A mediação no Teletandem durante a pandemia da COVID-19

Autores

  • Bruna da Silva Campos UNESP - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"
  • Camila Maria da Costa Kami Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"
  • Ana Cristina Biondo Salomão Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"

DOI:

https://doi.org/10.26512/rhla.v20i1.36452

Palavras-chave:

Teletandem, Mediação, Covid-19, Pandemia, Videoconferência

Resumo

O Teletandem é uma modalidade de aprendizagem telecolaborativa de línguas mediada pelas tecnologias digitais da informação e da comunicação que promove o contato entre universitários brasileiros e estrangeiros e o intercâmbio de línguas e culturas, sendo estruturado por dois elementos: as sessões de interação e as sessões de mediação. Na Unesp Araraquara ele é realizado, habitualmente, no laboratório de idiomas. Devido ao distanciamento/isolamento social resultante da pandemia da Covid-19, o Teletandem passou a ocorrer de forma totalmente remota, o que trouxe mudanças principalmente à sessão de mediação. Este estudo, de natureza qualitativa e interpretativista, visou refletir acerca dessas mudanças ocorridas por meio da análise de dados provenientes de questionários e de transcrição das sessões de mediação. Os resultados indicam que a ferramenta WhatsApp não se mostrou eficaz para a condução das sessões de mediação, uma vez que o entrecruzamento de mensagens comprometeu o fluxo das conversas, não fomentando as reflexões sobre as questões colocadas pelas mediadoras. Em contrapartida, a mediação via Zoom assemelhou-se à mediação presencial e manteve os elementos desencadeadores de reflexão: sociointeracionismo, metacognição e compartilhamento de experiências. Tais achados poderão ser usados para se (re)pensar a organização e o alcance do Teletandem após o período pandêmico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ANDREU-FUNO, L. Teletandem: um estudo sobre identidades culturais e sessões de mediação da aprendizagem. 2015. 190f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista, Unesp, São José do Rio Preto, 2015.

CAMPOS, B. S. Estratégias de aprendizagem e Teletandem: o que os aprendizes de língua inglesa afirmam fazer para aprender neste contexto? 110f. Dissertação (Mestrado em Linguística e Língua Portuguesa) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara, Araraquara, 2018.

CAMPOS, B. S.; SALOMÃO, A. C. B. Estratégias de aprendizagem no Teletandem: o que os aprendizes de língua inglesa afirmam fazer para aprender nesse contexto? Revista Horizontes de Linguística Aplicada, Brasília, v. 18, p. 133-160, 2019. Disponível em: <https://periodicos.unb.br/index.php/horizontesla/article/view/25100/24527>. Acesso em: 15 jul. 2020.

CAVALARI, S. M. S.; ARANHA, S. The teacher’s role in telecollaborative language learning: the case of institutional integrated teletandem. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 19, p. 555-578, 2019. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/rbla/v19n3/1984-6398-rbla-19-03-555.pdf>. Acesso em: 21 jan. 2021.

COSTA, L. M. G.; SALOMÃO, A. C. B; ZAKIR, M. A. Transcultural and transcontinental telecollaboration for foreign language learning: proposals and challenges. Revista do GEL, São Paulo, v. 15, p. 26-41, 2018. Disponível em: <https://revistas.gel.org.br/rg/article/view/2434/1471>. Acesso em: 15 jul. 2020.

COUTINHO, C.; LISBÔA, E. Sociedade da informação, do conhecimento e da aprendizagem: desafios para educação no século XXI. Revista de Educação, Lisboa, v. 28, n. 1, p. 5-22, 2011. Disponível em: <http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/14854/1/Revista_Educa%c3%a7%c3%a3o%2cVolXVIII%2cn%c2%ba1_5-22.pdf>. Acesso em: 15 mar. 2016.

DÖRNYEI, Z. Research methods in Applied Linguistics. Oxford: Oxford University Press, 2007.

EVANGELISTA, M. C. R. G.; SALOMÃO. A. C. B. Mediation in Teletandem: from face to face sessions to reflective journals. Pandaemonium Germanicum, São Paulo, v. 22, n. 36, p. 153-177, 2019. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/pg/v22n36/1982-8837-pg-22-36-00153.pdf>. Acesso em: 13 jun. 2019.

GARCIA, D. N. M. A logística das sessões de interação e mediação no Teletandem com vistas ao ensino/aprendizagem de línguas estrangeiras. Estudos Linguísticos, São Paulo, v. 44, p. 725-738, 2015. Disponível em: < https://revistas.gel.org.br/estudos-linguisticos/article/view/1007/589>. Acesso em: 13 jun. 2019.

GARCIA, D. N. M.; SOUZA, G. M. Teletandem mediation on Facebook. Revista do GEL, São Paulo, v. 15, p. 155-175, 2019. Disponível em: <https://revistas.gel.org.br/rg/article/view/2400/1451>. Acesso em: 20 jan. 2021.

KERN, R.; WARE, P.; WARSCHAUER, M. Crossing frontiers: new directions in online pedagogy and research. Annual Review of Applied Linguistics, Cambridge, v. 24, n. 1, p. 243-260, 2004.

MORAES, A. L. G. Reflexão em contexto de Teletandem: uso de questões norteadoras na mediação. 2019. 64f. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Letras). Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara, Araraquara, 2019.

SALOMÃO, A. C. B. É Teletandem ou não? Considerações acerca das interações no primeiro ano de projeto. Teletandem News, v. 1, n. 2, p. 6-7, 2006.

SALOMÃO, A. C. B. A formação do formador de professores: perspectivas de colaboração entre graduandos e pós-graduandos no projeto Teletandem Brasil. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 11, n. 3, p. 653-677, 2011. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/rbla/v11n3/04.pdf>. Acesso em: 20 mar. 2017.

SALOMÃO, A. C. B. A cultura e o ensino de língua estrangeira: perspectivas para a formação continuada no Projeto Teletandem Brasil. 2012. 270f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista, Unesp, São José do Rio Preto, 2012.

SOUZA, R. A. Telecolaboração e divergência em uma experiência de aprendizagem de português e inglês como línguas estrangeiras. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 3, n. 2, p. 73-96, 2003. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/rbla/v3n2/a04v3n2.pdf>. Acesso em: 15 ago. 2017.

TELLES, J. A. Projeto Teletandem Brasil: línguas estrangeiras para todos – ensinando e aprendendo línguas estrangeiras in-tandem via MSN Messenger. Faculdade de Ciências e Letras de Assis, Unesp, 2006. Disponível em: <https://docplayer.com.br/3331495-Teletandem-brasil-linguas-estrangeiras-para-todos.html>. Acesso em: 22 jun. 2021.

TELLES, J. A. Teletandem: metamorfoses impostas pela tecnologia sobre o ensino de línguas estrangeiras. In: TELLES, J. A. (Org.). Teletandem: um contexto virtual, autônomo e colaborativo para aprendizagem de línguas estrangeiras no século XXI. Campinas: Pontes Editores, 2009. p. 63-74.

TELLES, J. A.; VASSALLO, M. L. Foreign language learning in-tandem: Teletandem as an alternative proposal in CALLT. The ESPecialist, São Paulo, v. 27, p. 189-212, 2006. Disponível em: < http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.1025.2815&rep=rep1&type=pdf>. Acesso em: 10 mar. 2016.

THORNE, S. L. Pedagogical and praxiological lessons from internet-mediated intercultural foreign language education research. In: BELZ, J. A.; THORNE, S. L. (Ed.). AAUSC 2005: internet-mediated intercultural foreign language education. Boston: Thomson Heinle, 2006. p. 2-30.

VASSALLO, M. L.; TELLES, J. A. Foreign language learning in-tandem: Theoretical principles and research perspectives. The ESPecialist, São Paulo, v. 27, p. 83- 118, 2006. Disponível: < https://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.845.2443&rep=rep1&type=pdf>. Acesso em: 10 mar. 2016.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

Downloads

Publicado

2021-06-28

Como Citar

Campos, B. da S., Kami, C. M. da C., & Salomão, A. C. B. . (2021). A mediação no Teletandem durante a pandemia da COVID-19. Revista Horizontes De Linguistica Aplicada, 20(1), DT3. https://doi.org/10.26512/rhla.v20i1.36452

Edição

Seção

Dossiê: Ensino de línguas em tempos de crise