Cidade Baixa em Festa

Análise Histórica de um Bairro Boêmio

Autores

  • Joanna Munhoz Sevaio UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v1i40.42333

Palavras-chave:

Cidade Baixa, Boemia, Carnaval

Resumo

Este artigo tem como objetivo demonstrar como historicamente a Cidade Baixa, bairro de Porto Alegre/RS, constituiu-se enquanto lugar fundamental da boemia na cidade, passando pelo samba e pelos carnavais dos séculos XIX e XX até chegar ao cenário atual. Primeiramente são abordados os processos de formação e as reformas urbanas que atingiram as dinâmicas do bairro, principalmente os territórios de maioria negra, como a Ilhota e o Areal da Baronesa. Depois, é abordado o cotidiano boêmio que caracterizou o bairro até meados do século XX e que hoje voltou a ganhar espaço, mesmo que com outras características. O argumento central é que a desarticulação dos territórios negros e o modelo de cidade imposto se relacionam diretamente com o controle das sociabilidades festivas por parte do poder público. Nesse caso, fazer festa e ocupar as ruas ganha um sentido político de reivindicação dos espaços da cidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BOHRER, Felipe Rodrigues. Breves considerações sobre os territórios negros urbanos de Porto Alegre na pós-abolição. Iluminuras, Porto Alegre, v.12, n. 29, p. 121-152, jul./dez. 2011.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: 1. Artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 2012.

ETCHEVERRY, Carolina Martins. Visões de Porto Alegre nas fotografias dos irmãos Ferrari (c.1888) e de Virgílio Calegari (c.1912). 2017. Dissertação (Mestrado em Artes Visuais) – Instituto de Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.

FRANCO, Sérgio da Costa. Porto Alegre: guia histórico. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 1998.

GERMANO. Íris. Carnavais de Porto Alegre, etnicidades e territorialidades negras no sul do Brasil. In: SILVA, Gilberto Ferreira da. SANTOS, José Antônio; CARNEIRO, Luis Carlos da Cunha. RS Negro. Cartografias sobre a produção do conhecimento. Porto Alegre: EDIPUCRS, p. 100-119, 2008.

___________. Rio Grande do Sul, Brasil e Etiópia: os negros e o carnaval de Porto Alegre nas décadas de 1930 e 1940. 1999. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1999.

JARDIM, Denise Fagundes. De bar em bar: identidade masculina e auto-segregação entre homens de classes populares. 1991. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1991.

KRAWCZYK, Flávio; GERMANO, Iris; POSSAMAI, Zita. Carnavais de Porto Alegre. Cadernos do Museu I. Porto Alegre: Secretaria Municipal de Cultura, 1992.

MAFFESOLI, Michel. (2004). Notas sobre a pós-modernidade: o lugar faz o elo. Rio de Janeiro: Atlântica.

MAGALHÃES, Gutcha Ramil. “Fica cada vez mais difícil manter a essência” Reflexões sobre políticas sonoras e (re)existências do samba na Cidade Baixa, Porto Alegre/RS. 2016. (Mestrado em Antropologia) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2016.

MARQUES, Olavo Ramalho. Entre a Avenida Luís Guaranha e o Quilombo do Areal. Estudo etnográfico sobre memória, sociabilidade e territorialidade negra em Porto Alegre/RS. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.

MENEGOTTO, Renato Gilberto Gama. Cidade Baixa: um bairro que contém seu passado. Porto Alegre: Ed. Marca Visual, 2020.

MONTEIRO, Charles. Porto Alegre e suas escritas: história e memórias da cidade. Porto Alegre: EDUPUCRS, 2006.

PEDROSO, Lucio Fernandes. História de um Bom Fim – boemia e transgressão de um bairro maldito. Porto Alegre, Edição do autor, 2019.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. Memória Porto Alegre – espaços e vivências. Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 1991.

__________. Uma outra cidade: o mundo dos excluídos no final do século XIX. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2001.

REIS, Vanessi. Da baixa boemia à baixa cidade: limites do bairro Cidade Baixa no imaginário urbano de Porto Alegre. 2018. Dissertação (Mestrado em Planejamento Urbano e Regional) - Faculdade de Arquitetura, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018.

RODRIGUES, Lupicínio. Foi Assim: O cronista Lupicínio conta as histórias das suas músicas. Porto Alegre: L&PM, 1995.

ROSA, Marcus Vinicius de Freitas. Quando Vargas caiu no samba: um estudo sobre os significados do carnaval e as relações sociais estabelecidas entre os poderes públicos, a imprensa e os grupos de foliões em Porto Alegre durante as décadas de 1930 e 1940. 2008, 227 f. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, UFRGS, Porto Alegre, 2008.

__________. Além da invisibilidade: história social do racismo em Porto Alegre no pós-abolição (1884-1918). Tese (Doutorado em História) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 332 p., 2014.

SANHUDO, Ary Veiga. Porto Alegre: Crônicas da Minha Cidade. Porto Alegre: Editora Movimento, 1975.

SIMAS, Luiz Antonio. O corpo encantado das ruas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2020.

SOUZA, Anita Silva de. Projeto Renascença: um caso de gentrificação em Porto Alegre na década de 1970. 2008. Dissertação (Mestrado em Planejamento Urbano) – Faculdade de Arquitetura, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.

TROTTA, Felipe da Costa; OLIVEIRA, Luciana Xavier de. O subúrbio feliz do pagode carioca. Intercom – RBCC, São Paulo, v.38, n.2, jul./dez. 2015, p. 99-118.

VIEIRA, Daniele Machado. Territórios Negros em Porto Alegre (1800-1970): Geografia histórica da presença negra no espaço urbano. 2017. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.

Downloads

Publicado

2022-09-03

Como Citar

JOANNA MUNHOZ SEVAIO. Cidade Baixa em Festa: Análise Histórica de um Bairro Boêmio. Em Tempo de Histórias, [S. l.], v. 1, n. 40, 2022. DOI: 10.26512/emtempos.v1i40.42333. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/42333. Acesso em: 26 maio. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.