Os impactos da pandemia da Covid-19 na vida das mulheres no contexto brasileiro

sob a perspectiva de raça, classe e gênero

Autores

  • Mariana Trotta Quintans UFRJ
  • Walquiria Camilo
  • Maria Eugenia Silveira de Mello Ribeiro
  • Maria Pacheco da Costa Vieira dos Santos
  • Amanda Jorge Coelho

DOI:

https://doi.org/10.26512/insurgncia.v8i2.38578

Palavras-chave:

reprodução social; mulheres negras; trabalhadoras domésticas; covid-19.

Resumo

Após mais de um ano da eclosão da pandemia da Covid-19, vemos os efeitos colaterais da crise sanitária, econômica, social e política, que além de promover a morte de várias milhares de pessoas, intensificou as desigualdades de gênero, raça e classe. O artigo investiga alguns impactos da pandemia no trabalho de reprodução social da vida, realizado majoritariamente por mulheres no Brasil. O artigo, analisando as imbricações de classe, raça e gênero, enfatiza também os impactos da pandemia na vida das trabalhadoras domésticas no país.

Biografia do Autor

Walquiria Camilo

graduanda em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Maria Eugenia Silveira de Mello Ribeiro

advogada, mestra em políticas públicas em direitos humanos (UFRJ)

Maria Pacheco da Costa Vieira dos Santos

graduanda em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Amanda Jorge Coelho

graduanda em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Referências

ALMEIDA, Silvio. Racismo Estrutural. São Paulo: editora Pólen, 2019.

ARRUZZA, Cinzia., BHATTACHARYA, Thiti, FRASER, Nancy. Feminismo para os 99% - um manifesto. São Paulo: Boitempo, 2019.

BARREIRA, Bruno; GONZALEZ, Lauro. Efeitos do auxílio emergencial sobre a renda: Excessivas são a pobreza e a desigualdade, não o auxílio. FGV, 2021. Disponível em <https://drive.google.com/file/d/1brs1d4Pi4Inkg8CB4ZJ3mlZ9lqc1ORui/view>. Acesso em: 21 de maio de 2021.

BEVILACQUA, P. Mulheres, violência e pandemia de coronavírus. Fiocruz Minas, 2020. Disponível em: http://www.cpqrr.fiocruz.br/pg/artigo-mulheres-violencia-e-pandemia-de-coronavirus/ . Acesso em 19 maio. 2021

BHATTACHARYA, Thiti. A teoria da reprodução social e por que precisamos dela para compreender a crise do Coronavírus. In: Covid-19, Capitalismo e Crise: bibliografia comentada, LEICC/Revista Direito e Práxis, Rio de Janeiro, junho de 2020.

BRUNO, Maria Martha; DA SILVA, Vitória Régia; BOZZA MARTINS, Flávia. “Nossa lei é a que vale”: com mais de 70% das domésticas na informalidade, condições de empregadores prevalecem sobre a PEC. Gênero e Número, 2020. Disponível em <http://www.generonumero.media/nossa-lei-e-que-vale-com-mais-de-70-das-domesticas-na-informalidade-condicoes-de-empregadores-prevalecem-sobre-pec/>. Acesso em: 21 de maio de 2021.

______. BOZZA MARTINS, Flávia. Segunda categoria mais beneficiada pelo Auxílio Emergencial, trabalho doméstico perde 1,5 milhão de postos de trabalho. Gênero e Número, 2021. Disponível em: <http://www.generonumero.media/domestica-auxilio-emergencial-emprego/>. Acesso em: 21 de maio de 2021.

CISNE, Mirla. Feminismo, diversidade sexual e serviço social. São Paulo: Cortez, 2018a.

___________. Feminismo e consciência de classe no Brasil. São Paulo: Cortez, 2018b.

CRENSHAW, Kimberlé. A interseccionalidade na discriminação de Raça e Gênero. Cruzamento: raça e gênero. Painel 01. 2002.

______. Mapping the Margins: Intersectionality, Identity Politics, and Violence Against Women od Color. Stanford Law Review, Vol. 43. 1991.

DAVIS, Angela. Mulher, Raça e Classe. Boitempo: São Paulo, 2016.

DE OLHO NA QUEBRADA. Os impactos da pandemia na vida das diaristas e trabalhadoras do lar. São Paulo, 2021. Disponível em <https://drive.google.com/drive/folders/1H-Qc-vKjdGFaIUFz1ASrJmVTvGkbU1C0>. Acesso em 21 de maio de 2021.

FEDERAÇÃO NACIONAL DAS TRABALHADORAS DOMÉSTICAS. Trabalhadoras domésticas devem ser prioritárias na fila da vacina contra a Covid-19. FNATRAD, 2020. Disponível em <https://fenatrad.org.br/2021/01/26/trabalhadoras-domesticas-devem-ser-prioritarias-na-fila-da-vacina-contra-a-covid-19/>. Acesso em: 21 de maio de 2021.

FEDERICI, Silvia. O ponto zero da revolução - trabalho doméstico, reprodução e luta feminista. São Paulo: Elefante, 2019.

HIRATA, Helena. Gênero, classe e raça: interseccionalidade e consubstancialidade das relações sociais. Tempo Social, 26(1), 61-73. https://doi.org/10.1590/S0103-20702014000100005

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílio Contínua: PNAD Trimestre móvel SET-NOV 2020. IBGE, 2021. Disponível em <https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/3086/pnacm_2020_nov.pdf>. Acesso em 20 de maio de 2021.

______. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios: PNAD COVID19. IBGE, 2020. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/trabalho/27946-divulgacao-semanalpnadcovid1.html?edicao=28055&t=microdados>. Acesso em: 20 de maio de 2021.

IPEA. ONU. PINHEIRO, Luana; TOKARSKI, Carolina; VASCONCELOS, Márcia. Nota Técnica número 75: As vulnerabilidades das trabalhadoras domésticas no contexto da pandemia no contexto da pandemia de Covid-19 no Brasil, IPEA, 2020. Disponível em <http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/10077/1/NT_75_Disoc_Vulnerabilidades%20das%20Trabalhadoras%20Domesticas.pdf>. Acesso em: 20 de maio de 2021.

KERGOAT Danielè. Divisão sexual do trabalho e relações sociais de sexo. In: Dicionário crítico do Feminismo. São Paulo: Editora Unesp, 2009, p. 67- 75

LEÃO, N; MORENO, R; BIANCONI, G; FERRARI, M; ZELIC, H; SANTOS, T. Trabalho e vida das mulheres na pandemia. In: OLIVEIRA, D. A devastação do Trabalho. Brasília: Editora Positiva, 2020. p. 289 – 309.

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO. Nota Técnica Conjunta 04-2020. MPT, 2020. Disponível em: <https://mpt.mp.br/pgt/noticias/nota-tecnica-no-4-coronavirus-1.pdf>. Acesso em: 20 de maio de 2021.

OXFAM. O Vírus da Desigualdade. 2020. Disponível em https://www.oxfam.org.br/justica-social-e-economica/forum-economico-de-davos/o-virus-da-desigualdade/, acessado em 20 de maio de 2021.

PELA VIDA DAS NOSSAS MÃES. Manifesto das filhas e dos filhos de empregadas (os) domésticas (os) e diaristas. NINJA, 2020. Disponível em <https://midianinja.org/news/pela-vida-de-nossas-maes-dizem-filhas-e-filhos-de-empregadas-domesticas-em-manifesto/>. Acesso em 20 de maio de 2021.

RUAS, Rhaysa. A crise da Covid-19 e o desvelamento das dinâmicas de produção da vida no capitalismo: um comentário à Tithi Bhattacharya. In: Covid-19, Capitalismo e Crise: bibliografia comentada, LEICC/Revista Direito e Práxis, Rio de Janeiro, junho de 2020.

SANTANA, B. Trabalho, solidariedade e estratégia das mulheres negras. SEM PARAR: o trabalho e a vida das mulheres na pandemia, 2020. Disponível em: http://mulheresnapandemia. sof.org.br/trabalho-solidariedade-estratégias-mulheresnegras/. Acesso em: 21 maio. 2021

SÁNCHEZ, Patricia Karina Vergara. Sin heterosexualidad obligatoria no hay capitalismo. In: La Crítica, 2015. http://www.la-critica.org/sin-heterosexualidad-obligatoria-no-hay-capitalismo/

TEIXEIRA, M. A pandemia do coronavírus e os seus efeitos sobre as mulheres trabalhadoras. SEM PARAR: o trabalho e a vida das mulheres na pandemia, 2020. Disponível em: http:// mulheresnapandemia.sof.org.br/efeitos-pandemia-mulherestrabalhadoras/. Acesso em 21 maio. 2021.

Downloads

Publicado

31.07.2021

Como Citar

QUINTANS, Mariana Trotta; CAMILO DA ROCHA, Walquiria; SILVEIRA DE MELLO RIBEIRO, Maria Eugenia; SANTOS, Maria Pacheco da Costa Vieira dos; JORGE COELHO, Amanda. Os impactos da pandemia da Covid-19 na vida das mulheres no contexto brasileiro : sob a perspectiva de raça, classe e gênero. InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 7, n. 2, p. 287–308, 2021. DOI: 10.26512/insurgncia.v8i2.38578. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/insurgencia/article/view/38578. Acesso em: 12 jun. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.