Resenha de Gender Approaches in the Translation Classroom — Training the Doers

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/belasinfieis.v10.n2.2021.29737

Palavras-chave:

Estudos da Tradução. Estudos Feministas da Tradução. Queer na Tradução. Formação de Quem Traduz.

Resumo

A resenha que apresento se dedica a um olhar crítico sobre o livro Gender Approaches in the Translation Classroom — Training the Doers (2019), editado por Marcella de Marco e Piero Toto, que contribui muito para a intersecção entre os Estudos da Tradução com os Estudos de Gênero, Feministas e queer voltada à sala de aula como foco. Como existe uma imensa lacuna sobre questões relacionadas aos feminismos e à teoria queer na formação tradutória, este volume responde à urgência por um diálogo mais amplo nos Estudos da Tradução, concebendo outras formas de conjugar ao ensino da tradução esses temas para que colaborações possam surgir de forma eficaz em cada contexto. Cada uma das pessoas envolvidas na escrita dos capítulos reconhece que não existe prática tradutória que não esteja ideologicamente situada, portanto, trazem suas próprias formas de entrelaçar uma teoria politicamente engajada com o ensino de tradução. Por um lado, essa atitude alimenta um desejo de incentivar práticas mais socialmente justas, por outro, reconhece as limitações dos modelos curriculares em associação com as demandas de mercado que atendem aos padrões hegemônicos. Um dos pontos de destaque é como a sala de aula pode ser um espaço de provocação à reflexão crítica coletiva ao que se entende por gênero e sexualidade, de forma que, ainda que se encontrem obstáculos na concretização de práticas resistentes na tradução, a sensibilização para os temas feministas e/ou queer pode deixar um impacto às consciências individuais. Essa marca, por sua vez, pode afetar formas de agir e viver no campo profissional da tradução e na própria esfera pessoal, orientada por uma ética de responsabilização. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz Regina Guimarães Barboza, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorande e Mestrie (2018) em Estudos da Tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina. Graduada em Estudos Literários (2016) pela Universidade Estadual de Campinas. Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão, Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. 

Referências

BARBOZA, Beatriz Regina Guimarães; MATOS, Nayale Araújo, & SANTOS, Sheila Cristina. Estudos feministas de tradução: um recorte de pesquisas do Programa de Pós-graduação em Estudos da Tradução (PGET-UFSC). Belas Infiéis, 7(2), 43-61, 2018.

BRAUN, Friederike. “Making men out of people. The MAN principle in translating genderless forms”. In: KOTTHOFF, Helga; WODAK, Ruth. Communicating Gender in Context. Amsterdã e Filadélfia: Benjamins, 1997.

CASTRO, Olga. “Traducción no sexista y/en el cambio social: el género como problema de traducción”. In: BOÉRIE, Julie Boérie; MAIER, Carol (org.). Translating/Interpreting and Social Activism ”“ Compromiso social y Traducción/Interpretación [Bilingual edition]. Manchester, St. Jerome Publishing & Granada, Ecos, 2010.

MARCO, Marcella de; TOTO, Piero (Org.). Gender Approaches in the Translation Classroom ”” Training the Doers. Cham: Palgrave Macmillan, 2019.

Downloads

Publicado

13-05-2021

Como Citar

BARBOZA, Beatriz Regina Guimarães. Resenha de Gender Approaches in the Translation Classroom — Training the Doers. Belas Infiéis, Brasília, Brasil, v. 10, n. 2, p. 01–13, 2021. DOI: 10.26512/belasinfieis.v10.n2.2021.29737. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/belasinfieis/article/view/29737. Acesso em: 24 maio. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.