Por uma antropologia do negro

O diálogo convergente entre Arthur Ramos e Dante de Laytano

Autores

  • Maurício Lopes Lima UFSC

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v0i22.19793

Palavras-chave:

Estudos raciais. Culturalismo. Antropologia.

Resumo

Este estudo traz à evidência o trabalho de dois autores pouco estudados tanto na historiografia quanto nas ciências sociais brasileiras; o antropólogo Arthur Ramos e historiador e folclorista sul-rio-grandense Dante de Laytano. Buscamos mostrar como o sucesso alcançado por Ramos com os estudos raciais, através da antropologia culturalista nas décadas de 1930 e 1940, serviu de referência para alguns estudos desenvolvidos por Laytano sobre o negro no Rio Grande do Sul. Seus estudos apresentavam um caráter coletor e pouco analítico, típico das pesquisas folclóricas. Entendemos que Dante de Laytano buscou aproximação com metiér da antropológica de Arthur Ramos. Seus estudos procuraram identificar minúcias antropológicas da população negra sul-rio-grandense, inclusive saindo a campo etnografar dados, conforme recomendava a metodologia africanista dos estudos culturalistas sobre o negro no Brasil e nas Américas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CAMPOS, Maria José. Artur Ramos: luz e sombra na antropologia brasileira: uma versão da democracia racial no Brasil nas décadas de 1930, 1940. Rio de Janeiro: Edições Biblioteca Nacional, 2004.

CORRÊA, Mariza. O mistério dos orixás e das bonecas: raça e gênero na antropologia brasileira. In: Etnográfica, Vol. IV (2), 2000, pp. 233-265. In: <http://ceas.iscte.pt/etnografica/docs/vol_04/.../Vol_iv_N2 _233-266.pdf> Acesso em: 27/08/2011. 2000.

_________. Cartas Marcadas: Arthur Ramos a o Campo das Relações Raciais no Final dos Anos 1930 In: ANAIS DA BIBLIOTECA NACIONAL, Rio de Janeiro, Vol. 119 ”¢ 1999. pp. 35 ”“ 58.

FAILLACE, Vera Lúcia Miranda (org). Arquivo Arthur Ramos: Inventário Analítico. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional, 2004.

FLORES, Moacyr. Nos caminhos da História com Dante de Laytano. In: Estudos Ibero-Americanos. PUCRS, v. XXI, n° 1 p. 109-117, julho 1995.

FREYRE, Gilberto. Casa-Grande & Senzala: introdução a historia da sociedade patriarcal no Brasil, Rio de Janeiro: Jose Olympio Editora, 1966.

GUIMARÃES, Antonio Sérgio Alfredo. Africanismo e democracia racial: a correspondência entre Herskovits e Arthur Ramos (1935 -1949). Disponível em: <http://www.fflch.usp.br/sociologia/asag/Africanismo%20e%20d emocracia%20racial.pdf> Acesso em 17/08/2010. 2004.

LAYTANO, Dante de. As Congadas do município de Osório. Boletim de Estudos do Folclore do Rio Grande do Sul. Edição da Associação Rio-grandense de Música, 1945.

_________. Folclore do Rio Grande do Sul: levantamento dos costumes e tradições gaúchas. Caxias do Sul: EDUCS, 1984.

_________. Mar absoluto das memórias. Porto Alegre: Martins Livreiro, 1986.

_________. Os Africanismos do Dialeto Gaúcho. Separata da Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul ”“ II Trimestre do Ano XVI, Porto Alegre, 1936.

_________. “O negro no Rio Grande do Sul.” In: Anais do Primeiro Seminário de Estudos gaúchos. Porto Alegre: PUCRS, p. 27 ”“ 106, 1957.

MAIO, Marcos Chor. Arthur Ramos e a militância na Unesco. In: ANAIS DA BIBLIOTECA NACIONAL, Rio de Janeiro, Vol. 119 ”¢ 1999. pp. 29 ”“ 34.

_________. O diálogo entre Arthur Ramos e Costa Pinto. Dos estudos afro-brasileiros à “sociologização da antropologia”. In: Ideais de modernidade e sociologia no Brasil: ensaios sobre Luiz Aguiar Costa Pinto. / org. por Marcos Chor Maio Gláucia Villas Boas. Porto Alegre: editora da Universidade, 1999.

NEDEL, Letícia Borges & RODRIGUES, Mara Cristina de Matos. Historiografia, crítica e autocrítica: itinerários da História no Rio Grande do Sul. In: Agora/Universidade de Santa Cruz do Sul, Departamento de História e Geografia ”“ vol. 11, n. 1 2005, p. 161 ”“ 186, 1995.

NUCCI, Priscila. Odisseu e o abismo: Roger Bastide, as religiões de origem africana e as relações raciais no Brasil.Tese de doutorado ”“ Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, SP: [s.n.], 2006. pp. 49 ”“ 105.

OLIVEN, Ruben George. A parte e o todo: a diversidade cultural no Brasil - Nação.Petrópolis, Vozes, 1992.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil ”“ 1870-1930. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

SEGURA-RAMIREZ, Héctor Fernando. Arthur Ramos. Tiro no pé: Biopolítica, relações racializadas, academia e poder no Brasil -1823-1955/1997-2006. Tese de doutorado - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Campinas, SP: [s.n.], 2006. pp. 121 ”“ 141.

RAMOS, Arthur. O negro Brasileiro: etnografia religiosa. 5 ed., Rio de Janeiro: graphica, 2001.

_________. Folk-lore negro do Brasil. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, Vol. IV, 1935.

RAYMOND Boudon, PHILIPPE Besnard, MOHAMED Cherkaoui e BERNARD-PIERRE Lécuyer. DICIONÁRIO DE SOCIOLOGIA. Sob a direção de Tradução de António J. Pinto Ribeiro PUBLICAÇÕES DOM QUIXOTE LISBOA, 1990.

Downloads

Publicado

2013-08-27

Como Citar

LIMA, M. L. Por uma antropologia do negro: O diálogo convergente entre Arthur Ramos e Dante de Laytano. Em Tempo de Histórias, [S. l.], n. 22, p. 78–100, 2013. DOI: 10.26512/emtempos.v0i22.19793. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/19793. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê