As influências das ideologias do trabalhismo, da negritude e da democracia racial nas demandas por educação da população negra brasileira

Autores

  • Arilson dos Santos Gomes PUC-RS

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v0i22.19826

Palavras-chave:

Ideologias. Negociações. População Negra.

Resumo

Este artigo pretende problematizar as relações entre as ideologias do trabalhismo, da negritude e da democracia racial na concretização das demandas reivindicadas pela população negra brasileira na elaboração das políticas educativas. Entre as décadas de 1930 a 1960, período em que essas ideias surgiram e se estabeleceram na sociedade brasileira, as populações negras cientes dos valores políticos produzidos naquele momento passaram a negociar, por meio de seus líderes em conjunto com os partidos políticos, as condições necessárias às suas melhorias materiais. Por outro lado, percebeu-se nos programas políticos de determinados partidos, preocupações com a questão racial. Entende-se que as demandas educativas atuais foram reflexos das negociações históricas, advindas das ideologias citadas, formuladas por grupos políticos e seus respectivos intelectuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALTHUSSER, Louis. Aparelhos ideológicos de Estado. Rio de Janeiro: Gral, 1992.

AVRITZER, Leonardo. Ação, fundação e autoridade em Hannah Arendt. Revista Lua Nova, São Paulo, 68, 2006, p. 147-167.< http://www.scielo.br/pdf/ln/n68/a06n68.pdf>. Acesso em jul.2012

BENTO, Maria Aparecida. Branqueamento e Branquitude no Brasil. Psicologia Social do Racismo. Estudos sobre branquitude e branqueamento no Brasil. 1.ed. Petrópolis RJ: Vozes, 2002, p. 189.

BERND, Zilá. A questão da negritude. São Paulo: Brasiliense, 1984.

CAMPOS, Deivison Moacir Cezar. O Grupo Palmares (1971-1978): Um movimento negro de subversão e resistência pela construção de um novo espaço social e simbólico. 195 f, Porto Alegre, 2006. (Mestrado em História) ”“ Programa de Pós-Graduação em História - PUCRS

CARNEIRO, Edison. Ladinos e Crioulos. S ed. Rio de Janeiro: Ed. Civilização Brasileira, 1964, p.115-116.

CEVA, Antonia Lana de Alencastre. O negro em cena: a proposta pedagógica do Teatro Experimental do Negro. 124 f., Rio de Janeiro, 2006. (Mestrado em Educação) PUC-RJ.

CHAUÃ, Marilena. O que é ideologia. Ed. Brasiliense, 30º edição. São Paulo, 1989, p.21-25.

CLAY, Vinícius. O Negro em O Estado da Bahia: De 09 de maio de 1936 a 25 de janeiro de 1937. 2006. Disponível em: http://www.facom.ufba.br/pex/viniciusclay.doc/ Acesso em: 10 de fev. 2008

COSTA, Emilia Viotti. Da Monarquia à República ”“ Momentos decisivos. 7 ed. São Paulo: Editora UNESP, 1998, p.490.

DOMINGUES, Petrônio. Movimento da negritude: uma breve reconstrução histórica. Mediações ”“ Revista de Ciências Sociais, Londrina, v. 10, n.1, p. 25-40, jan.-jun. 2005.

DOMINGUES, Petrônio. Movimento Negro Brasileiro: alguns apontamentos históricos. Revista Tempo, n 23, Rio de Janeiro, UFF, 2007, p. 108.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Trad. Renato Silveira. Salvador: UDUFBA, 2008.

FERREIRA. Jorge. Ao mestre com carinho, ao discípulo com carisma: as cartas de Jango a Getúlio. In GOMES, Ângela de Castro. Escritas de si, escritas da História. 1 ed. Rio de Janeiro: FGV, 2004, p.279-294.

FORTES, Alexandre. Nós do Quarto Distrito. A Classe trabalhadora Porto-Alegrense, e a Era Vargas. 1 ed. Caxias do Sul: EDUCS-Garamond, ANPUH-RS, 2004, p.20-28.

GOMES, Ângela de Castro. A invenção do trabalhismo. 1 ed. Rio de Janeiro: Vértice, 1988, p.343.; FAUSTO, Boris. História concisa do Brasil. 3 ed. São Paulo: EDUSP/Imprensa Oficial, 2002, p.328.

GOMES, Arilson dos Santos Gomes. O Primeiro Congresso Nacional do Negro e a sua importância para a integração social dos negros brasileiros e a ascensão material da Sociedade FlorestaAurora.pdf. RBHCS - Revista Brasileira de História e Ciências Sociais, v. 01, p. 01-18, 2009.

GOMES, A.. A formação de oásis: dos movimentos frentenegrinos ao Primeiro Congresso Nacional do Negro em Porto Alegre - RS (1931-1958). Em tempo de histórias, Brasília, Vol. 0, N. 14, fev. 2011. Disponível em: <http://seer.bce.unb.br/index.php/emtempos/article/view/2729/2285>. Acesso em: 02 Abr. 2013.

GOMES, Arilson dos Santos. A formação de oásis: dos movimentos frentenegrinos ao Primeiro Congresso Nacional do Negro em Porto Alegre - RS (1931-1958). 310f. Porto Alegre, 2008. (Dissertação de Mestrado em História) - Programa de Pós-Graduação em História ”“ PUCRS.

GOMES, Arilson dos Santos. A identidade cultural afro-brasileira como meio de negociação entre os grupos sociais: análises em torno da publicação do livro Cartas de Edison Carneiro a Artur Ramos (1936-1938). 2011, p.5-22 (Prelo).

GOMES, Arilson dos Santos. Os Akins do Sul: da participação dos negros na política do Rio Grande do Sul à homenagem ao mestre salas dos mares. Revista OPSIS ”“ UFG, Goiás, Catalão, Vol. 12 nº1: p.129-145, novembro 2012. <http://www.revistas.ufg.br/index.php/Opsis/article/view/17396>. Acesso em: 01 dez.2012.

GOMES, Nilma Nilo. Alguns termos e conceitos presentes no debate das relações raciais no Brasil: uma breve discussão. Educação Antirracista - Caminhos abertos pela Lei Federal 10.639/03. Brasília: Coleção Educação para Todos. SECAD/MEC, 2005.

GRAMSCI, Antônio. Os intelectuais e a organização da cultura. 2 ed. Rio de Janeiro: Ed. Civilização Brasileira, 1995, p.22.

GRAMSCI. Maquiavel, a política e o Estado Moderno, 1980, p.09-25, e de HALL, Stuart. A relevância da Gramsci para o estado de raça e etnicidade, 2003, p.295-334.

HALL, Stuart. Da Diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003.

MEMMI, Albert. Retrato do colonizado precedido pelo retrato do colonizador. Trad. Roland Corbisier e Mariza Pinto Coelho. 3ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.

MOTA, Carlos Guilherme. Ideologia da Cultura Brasileira (1933-1974). 4 ed. São Paulo: Editora Ática, 1980, p.156-160.

MÜLLER, Liane Suzan. “As contas do meu rosário são balas de artilharia” ”“ Irmandade, jornal e sociedades negras em Porto Alegre 1889-1920. 253 f. Porto Alegre, 1999.(Dissertação de Mestrado em História), PPGH/PUCRS.

MUNANGA, Kabengele. Negritude; usos e sentidos. 2ª ed. São Paulo: Ática, 1988.

MUNANGA, Kabengele. Políticas de ação afirmativa em benefício da população negra no Brasil: um ponto de vista em defesa das cotas in SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves; SILVEIRO, Valter Roberto. Ações Afirmativas ”“ entre a injustiça simbólica e a injustiça econômica. Brasília, INEP, 2003, p.117-128.

NABUCO, Joaquim. Minha Formação. Rio de Janeiro: Ediouro, 1966, p.144-145.

NASCIMENTO, Abdias do. Minha candidatura. Fac-Símile Jornal Quilombo. Jul.1950, p.83.

NASCIMENTO, Abdias. O negro revoltado. 1 ed. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1982.

NASCIMENTO, Abdias. Reflexões sobre o Movimento Negro no Brasil, 1938-1997. In: GUIMARÃES, Antônio Sérgio Alfredo, HUNTLEY, Lynn. Tirando a máscara: ensaios sobre o racismo no Brasil. 1 ed. São Paulo, Paz e Terra, 2000, p.210.

NASCIMENTO, Abdias; NASCIMENTO, Elisa Larkin. O negro e o Congresso Brasileiro. In MUNANGA, Kabenguele (Org.). O negro na sociedade brasileira: resistência, participação, contribuição. 1 ed. Brasília: Fundação Cultural Palmares ”“ MINC, V.1, 2004, p.223.

PEREIRA, Eliane. Floresta Aurora: fundação e função até 1988. Porto Alegre, 1986. (Monografia). PUCRS p.6.

PEREIRA, Lúcia Regina Brito Pereira. Cultura e Afro-descendência: Organizações Negras e suas estratégias educacionais em Porto Alegre (1872-2002). 309f. Porto Alegre, 2008. (Tese de Doutorado em História) - Programa de Pós-Graduação em História ”“ PUCRS.

PINTO. Luiz Antonio Costa. O Negro no Rio de Janeiro. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1953, p.284.

PORTELLI, Hugues. Gramsci e o Bloco Histórico. Paz e Terra: Rio de Janeiro, 1983.

RÉMOND, René. Por uma história política. Editora FGV: Rio de Janeiro, 2003.

RIBEIRO, Luiz Dario. Descolonização africana. Revista Ciências e Letras FAPA 21/22, África Contemporânea. Porto Alegre: Ed. Ponto e Vírgula. Novembro de 1998, p.51-72.

SADER, Éder. Um rumor de botas ”“ Ensaios sobre a militarização do Estado na América Latina. Coleção Teoria e História 11. São Paulo: Editora Pólis, 1982, p.138.

SANTOS, Carlos. Sucata. Porto Alegre: GLOBO, 1937.

SANTOS, Ivair Augusto Alves dos. O movimento negro e o Estado: O caso do Conselho de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra no Governo de São Paulo. 1 ed. São Paulo: imprensa oficial, 2002.

SANTOS, Sales Augusto dos. “O negro no Poder” no Legislativo: Abdias do Nascimento e a discussão racial no Parlamento brasileiro. MENDES, Amauri; SILVA, Joselina (Orgs.) O Movimento Negro Brasileiro ”“ escritos e sentidos de democracia e justiça social no Brasil. Belo Horizonte: Nandyala, 2009. p.127-163.

SCHILLING, Voltaire. A Luta pelos direitos civis: de Abraham Lincoln a Martin Luther King ”“ América: 1863-1963. Porto Alegre: sd, 2003.

SILVA, Cidinha. Ações Afirmativas em educação. Experiências brasileiras. São Paulo: Selo Negro, 2003.

SILVA, Fernanda Oliveira. Os negros, a constituição de espaços para os seus e o entrelaçamento desses espaços: associações e identidades negras em Pelotas (1820-1943). (Mestrado em História) - Programa de Pós-Graduação em História - PUCRS, Porto Alegre, 2011.228 p.

SILVA, Joselina da. A União dos Homens de Cor: aspectos do movimento negro dos anos 40 e 50. Rio de Janeiro, 2003. Estudos Afro-Asiáticos. Vol.25. nº2 p.215-235. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/eaa/v25n2/a02v25n2.pdf>. Acesso em: mai. 2006.

SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves; SILVEIRO, Valter Roberto. Ações Afirmativas ”“ entre a injustiça simbólica e a injustiça econômica. Brasília, INEP, 2003.

SOMERS, Patrícia; JONES, Catherine. Ações afirmativas na Educação Superior: o que acadêmicos brasileiros podem aprender da experiência americana. Educação, Porto Alegre, v. 32, n. 3, p. 246-251, set./dez. 2009. < http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/5770/4207>. Acesso out.2012.

WEFFORT, Francisco. Origens do sindicalismo Populista. Estudos Cebrap, nº4, 1973.

WINOCK, Michel. As ideias políticas. RÉMOND, René. Por uma história política. Editora FGV: Rio de Janeiro, 2003, p271-290.

ZUBARAN, Maria Angélica. Comemorações da liberdade: lugares de memórias negras diaspóricas. Anos 90 ”“ Revista do PPG em História da UFRGS. V. 15, n27, 2008. p.161-187. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/anos90/article/view/6743/4045>. Acesso em: 11 mai. 2011

Downloads

Publicado

2013-08-27

Como Citar

GOMES, A. dos S. As influências das ideologias do trabalhismo, da negritude e da democracia racial nas demandas por educação da população negra brasileira. Em Tempo de Histórias, [S. l.], n. 22, p. 101–124, 2013. DOI: 10.26512/emtempos.v0i22.19826. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/19826. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê