Democracia e racismo: da crise à construção de uma Democracia Antirracista

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/revistainsurgncia.v10i1.50315

Palavras-chave:

Racismo, Sistema Judicial e Branquitude, Democracia Antirracista

Resumo

O debate sobre democracia centra-se no modelo de sociedade formatada a partir de processos socioeconômicos e culturais que espelham os vários elementos sociopolíticos que a constituem. Neste contexto, a raça e o racismo devem ser considerados categorias essenciais para compreender as sociedades nacionais e as democracias modernas. O objetivo da pesquisa é estabelecer a relação entre racismo e democracia, dada a premissa de que, sem considerar aquele, não é possível construir democracia sólida, ocasionando a reprodução de estruturas hierárquicas que não articulam as demandas coletivas de forma igualitária nas instâncias decisórias da sociedade e do Estado. Foca-se na institucionalização do racismo pela branquitude no Judiciário e na proposta de reinvenção democrática antirracista.

Biografia do Autor

Hector Luis Cordeiro Vieira, Centro Universitário de Brasília, Brasília, Distrito Federal, Brasil

Doutor em Direito pela Universidade de Brasília. Possui graduação em Direito pelo Centro Universitário de Brasília (2007) e graduação em Sociologia pela Universidade de Brasília (2009). É Mestre em Direito pelo programa de Pós Graduação da Universidade de Brasília (2009), sob a linha de pesquisa: Direito, Estado e Sociedade, Políticas Públicas e Democracia. Atualmente é Advogado e Professor de Direito Constitucional e Administrativo no curso de Direito no Centro Universitário de Brasília - UniCEUB, instituição na qual também já lecionou Proteção Internacional dos Direitos Humanos e Direito Internacional dos Conflitos Armados em Relações Internacionais. Ex-Consultor Técnico do MEC/UNESCO em políticas de Educação em Direitos Humanos e Cidadania e Consultor-Chefe da Endoxa Consultoria Acadêmica e Jurídica. É o Primeiro Líder do Grupo de Pesquisa Vozes - Teoria Crítica Constitucional e dos Direitos Humanos. Foi Pesquisador do Centro de Pesquisa (CEPES) do Instituto Brasiliense de Direito Público - IDP, bem como lecionou Metodologia de Pesquisa e Direito Constitucional Social no âmbito da pós-graduação e Formação Social do Brasil e Organização do Estado na graduação. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito Constitucional, Direitos Humanos, Antropologia do Direito, Teorias Raciais, Racismo, Formas Alternativas de Administração dos Conflitos, Sociologia Jurídica, Metodologia de Pesquisa e Pesquisa Jurídica.

Tédney Moreira da Silva, Centro Universitário de Brasília, Brasília, Distrito Federal, Brasil

Doutor e Mestre em Direito pela Universidade de Brasília. Professor Universitário do Centro Universitário de Brasília.

Referências

ALMEIDA, Silvio Luiz de. O que é racismo estrutural? Belo Horizonte: Letramento, 2018.

ALMEIDA, Silvio Luiz de. Racismo Estrutural. São Paulo: Pólen, 2019.

BERNARDINO-COSTA, Joaze; GROSFOGUEL, Ramón. Decolonialidade e perspectiva negra. In: “Sociedade e Estado”, vol. 31, 2016.

BOBBIO, Norberto. Liberalismo e democracia. 6. ed. Trad. de Marco Aurélio Nogueira. São Paulo: Brasiliense, 2006. p. 44.

BONILLA-SILVA, Eduardo. Racism Without Racists: Color-blind Racism and the persistence of Racial Ineguality in the United States. Maryland: Rowman & Littlefield, 2006. p. 465-480.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 2005.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

BOURDIEU, Pierre. O Poder Simbólico. Trad. Fernando Tomaz. 13. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010.

BRASIL. Decreto-Lei nº 4.657, de 04 de setembro de 1942. Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del4657.htm. Acesso em: 01 ago. 2023.

CASTEL, Robert. et al. Desigualdade e questão social. 2. ed. São Paulo: EDUC, 2007.

CHARTIER, Roger. Pierre Bourdieu e a história – debate com José Sérgio Leite Lopes. Palestra proferida na UFRJ, Rio de Janeiro, 30 abr. 2002. p. 140.

COSTA, Sérgio. Desprovincializando a sociologia: a contribuição pós-colonial. In: Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 21, n. 60, 2006.

DOUZINAS, Costas. O fim dos direitos humanos. Tradutora: Luzia Araújo. São Leopoldo: Unisinos, 2009.

DUARTE, Evandro Charles Piza; FELIX, Andréia Salete. Escravos, viagens e navios negreiros: apontamentos sobre racismo e literatura. In: COSTA, Hilton; SILVA, Paulo Vinicius Baptista (org.). “Nota de História e Cultura Afro-Brasileiras”. 2 ed. Ponta Grossa: Editora da UEPG, 2011, v. 01, p. 169-218.

DURIGUETTO, M. L. Sociedade Civil e Democracia: um debate necessário. São Paulo: Cortez, 2007. p.75.

ESCOSTEGUY, Ana Carolina D. Cartografias dos estudos culturais. Ed. on-line. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

ESTATÍSTICAS ELEITORAIS FORNECIDAS PELO TSE PARA O ANO DE 2014, 2016 E 2018. Disponíveis em: <http://www.tse.jus.br/eleicoes/estatisticas/estatisticas-eleitorais>. Acesso em 5 nov 2018.

FANON, Frantz. Em defesa da revolução africana. Lisboa: Livraria Sá da Costa, 1980.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Trad. Renato da Silveira. Salvador: EDUFBA, 2008.

GIDDENS, Anthony. A constituição da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

GORENDER, Jacob. Brasil em preto e branco: o passado escravista que não passou. São Paulo: SENAC, 2000.

HABERMAS, Jürgen. Direito e democracia: entre facticidade e validade. Trad. de Flávio Beno Siebeneichler. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1997.

HELD, David. Modelos de Democracia. Tradução: Alexandre Sobreira Martins. Belo Horizonte: Paidéia, 1987.

IANNI, Octavio. Raças e Classes Sociais no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 2004.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Desigualdades sociais por cor ou raça no Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2022. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101972_informativo.pdf. Acesso em: 5 dez. 2023.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA (IPEA). Atlas 2023: População negra. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/atlasviolencia/publicacoes/280/atlas-2023-populacao-negra. Acesso em: 7 dez.2023.

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: Episódios de racismo cotidiano. Rio de Janeiro: Cobogó, 2020.

LASSO, Marixa. Mitos de armonía racial: Raza y republicanismo durante la era de la revolución, Colombia 1795-1831. Bogotá: Universidad de Los Andes, Facultad de Ciencias Sociales, Departamento de Historia, Ediciones Uniandes, 2013.

MENDONÇA, Ricardo Fabrino. Dimensões Democráticas Nas Jornadas De Junho: Reflexões Sobre A Compreensão de Democracia Entre Manifestantes de 2013. Rev. bras. Ci. Soc., São Paulo, v. 33, n. 98, e339707, 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69092018000300501&lng=pt&nrm=iso. Acesso em 09 nov. 2018.

MILLS, Charles W. O contrato de dominação. Meritum, Belo Horizonte, v. 8, n. 2, p.15-70, jul./dez. 2013.

MOREIRA, Adilson José. Pensando como um negro: ensaio de hermenêutica jurídica. Revista de Direito Brasileira, v.18, p. 393-420, 2017.

MOREIRA, Adilson José. Racismo Recreativo. São Paulo: Pólen, 2019.

MORLINO, Leonardo. Changes for democracy: actors, structures, processes. Oxford: OUP, 2012.

MÚNERA, Alfonso. El Fracaso de la Nación: Región, clase y raza en el Caribe colombiano (1717-1810). Bogotá, Colombia: Editorial Planeta, 2008.

NANCY, Jean-Luc. Finite and infinite democracy. In: AGAMBEN, G. et al. Democracy in what State. Nova York: Columbia University Press, 2012. p. 58.

NASCIMENTO, Abdias do. O genocídio do negro brasileiro: Processo de um Racismo Mascarado. São Paulo: Perspectiva, 2016.

PAIXÃO, Cristiano; NETTO, Menelick de Carvalho. Entre permanência e mudança: reflexões sobre o conceito de constituição. In: MOLINARO, Carlos Alberto; MILHORANZA, Mariângela Guerreiro; PORTO, Sérgio Gilberto (Coords.). Constituição, jurisdição e processo: estudos em homenagem aos 55 anos da Revista Jurídica. Sapucaia do Sul: Notadez, 2007, p. 97-109.

PAIXÃO, Marcelo; CARVANO, Luiz Marcelo (Org.). Relatório Anual das Desigualdades Raciais no Brasil: 2007-2008. Rio de Janeiro: Editora Garamond, 2008. Disponível em: http://www.laeser.ie.ufrj.br/relatorios_gerais.asp. Acesso em: 18 mar. 2011.

PIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o subalterno falar?. Trad. Sandra Regina Goulart Almeida, Marcos Pereira Feitosa, André Pereira Feitosa. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

QUEIROZ, Marcos. V. Lustosa. Constitucionalismo brasileiro e o atlântico negro: a experiência da Constituinte de 1823 diante da Revolução Haitiana. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2017.

RAMOS, Alberto Guerreiro. O negro desde dentro. In: RAMOS, Alberto Guerreiro. Introdução crítica à sociologia brasileira. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1995, p. 242-241.

RIBEIRO, Djamila. Pequeno Manual Antirracista. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

ROSA, Carla Buhrer Salles; LUIZ, Danuta Estrufika Cantoia. Democracia: tipologia, relações e expressões contemporâneas. Revista Aurora, v. 4, n. 2, 2011.

ROWN, Wendy. Undoing the demos: neoliberalism’s stealth revolution. Nova York: Zone Books, 2015.

SCHUMPETER, Joseph Alois. Capitalismo, Socialismo e Democracia. Tradução de Sérgio Góes de Paula. Rio de Janeiro: Zahar, 1984.

VAN DIJK, Teun (org.). Racismo e Discurso na América Latina. São Paulo, Contexto, 2008.

VIEIRA, Hector Luiz Cordeiro. Racismo? Que Racismo? A (des) construção jurisprudencial e doutrinária do crime de racismo. In: ANDRADE, Vera Regina Pereira de; ÁVILA, Gustavo Noronha de; CARVALHO, Gisele Mendes de. (Org.). Criminologias e Política Criminal. Florianópolis: CONPEDI, 2014, v. 1, p. 482-502.

VIEIRA, Hector Luiz Cordeiro. Os entraves de aplicação das normas universais de Direitos Humanos frente às particularidades culturais. Brasília: Programa de Pós-Graduação (Mestrado) em Direito da Universidade de Brasília, 2011.

Downloads

Publicado

31.01.2024

Como Citar

VIEIRA, Hector Luis Cordeiro; MOREIRA DA SILVA, Tédney. Democracia e racismo: da crise à construção de uma Democracia Antirracista. InSURgência: revista de direitos e movimentos sociais, Brasília, v. 10, n. 1, p. 209–232, 2024. DOI: 10.26512/revistainsurgncia.v10i1.50315. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/insurgencia/article/view/50315. Acesso em: 17 abr. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.