“Num Abre Alas que Eu Quero Passar de Ensurdecer”

Identidade e Distinção das Elites nos Carnavais do Ideal Clube (Manaus, 1906-1920)

Autores

  • Kivia Mirrana Pereira SEDUC

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v1i40.42329

Palavras-chave:

Clube recreativo, Carnaval, Elites

Resumo

O presente artigo aborda sobre uma das principais festas realizadas pelo Ideal Clube: os bailes carnavalescos na cidade de Manaus entre os anos de 1906 a 1920. O Ideal, espaço-objeto dessa análise, foi uma associação recreativa fundada em 1903 e agregava em seu conjunto de sócios os principais grupos econômicos, políticos e sociais da cidade de Manaus em seu contexto de Belle Époque. Adotamos como metodologia o uso e análises das fontes impressas e periódicas e com isso pudemos perscrutar sobre as vivências dos frequentadores do clube que utilizaram-se das recreações para consolidar suas sociabilidades e visões de mundo através dos valores expressos nas suas festividades. Dessa maneira, os bailes carnavalescos acabaram por acentuar os status do clube como um centro de distinção com suas regras monetárias e recursos simbólicos, formando uma a tradição idealina que servia para favorecer os grupos “aristocráticos” que bailavam sobre os prestígios e diferenças sociais.   

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BAKHTIN, Mikhaïl Mikhaïlovitch; VIEIRA, Yara Frateschi. A cultura popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto de François Rabelais. São Paulo: Hucitec, 1987.

BITTENCOURT, Agnello. Dicionário amazonense de biografias: vultos do passado. Rio de Janeiro, Conquista, 1973.

BOURDIEU, Pierre. A distinção. São Paulo: Edusp, 2007.

BRAGA, Genesino. Assim nasceu o Ideal. Manaus, Imprensa oficial, 1979.

CUNHA, Maria Clementina Pereira. Ecos da folia: uma história social do carnaval carioca entre 1880 e 1920. Companhia das Letras, 2001.

DAOU, Ana Maria. A belle époque amazônica. Editora Zahah, 1999, edição Kindle, capítulo Banquetes e Bailes.

DEL PRIORE, Mary. Histórias da gente brasileira: Império-Volume 2. Leya, 2016.

DUARTE, Durango. Manaus: entre o passado e o presente. Mídia Ponto Comm, 2009.

HIRST, Monica; SPEKTOR, Matias. Brasil-Estados Unidos: desencontros e afinidades. Editora FGV, 2009.

HOBSBAWM, E. A invenção das tradições. A invenção das tradições. Trad. Celina C. Cavalcante. [título original: The invention of traditions, 1983.] São Paulo: Editora Paz e Terra, 2008.

LAZZARI, Alexandre. Coisas para o povo não fazer: carnaval em Porto Alegre (1870-1915). Editora da UNICAMP, 2001.

LEAL, Caroline Pereira. O positivismo e as mulheres no carnaval de Porto Alegre nas primeiras décadas do século XX. Revista Crítica Histórica, v. 10, n. 19, 2019.

NEVES, M. de S.: Os cenários da república. O Brasil na virada do século XIX para o século XX. In: DELGADO, Lucília de Almeida Neves e FERREIRA, Jorge Luís (Orgs.). Brasil Republicano: Estado, sociedade civil e cultura política. O tempo do liberalismo excludente. Da Proclamação da República à Revolução de 1930. 1a ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. 2003.

QUEIRÓS, César Augusto Bubolz; LEAL, Davi Avelino; MOURA, Anderson Vieira (Orgs). Amazônia Republicana: Estudos sobre poder, política e trabalho. Curitiba: CRV, 2021.

PEREIRA, Leonardo Affonso. O carnaval das letras: literatura e folia no Rio de Janeiro do século XIX. 2ª ed. ver. Campinas, SP. Editora Unicamp, 2004.

PONTES, Karinny Lima. Dos bailes nos clubes aos blocos de rua: A representação da festa carnavalesca em Manaus (1890-1920). Monografia do Curso de História da Universidade Federal do Amazonas. Manaus, AM, 2019.

QUEIROZ, Maria Isaura Pereira de. A ordem carnavalesca. Tempo social, v. 6, n. 1-2, p. 27-45, 1994.

REIS, José Roberto Tozoni. Família, emoção e ideologia. In: Psicologia social: o homem em movimento, v. 8, 1984.

SAMPAIO, Patrícia Melo. Posturas municipais, Amazonas (1838-1967). Manaus: EDUA, 2016.

Downloads

Publicado

2022-09-03

Como Citar

PEREIRA, K. M. “Num Abre Alas que Eu Quero Passar de Ensurdecer”: Identidade e Distinção das Elites nos Carnavais do Ideal Clube (Manaus, 1906-1920). Em Tempo de Histórias, [S. l.], v. 1, n. 40, 2022. DOI: 10.26512/emtempos.v1i40.42329. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/42329. Acesso em: 3 fev. 2023.