Simpatia, alteridade e compreensão no ofício do historiador

Autores

  • Rodrigo Nunes do Nascimento Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v0i31.14719

Palavras-chave:

Epokhé. Compreensão Histórica. Alteridade.

Resumo

A partir da análise do uso do conceito de epokhé e simpatia (sympathie) por Henri-Irénée Marrou em “De la connaissance historique” (Do conhecimento histórico), a intenção deste artigo é entender a necessidade da simpatia e da alteridade na abordagem das fontes e do passado pelo historiador como um dos requisitos fundamentais para o alcance da compreensão (Verstehen) e do conhecimento históricos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABBAGNANO, Nicola. Epoché. In: Dicionário de Filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

ABBAGNANO, Nicola. Alteridade. In: Dicionário de Filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

ANSART-DOURLEN, Michèle. A noção de alteridade. Do sujeito segundo a razão iluminista à crise de identidade no mundo contemporâneo. In: NAXARA, Márcia; MARSON, Izabel; BREPOHL, Marion (org.). Figurações do outro. Uberlândia: EDUFU, 2009.

BÃBLIA. Bíblia Sagrada. Tradução de João Ferreira de Almeida. Sociedade Bíblica do Brasil, 1995. Bíblia de Jerusalém. Paulus: São Paulo, 2002.

BLOCH, Marc. Apologia da história ou o ofício de historiador. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

COSTA, Ricardo da. Para que serve a História? Para nada... In: SINAIS”“Revista eletrônica. Ciências Sociais. Vitória: CCHN, UFES, Edição n.03, v.1, 2008.

COSTA, Ricardo da. O conhecimento histórico e a compreensão do passado: o historiador e a arqueologia das palavras. In: ZIERER, Adriana (coord.). Revista Outros Tempos, São Luís: UEMA, volume 1, 2004.

FERNANDES, Raúl Cesar Gouveia. Reflexões sobre o estudo da Idade Média. In: Revista VIDETUR. n.6. São Paulo: Editora Mandruvá, 1999.

FILHO, Clóvis de Barros; MEUCCI, Arthur. A vida que vale a pena ser vivida. Rio de Janeiro: Vozes, 2012.

GADAMER, Hans-Georg. O problema da consciência histórica. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas, 1998.

HOMERO. The Odyssey with an English Translation by A.T. Murray, in two volumes. Cambridge, MA; London: Harvard University Press, 1919.

LENNON, Thomas M. Descartes, Arcesilau e a estrutura da epokhé.Educação e Filosofia,Uberlândia,v. 25, n. Especial, p. 37-62, 2011.

LÉVI-STRAUSS, Claude. História y Etnología. In:Antropología Estructural. Barcelona/Buenos Aires: Ediciones Paidós, 1995.

MARCONDES, Danilo. Iniciação à História da Filosofia. Dos pré-socráticos à Wittgenstein. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001.

MARROU, Henri-Irénée. Do conhecimento histórico. Lisboa: Editoral Aster, 1974.

MARROU, Henri-Irénée. De la connaissance historique.Paris:Éditions du Seuil, 1954.

OVÃDIO. Metamorphoses. Brookes More (trad.). Boston: Cornhill Publishing Co., 1922.

PROST, Antoine. Doze lições sobre a História. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2008.

__________. Como a História faz o historiador? Anos 90, Porto Alegre, n.14, 2000.

RODRIGUES, Henrique Estrada. Lévi-Strauss, Braudel e o tempo dos historiadores. Revista Brasileira de História. São Paulo,v.29, nº 57, pp.165-186, 2009.

SEIXAS, Jacy Alves. A imaginação do outro e as subjetividades narcísicas. Um olhar sobre a in-visibilidade contemporânea [o mal-estar de Flaubert no orkut]. In: NAXARA, Márcia; MARSON, Izabel; BREPOHL, Marion (org.). Figurações do outro. Uberlândia: EDUFU, 2009.

SKINNER, Quentin. A prática da história e o culto do facto. In: SKINNER, Quentin. Visões da política: sobre os métodos históricos. Algés: Difel, 2005.

SPINELLI, Miguel. De Narciso a Epicuro: Do emergir ao resgate da individualidade. Hypnos, São Paulo, n.25, pp.194-210, 2010.

TOPOLSKI, Jerzy. Methodology of History. Holland: Dordrecht, D. Reidel, 1976.WEBER, Max. Ciência e Política: duas vocações. São Paulo: Cultrix, 2000.

Downloads

Publicado

2018-03-06

Como Citar

DO NASCIMENTO, R. N. Simpatia, alteridade e compreensão no ofício do historiador. Em Tempo de Histórias, [S. l.], n. 31, 2018. DOI: 10.26512/emtempos.v0i31.14719. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/14719. Acesso em: 10 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos