UM LABORATÓRIO DIDÁTICO VIRTUAL DE FÍSICA NA AMAZÔNIA

Autores

  • Rubens Silva Universidade Federal do Pará
  • Márcio J. C. de Sena Secretaria de Educação do Estado do Pará
  • Antônio Silas de Oliveira Martins Secretaria de Educação do Estado do Maranhão

DOI:

https://doi.org/10.26512/rpf.v2i1.8208

Palavras-chave:

Ensino de Física, Experimentos Virtuais, Ensino Médio.

Resumo

Nossa sociedade vive em constantes processos de evolução, desta forma mudanças no cotidiano da mesma são proporcionadas pelos avanços tecnológicos. Por conseguinte, em se tratando do contexto educacional, essa evolução deve estar presente na prática educativa e o professor é o grande responsável pela inserção dessa nova realidade na escola. Logo, se os professores e alunos estão inseridos em um universo dinâmico em constante evolução, em contato com tecnologias cada vez mais avançadas, por que não introduzi-las dentro do contexto educacional? A realização de experimentos durante as aulas possui um papel importante para o ensino de Física, pois a preparação para o mundo do trabalho, das ciências e das tecnologias, em especial em uma aula de Física com atividades experimentais apresenta resultados significativos em relação ao aprendizado. Porém, os materiais utilizados no laboratório convencional nem sempre estão facilmente disponíveis em decorrência de um custo muito elevado, são de difíceis acesso e manipulação dentro da realidade de cada escola. Por conseguinte, a criação de experimentos virtuais torna-se uma alternativa para o professor vencer esses desafios. O computador já é um fator motivador para o aluno, que segundo Gaspar (2014), de acordo com a teoria de Vygotsky, para aprender é necessário pensar e para pensar a respeito de um problema o aluno necessita de estímulos. Assim, o presente estudo tem como suporte os resultados de uma pesquisa-ação quali-quantitativa, realizada após a aplicação do produto, com contribuições diversas que visam facilitar o processo de ensino-aprendizagem de Física da teoria à prática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Rubens Silva, Universidade Federal do Pará

Doutorado em Materia Condensanda. É atualmente professor adjunto IV da UFPA e do programa de pós graduação do Mestrado profissional em Ensino de Física.

Márcio J. C. de Sena, Secretaria de Educação do Estado do Pará

Mestre em Ensino de Física, professor da Educação Básica, atuando há vários anos. teve como tema de dissertação a produção de um laboratório virtual de Física para o Ennino Médio.

Antônio Silas de Oliveira Martins, Secretaria de Educação do Estado do Maranhão

Professor da Educação Básico do estado do Maranhão, mestrando profissional em ensino de física.

Referências

BRASIL. 9394/96. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. 1996.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2013.

BRASIL. Orientações Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006.

BRASIL. Parâmetro Curriculares Nacionais. Brasília: Ministério da Educação, 1999.

CAVALCANTE, M. A.; BONIZZIA, A.; GOMES, L. C. P.. Aquisição de Dados em Laboratórios de Física: um Método Simples, Fácil e de Baixo Custo para Experimentos em Mecânica. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 30, n. 2, 2501, p. 1-6, 2008.

FIOLHAIS, C.; TRINDADE, J.. Física no Computador: o Computador como uma Ferramenta no Ensino e na Aprendizagem das Ciências Físicas, Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 25, n. 3, p. 259-272, 2003.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 1993.

HOHENFELD, D. P.. A Natureza Quântica da Luz nos Laboratórios Didáticos Convencionais e Computacionais no ensino Médio. 2013. 146 f. Tese de Doutorado ”“ Instituto de Física, Universidade Federal da Bahia e Universidade Estadual de Feira de Santana, Salvador, 2013.

GASPAR, A.. Atividades Experimentais no Ensino de Física. 1ª Ed. São Paulo: Livraria da Física, 2014.

MACROMEDIA FLASH PROFISSIONAL 8, Aprendizaje de Action Script 2.0 em Flash, 1ª Ed.: Septiembre de 2005.

MEDEIROS, A.; MEDEIROS, C. F. de. Possibilidades e Limitações das Simulações Computacionais no ensino de Física. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 24, n. 2, p. 77-86, 2002.

RESNICK, R; HALLIDAY, D.. Fundamentos da Física. Vol. 1, 6ª Ed. LTC, 1996.

RESNICK, R; HALLIDAY, D.. Fundamentos da Física. Vol. 2, 6ª Ed. LTC,

TIPLER, P. A.; MOSCA, G.. Física para Cientistas e Engenheiros. Vol. 1, Rio de Janeiro: LTC, 2006.

VEIT, E. A.. Modelagem no Ensino / Aprendizagem de Física e os Novos Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino de Física, Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 24, n. 2, p. 87-96, 2002.

VIGOTSKI, L. S.. Pensamento e Linguagem. 4ª Ed. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

Downloads

Publicado

2018-03-20

Como Citar

SILVA, R.; SENA, M. J. C. de; MARTINS, A. S. de O. UM LABORATÓRIO DIDÁTICO VIRTUAL DE FÍSICA NA AMAZÔNIA. Revista do Professor de Física, [S. l.], v. 2, n. 1, 2018. DOI: 10.26512/rpf.v2i1.8208. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rpf/article/view/8208. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos