O ESTADO E A DISTRIBUIÇÃO DE LIVROS PARA CRIANÇAS:

A LITERATURA TRADUZIDA NO PNBE

Autores

  • Lia Araujo Miranda de Lima Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.26512/belasinfieis.v4.n2.2015.11336

Palavras-chave:

tradução, literatura infantil, escola, Estado, PNBE

Resumo

O Estado brasileiro tem sido, historicamente, o grande cliente das editoras de livros para crianças. A literatura infantil brasileira surge, já em seus primórdios, vinculada à escolarização, e as escolas públicas são o primeiro reduto do mercado livreiro. Ao longo do pouco mais de um século de história da literatura infantil no Brasil, o papel do Estado e da instituição escolar seguem decisivos nos rumos do mercado editorial. Percorrendo essa trilha, refletiremos sobre a presença da literatura traduzida para a primeira infância (0 a 6 anos) no principal programa estatal de distribuição de livros de literatura ”“ o Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE/MEC).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

BERENBLUM, Andréa; PAIVA, Jane. Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE): leitura e bibliotecas nas escolas públicas brasileiras / Secretaria de Educação Básica, Coordenação-Geral de Materiais Didáticos. Brasília: Ministério da Educação, 2008.

EVEN-ZOHAR, Itamar. Polysystem Studies. Poetics Today,vol. 11, n. 1. The Porter Institute for Poetics and Semiotics: Tel Aviv, 1990. Disponível em: <http://www.tau.ac.il/~itamarez/works/books/ez-pss1990.pdf>. Acesso em:04out. 2014.

HALLEWELL, Lawrence. O Livro no Brasil: sua História.São Paulo:T.A. Queiroz, 1985.

KOSHIYAMA, Alice Mitika. Monteiro Lobato: intelectual, empresário, editor. São Paulo: Edusp, Com-Arte, 2006.

LAJOLO, Marisa; ZILBERMAN, Regina. Literatura infantil brasileira: História e Histórias. 6ª Ed. São Paulo: Ática, 2007.

LEFEVERE, André. Mother Courage’s cucumbers: text, system and refraction in a theory of literature. Modern language studies, v. 12, p. 3-20, 1982.

________. Translation, rewriting and the manipulation of literary fame. Londres: Routledge, 1992.

O’SULLIVAN, Emer. Internationalism, the universal child and the world of children’s literature.In:HUNT, Peter. InternationalCompanion Encyclopedia of Children’s Literature. 2nded., vol. 1. Londres e Nova Iorque: Routledge, 2004.

PAIVA, Aparecida et al. Literatura na infância: imagens e palavras. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica; Belo Horizonte: UFMG, Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita, 2008.

PAIVA, Aparecida (Org.); SOARES, Magda (Org.). Literatura infantil: políticas e concepções.Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

PERROTTI, Edmir. Confinamento cultural, infância e leitura. São Paulo: Summus, 1990.

SERRA, Elizabeth D’Ângelo (Org.). 30 anos de literatura para crianças e jovens: algumas leituras. Campinas: Mercado de Letras. Associação de Leitura do Brasil, 1998.

SOARES, G. P. Bastidores da edição literária para crianças no Brasil entreos anos 1920 e 1960: a atuação de Lourenço Filho junto à Companhia Melhoramentos. In: DUTRA, Eliana Regina de Freitas e MOLLIER, Jean-Yves. (Org.). Política, nação e edição. Brasil, Europa e Américas nos séculos XVIII-XX. O lugar dos impressos na construção da vida política. 1 ed. São Paulo: Annablume, 2006, v. 1, p. 513-531.

VIEIRA, Else Ribeiro Pires (Org.). Teorizando e contextualizando a tradução. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 1996.

ZILBERMAN, Regina. No começo, a leitura. Em Aberto, ano 16, n.69. Brasília, jan./mar. 1996.

Downloads

Publicado

2015-10-08

Como Citar

LIMA, L. A. M. de. O ESTADO E A DISTRIBUIÇÃO DE LIVROS PARA CRIANÇAS:: A LITERATURA TRADUZIDA NO PNBE. Belas Infiéis, Brasília, Brasil, v. 4, n. 2, p. 67–79, 2015. DOI: 10.26512/belasinfieis.v4.n2.2015.11336. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/belasinfieis/article/view/11336. Acesso em: 19 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos