A juventude no fogo cruzado

Autores

  • Ilana Lemos Paiva Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Gabriel Miranda Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.26512/insurgncia.v3i2.19451

Palavras-chave:

Estado penal. Juventude. Racismo. Polícia militar.

Resumo

Em Punir os pobres, Wacquant (2007) argumenta que foi desenvolvida nos Estados Unidos a tese, posteriormente adotada por outros países, de que a causa de uma infração penal reside na índole ou caráter daquele que a comete, e que a sanção implacável consiste no meio mais eficaz para coibir novas infrações. Tal pensamento, notadamente inspirado nos pressupostos liberais clássicos, conduz a práticas reducionistas e inefetivas para o trato da segurança pública ”“ como a expansão do sistema carcerário ou a militarização de espaços públicos ”“ pois centraliza sua atuação na superfície do fenômeno, escamoteando as determinações fundamentais que envolvem a produção e reprodução da criminalidade urbana. Atestar que a causa de um crime está na irresponsabilidade, no caráter ou na índole daquele que o comete significa retirar de cena as estruturas econômicas e sociais que determinam a vida dos sujeitos em sociedade. Destarte, objetiva-se no presente artigo apresentar o debate sobre segurança pública de maneira não-reducionista, reagregando a insegurança gerada pela criminalidade urbana como uma expressão da insegurança social produzida pelo esfacelamento das relações de trabalho e insuficiência ou inexistência da proteção social. Tal cenário tem colocado a juventude pobre, negra e periférica, como o grupo mais vulnerável da população, sendo o segmento mais afetado pelo Estado penal brasileiro.

Biografia do Autor

Ilana Lemos Paiva, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Professora Adjunta do Departamento de Psicologia e da Pós Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Gabriel Miranda, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Mestrando do Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio rande do Norte.

Referências

ABRAMOVAY, Mirian e FEFFERMAN, Marisa. Se ficar o bicho come.Revista Super. São Paulo: Ed. Abril 2008.
AGAMBEN, Giorgio. Homo sacer: o poder soberano e a vida nua I. Tradução de Henrique Burigo. 2ª ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.
BAO, C. E; COLOGNESE, S. A. A geração que nos critica é aquela que nos criou: gerações, juventude, mudança social, 2011. Disponível em: http://www.sbsociologia.com.br/portal/index.php?option=com_docman&task=doc_download&gid=1904&Itemid=170
BATISTA. Vera Malaguti. Adesão subjetiva à barbárie. In: Loïc Wacquant e a questão penal no capitalismo neoliberal. Rio de Janeiro: Revan, 2012.
BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, de 5 de outubro de 1988. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm>. Acesso em: 01/10/2017.
_____. Instituto brasileiro de geografia e estatística [IBGE]. (1991). Censo 1991. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censodem/default_censo1991.shtm>. Acesso em: 01/10/2017.
_____. Instituto brasileiro de geografia e estatística [IBGE]. (2010). Censo 2010. Disponível em: . Acesso em: 01/10/2017.
_____. Lei nº 11.343, de 23 de agosto de 2006. Disponível em: . Acesso em: 01/10/2017.
_____. Ministério da Justiça. (2014). Levantamento nacional de informações penitenciárias: InfoPen ”“ junho de 2014. Brasília, 2014, p. 01-147.
_____. Ministério dos Direitos Humanos ”“ MDH. Levantamento Anual Sinase 2014. Brasília: Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, 2017, p. 01-65.
CIAFARDINI, Mariano. La izquierda y el problema del delito. en Tiempos Violentos. Barbarie y decadencia civilizatoria, Herramienta, Buenos Aires, 2014, pp. 17-43.
FREITAS, M. V. Juventude e adolescência no Brasil: referências conceituais. São Paulo: Ação Educativa, 2005.
JAHAN, Selim. Human Development Report 2016. Disponível em: < http://www.br.undp.org/content/dam/brazil/docs/RelatoriosDesenvolvimento/undp-br-HDR16%20Report.pdf>. Acesso em: 01/10/2017.
LIMA, Renato Sérgio de; BUENO, Samira. 10º Anuário brasileiro de segurança pública 2016. Disponível em: < http://www.forumseguranca.org.br/storage/10_anuario_site_18-11-2016-retificado.pdf>. Acesso em 01/10/2017.
MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Manifesto Comunista. Tradução de Álvaro Pina. São Paulo: Boitempo, 2005.
MASCARO, Alysson Leandro. Estado e forma política. São Paulo: Boitempo, 2013.
PAIS, J. M. A construção sociológica da juventude: alguns contributos. Análise sociológica, 25(105/106), p. 139-165, 1990.
RODRIGUES, Thiago. “Narcotráfico e Militarização nas Américas: Vício de Guerra” In: Contexto Internacional. Rio de Janeiro, vol. 34, nº 1, janeiro/junho de 2012, p. 9-41.
MOURA, T. W., & RIBEIRO, N. C. T. Levantamento nacional de informações penitenciárias: InfoPen ”“ junho de 2014. Brasília, DF, Ministério da Justiça, 2014.
NOVAES, R. Juventude e sociedade: jogos de espelho. Revista Sociologia Especial ”“ Ciência e Vida, 1(2), 6-11, 2007.
RODRÍGUEZ ALZUETA, Esteban, “La violenta regulación del territorio en el capitalismo criminal”, en Tiempos Violentos. Barbarie y decadencia civilizatoria, Herramienta, Buenos Aires, 2014, pp. 17-43.
WACQUANT, Loïc. Punir os pobres: a nova gestão da miséria nos Estados Unidos. Tradução de Sérgio Lamarão. 3ª ed. Rio de Janeiro: Revan, 2007a.
_____. Loïc. “Rumo à militarização da marginalização urbana” In: Discursos sediciosos: crime direito e sociedade, Rio de Janeiro, ano I, nº 15/16, p. 203-220, 2007b.
WORLD HEALTH ORGANIZATION. The World Health Report: Reducing Risks, Promoting Life. Disponível em: < http://www.who.int/whr/2002/en/whr02_en.pdf?ua=1>. Acesso em: 01 de outubro de 2017.

Downloads

Publicado

14.04.2018

Como Citar

PAIVA, Ilana Lemos; MIRANDA, Gabriel. A juventude no fogo cruzado. InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 3, n. 2, p. 50–67, 2018. DOI: 10.26512/insurgncia.v3i2.19451. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/insurgencia/article/view/19451. Acesso em: 20 jul. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.