Uma perspectiva feminista para os contos de fadas: a obra The Bloody Chamber and Other Stories, de Angela Carter, no sistema literário brasileiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/belasinfieis.v11.n2.2022.41497

Palavras-chave:

Estudos feministas da tradução. Contos de fadas feministas. Patronagem. Reescrita. Paratextos.

Resumo

Em sintonia com os estudos feministas transnacionais da tradução, este artigo analisa a obra The Bloody Chamber and Other Stories, de Angela Carter, em tradução para o português brasileiro, buscando compreender o modo como a escritora inglesa do século XX é apresentada pelas vozes femininas que no Brasil a editaram, prefaciaram e traduziram. As duas edições brasileiras da obra são discutidas, considerando suas propostas e abordagens: a primeira, com prefácio de Vivian Wyler e tradução de Carlos Nougué, publicada pela Rocco (1999), e a segunda, com curadoria de Marina Colasanti e prefácio e tradução de Adriana Lisboa, publicada pela TAG/Dublinense (2017), em um projeto editorial realizado exclusivamente por mulheres. A pesquisa se debruça sobre duas vertentes: a questão da patronagem, em que é possível relacionar a recepção de Carter no Brasil com a leitura feminista de sua obra feita por Wyler, Colasanti e Lisboa nos paratextos e metatextos das edições; e a questão da reescrita, como o âmago da criação literária de Carter, unindo questões estéticas e políticas, e subvertendo hierarquias naturalizadas. Considera-se que os referidos projetos de tradução propõem um diálogo necessário na cultura receptora, a partir da leitura feminista da obra de Carter.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anna Olga Prudente de Oliveira, Universidade Federal do Paraná

Doutora (2018) e mestre (2014) em Estudos da Linguagem pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.  Graduada em Letras (2011) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e em Artes Cênicas (1997) pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Desenvolve projeto de pós-doutorado na Universidade Federal do Paraná.

Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Letras. Curitiba, Paraná, Brasil.

Referências

Bassnett, Susan. (2007). Writing and translating. In Susan Bassnett & Peter Bush (Eds.), The Translator as Writer (pp. 173–183). Continuum.

Carter, Angela. (2017). A Câmara Sangrenta e outras histórias (Adriana Lisboa, Trad. e Pref.; Carla Barth, Ilust.). TAG/Dublinense.

Carter, Angela. (2011). A menina do capuz vermelho e outras histórias de dar medo (Luciano Vieira Machado, Trad.). Penguin Classics Companhia das Letras.

Carter, Angela. (1999). O quarto do Barba-Azul (Vivian Wyler, Prefácio; Carlos Nougué, Trad.). Rocco.

Carter, Angela. (1979). The Sadeian Woman: An Exercise in Cultural History. Virago Modern Classics Book.

Castro, Olga, & Ergun, Emek. (2019). Introduction: Re-Envisioning Feminist Translation Studies. In Olga Castro & Emek Ergun (Eds.), Feminist Translation Studies: Local and Transnational Perspectives (pp. 1–11). Routledge.

Castro, Olga, & Spoturno, María Laura. (2020). Feminismos y traducción: apuntes conceptuales y metodológicos para una traductología feminista transnacional. Mutatis Mutandis. Revista Latinoamericana de Traducción, 13(1), 11–44. https://revistas.udea.edu.co/index.php/mutatismutandis/article/view/340988

Dutheil de la Rochère, Martine Hernnad. (2013). Reading, Translating, Rewriting: Angela Carter’s Translational Poetics. Wayne State University Press.

Haase, Donald Paul. (1999). Yours, Mine, or Ours? Perrault, Brothers Grimm, and the Ownership of Fairy Tales. In Maria Tatar (Ed.), The Classic Fairy Tales (pp. 353–364). Norton.

Lefevere, André. (1992). Translation, Rewriting, and the Manipulation of Literary Fame. Routledge.

Lisboa, Adriana. (2017, 5 de abril de 2017). Entrevista com Adriana Lisboa: “A tradução é uma espécie de dança”. https://www.taglivros.com/blog/entrevista-adriana-lisboa-tag/

Livro é 1º do selo Avis Rara. (1999, 9 de setembro). Folha de S. Paulo, Caderno Ilustrada. https://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq09099914.htm

Morre de câncer, aos 62, Vivian Wyler, gerente editorial da editora Rocco. (2017, 16 de abril). Folha de S. Paulo, Caderno Ilustrada. https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2017/04/1876116-morre-de-cancer-aos-63-vivian-wyler-gerente-editorial-da-editora-rocco.shtml

Oliveira, Anna Olga Prudente de. (2021). Da tradução à criação literária: os contos de fadas reescritos por Angela Carter. Tradução em Revista, 2(31), 89-110. https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/54919/54919.PDF

Oliveira, Anna Olga Prudente de. (2020). Histórias do tempo antigo com moralidades: uma análise das reescritas da obra de Charles Perrault no Brasil. PUC-Rio/Numa. http://www.editora.puc-rio.br/media/E-Book-Anna%20Olga-Hist%C3%B3rias%20do%20tempo%20antigo.pdf

Pietrani, Anélia. (2013). Italo Moriconi, Jorge Viveiros de Castro & Vivian Wyler: “Uma editora se define por um trabalho sério em muitos níveis”. Fórum de Literatura Brasileira Contemporânea, 5(10), 171–190. https://revistas.ufrj.br/index.php/flbc/article/view/17375/0

Rodrigues, Talita Annunciato. (2015). Identidades em movimento: a representação feminina e as relações de gênero na obra de Angela Carter [Tese de Doutorado, Universidade Estadual Paulista]. https://repositorio.unesp.br/handle/11449/132199

Wyler, Vivian. (1999). Prefácio. In Angela Carter, O quarto do Barba-Azul (Carlos Nougué, Trad.) (pp. ix–xix). Rocco.

Downloads

Publicado

20-11-2022

Como Citar

OLIVEIRA, Anna Olga Prudente de. Uma perspectiva feminista para os contos de fadas: a obra The Bloody Chamber and Other Stories, de Angela Carter, no sistema literário brasileiro. Belas Infiéis, Brasília, Brasil, v. 11, n. 2, p. 01–16, 2022. DOI: 10.26512/belasinfieis.v11.n2.2022.41497. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/belasinfieis/article/view/41497. Acesso em: 26 maio. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.