A formação de oásis

dos movimentos frentenegrinos ao Primeiro Congresso Nacional do Negro em Porto Alegre ”“ RS (1931-1958)

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v0i14.20015

Palavras-chave:

Movimento Frentenegrino. Congressos. Oásis.

Resumo

Esta pesquisa investigou a história do Primeiro Congresso Nacional do Negro, realizado em Porto Alegre, no ano de 1958, sob a organização da Sociedade Beneficente
Floresta Aurora. Descobrimos que os primeiros passos para a formação de eventos sobre a comunidade negra coincidem com a data da origem da Frente Negra Brasileira, fundada em São Paulo em 1931. Pesquisamos a Frente Negra paulista, a pelotense, a baiana e a pernambucana, identificando um movimento frentenegrino em busca da inserção social das populações afrodescendentes e questionando se as suas ações iam ao encontro das propostas apresentadas nos encontros nacionais afro-brasileiros e negros realizados em nosso país. Identificamos, na realização destas atividades, a formação de oásis, já que somente passaram a existir em decorrência dos esforços e perseverança daqueles que lutaram por um mundo melhor. Em contrapartida, denominamos de deserto a intolerância, discriminação e preconceitos existentes em nossa sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Fontes Transcritas
Atas Transcritas na Floresta Aurora; pp. 234-262, de janeiro a outubro de 1958.
Periódicos
Correio do Povo, Porto Alegre, 20/09/1958/ p.07.
Entrevista
FONTOURA, Hélio. Primeiro Congresso Nacional do Negro de 1958. Realizada no dia 18 de dezembro de
2006. Entrevistador: Arilson dos Santos Gomes. Porto Alegre: residência.
Bibliografia
ANAIS ”“ Estudos Afro-Brasileiros ”“ Trabalhos apresentados no 1º Congresso Afro-Brasileiro reunido no
Recife em 1934. 1º vol. Rio de Janeiro: Ariel, Editora LTDA, 1935.
ARENDT, Hannah. O que é política? Fragmentos das obras Póstumas Compilados por Ursula Ludz. Rio de
Janeiro: Bertrand Brasil, 2006.
BACELAR, Jéferson. A hierarquia das Raças, Negros e Brancos em Salvado, Rio de Janeiro, Pallas, 2001.
BARBOSA, Marcio. Frente Negra Brasileira, depoimentos. São Paulo: Quilomboje, 1998.
BASTIDE E FERNANDES. Brancos e Negros em São Paulo. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1959.
BEMFICA, Flavia Cristina Maggi. Governo Leonel Brizola no Rio Grande do Sul: descontruindo mitos.
Dissertação de Mestrado, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.
CARNEIRO, Edison. Ladinos e Crioulos. Rio de Janeiro, Ed. Civilização Brasileira, 1964.
CERTEAU, Michel De. A Escrita da História. Rio de Janeiro: Ed. Forense Universitária, 2006.
CEVA, Antonia Lana de Alencastre. O negro em cena: a proposta pedagógica do Teatro Experimental do
Negro. Rio, 2006. (Dissertação de Mestrado Educação), PUC-RJ.
CLAY, Vinícius. O Negro em O Estado da Bahia: De 09 de maio de 1936 a 25 de janeiro de 1937. 2006.
http://www.facom.ufba.br/pex/viniciusclay.doc.Acesso 10.02.2008
COSTA, Emilia Viotti. Da Monarquia à República ”“ Momentos decisivos. São Paulo: Editora UNESP, 1998.
DAVIS, J. Davis. Afro-Brasileiros hoje. São Paulo: Selo Negro, 2000.
DOMINGUES, Petrônio José. A insurgência do Ébano: A História da Frente Negra Brasileira (1931-1937).
(Tese de Doutorado), USP, 2005.
FAUSTO, Boris. A Revolução de 1930 ”“ Historiografia e História. São Paulo: Brasiliense, 1994.
FONTOURA. Hélio. 40 Anos ao lado de Brizola. Porto Alegre: Prografic Editora e Gráfica Ltda, 2005.
FORTES, Alexandre. Nós do Quarto Distrito. A Classe trabalhadora: Porto-Alegrense, e a Era Vargas.
Caxias do Sul: EDUCS-Garamond, ANPUH-RS, 2004.
FREYRE, Gilberto. Casa Grande & Senzala. Rio de Janeiro: Livraria José Olimpio Editora S.A, 1981.
GOMES, Flavio dos Santos. Negros e Política (1888-1937). Rio de Janeiro: Jorge Zahar editor, 2005.
HALL, Stuart. Da Diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003.
LONER, Beatriz Ana. Classe Operária: Mobilização e Organização em Pelotas: 1888-1937. Porto Alegre,
1999.Tese (Doutorado em Ciências Sociais), Departamento UFRGS.
LUNA, Luiz. O Negro na luta contra a escravidão. Rio de Janeiro: Editora Cátedra, 1976.
MÜLLER, Liane Suzan. “As contas do meu rosário são balas de artilharia” ”“ Irmandade, jornal e
sociedades negras em Porto Alegre 1889-1920. 253 f. Porto Alegre, 1999.(Dissertação de Mestrado em
História), PPGH/PUCRS.
NASCIMENTO, Abdias. Reflexões sobre o movimento negro no Brasil, 1938-1997. In: GUIMARÃES,
Sérgio Antônio. Tirando a máscara. São Paulo, Paz e Terra, 2000, p.203-235.
PAZ, Clilton Silva. A importância do Primeiro Congresso Afro-Brasileiro do Recife. Encontro Escravidão
Mestiçagem ”“ MG, 2006.
RAMOS, Guerreiro. O problema do Negro na Sociologia Brasileira. Transcrito de Cadernos de Nosso
Tempo, 2 (2): 189-220, jan./jun. 1954. Disponível em http://www.schwartzman.org.br/simon/negritude.htm.
Acesso em: 31.08.2007
RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro ”“ a formação e o sentido do Brasil, São Paulo, Cia das Letras, 1995.
SANTOS, Boa Ventura de Souza. Pela Mão de Alice. O social e o político na pós-modernidade. São Paulo:
Cortez Editora, 2001.
SANTOS, Ivair Augusto Alves dos. Movimento negro e Estado: o caso do Conselho de Participação e
Desenvolvimento da Comunidade Negra, São Paulo: Prefeitura Municipal de São Paulo, Coordenadoria
Especial do Negro, 2007.
SANTOS, José Antônio dos. Raiou “A Alvorada”: Intelectuais negros e imprensa, Pelotas (1907-1957). 195
f. Rio de Janeiro, 2000. (Dissertação de mestrado em História). Dep.UFF.
SILVA, Fátima Aparecida. O movimento social Frente Negra Pernambucana - 1936-1937-. A história
continua. XXIV Simpósio Nacional de História. São Leopoldo, 2007.
SOUZA, Florentina. Solano Trindade e a produção literária afro-brasileira. Edição: 31 (2004).
http://www.afroasia.ufba.br/pdf/31_14_solano.PDF.Acesso em: 10.03.2008.
TUNA, Gustavo Henrique. O negro deu régua e compasso: Revista de História da Biblioteca Nacional,
setembro, p.68-73. 2005.
Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Sul: 327, 1958. Decreto nº 9267, sp.

Downloads

Publicado

2011-02-08

Como Citar

A formação de oásis: dos movimentos frentenegrinos ao Primeiro Congresso Nacional do Negro em Porto Alegre ”“ RS (1931-1958). Em Tempo de Histórias, [S. l.], n. 14, 2011. DOI: 10.26512/emtempos.v0i14.20015. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/20015. Acesso em: 6 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos