tradutores: pesquisa-ação em contextos pedagógicos específicos. Belas Infiéis, Brasília, Brasil, v. 10, n. 2, p. 01–27, 2021. DOI: 10.26512/belasinfieis.v10.n2.2021.33607. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/belasinfieis/article/view/33607. Acesso em: 24 jul. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.