Análise léxico-semântica na tradução especializada

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/belasinfieis.v12.n1.2023.39172

Palavras-chave:

Tradução técnica e científica. Competência tradutória. Capacidade temática. Semântica lexical. Terminologia.

Resumo

Este artigo desenvolve estudo de caso aplicado a atividades da disciplina “Prática de Tradução inglês-português: textos técnicos e científicos”, do curso de Letras-Tradução da Universidade de Brasília, com o intuito de apresentar abordagem que oriente os estudantes de tradução na compreensão do funcionamento linguístico dos termos na tradução especializada. Este estudo fundamenta-se no quadro teórico da competência tradutória (Gonçalves, 2015), em particular a capacidade temática/conhecimento terminológico necessários para elaboração de tradução de textos técnicos ou científicos, e na abordagem léxico-semântica da Terminologia (L’Homme, 2004, 2016, 2017, 2020), que auxilia a compreender o funcionamento do léxico especializado. A metodologia é conduzida por meio da: i) seleção de termos em textos de partida, mais especificamente artigos científicos em língua inglesa, que podem gerar dificuldades lexicais de tradução em razão da estrutura terminológica esperada na língua de chegada, no caso o português brasileiro; ii) construção de um corpus comparável, formado por textos da mesma língua, tema e gênero textual do texto de chegada. Como resultado da análise, demonstramos que as referidas dificuldades lexicais são provenientes de termos predicativos e relações lexicais que exigem estruturas terminológicas específicas para que o sentido lexical seja compreendido e as relações lexicais sejam estabelecidas como esperado no texto especializado. No âmbito do ensino de tradução, buscamos, em trabalhos futuros, conduzir pesquisa para elaborar atividades lexicais, tais como desenvolvidas em Alipour (2018), que auxiliem a compreensão das propriedades linguísticas dos termos, e verificar até que ponto essas atividades podem mobilizar a capacidade temática/conhecimento terminológico de estudantes de tradução.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávia Cristina Cruz Lamberti Arraes, Universidade de Brasília

Professora associada do curso de Letras-Tradução, Instituto de Letras, Departamento de Línguas Estrangeiras e Tradução na Universidade de Brasília, Brasília, Distrito Federal, Brasil. Doutora em Linguística (2006) pela Universidade de Brasília. Mestre em Linguística (1999) pela Universidade de Brasília. Graduada em Letras-Tradução (1995) pela Universidade de Brasília. Realizou pesquisa de pós-doutorado no Département de Linguistique et de Traduction da Université de Montréal (2017), Montréal, Canadá.

Referências

Alipour, M. (2018). Approche socioconstructiviste pour l’enseignement-apprentissage du lexique spécialisé: apport du corpus dans la conception d'activités lexicales [Tese de doutorado, Université de Montréal]. http://olst.ling.umontreal.ca/

AntConc. (2014). AntConc (3.4.4w) [Software de computador]. AntConc. http://www.laurenceanthony.net/software/antconc/

Avissar, R., & Werth, D. (2005). Global Hydroclimatological Teleconnections Resulting from Tropical Deforestation. Journal of Hydrometeorology, 6(2), 134-145. https://doi.org/10.1175/JHM406.1

Dictionnaire fundamental de l’environnement - DiCoEnviro. (s.d.). http://olst.ling.umontreal.ca/cgi-bin/dicoenviro/search.cgi

Fillmore, C. (1982). Frame Semantics. In Linguistics in the Morning Calm (pp.111-137). Hanshin Publishing Company.

Fillmore, C., & Baker, C. (2010). A frames approach to semantic analysis. In B. Heine, & H. Narrog (Eds.). The Oxford Handbook of Linguistic Analysis (pp.313-339). Oxford University Press.

Fillmore, C., Petruck, M.R.L., Roppenhofer, J., & Wright, A. (2003). FrameNet in Action: The Case of Attaching. International Journal of Lexicography, 16(2), 297-332. https://academic.oup.com/ijl

A Framed Version of DiCoEnviro. (s.d.). http://olst.ling.umontreal.ca/dicoenviro/framed/index.php.

FrameNet. (s.d). https://framenet.icsi.berkeley.edu/fndrupal/

FrameNet Brasil. (s.d.). https://www.ufjf.br/framenetbr-eng/

Gonçalves, J. L. V. R. (2015). Repensando o desenvolvimento da competência tradutória e suas implicações para a formação do tradutor. Revista Graphos, 17(1), 114-130. https://periodicos.ufpb.br/index.php/graphos

Lamberti, F. (2017). Extração de conhecimento: métodos de identificação de relações terminológicas aplicados ao português do Brasil. Tradterm, 29, 168-185. https://www.revistas.usp.br/tradterm

L’Homme, M. C. (2004). La terminologie: principes et techniques. Presses de l’Université de Montréal.

L’Homme, M. C. (2005). Sur la notion de ‘terme’. Meta, 50(4), 1112-1132.

L’Homme, M. C. (2016, 4 de julho). Terminologie de l’environnement et sémantique des cadres. [Apresentação de conferência]. SHS Web of Conferences, 5º. Congrès Mondial de Linguistique Française, França. https://doi.org/10.1051/shsconf/20162705010

L’Homme, M. C. (2017). Maintaining the balance between knowledge and the lexicon in terminology: a methodology based on Frame Semantics. Lexicography, Journal of Asialex, 4(1). https://journal.equinoxpub.com/lexi/issue/view/1787

L’Homme, M. C. (2020). Lexical Semantics for Terminology: an introduction. Amsterdam/Philadelphia. John Benjamins Publishing Company.

L’Homme, M. C., & Pimentel. J. (s.d.). Guide d’annotation des contextes anglais du DiCoInfo. Université de Montréal. http://olst.ling.umontreal.ca/

L’Homme, M. C., & Robichaud, B. (2014, agosto). Frames and terminology: representing predicative units in the field of the environment. Cognitive Aspects of the Lexicon (Cogalex 2014). Dublin, Irlanda. https://aclanthology.org/W14-4723/

L’Homme, M. C., Robichaud, B., & Subirats, C. (2020, 23 de junho). Building multilingual specialized resources based on FrameNet: Application to the field of the environment. [Apresentação de comunicação]. International FrameNet Workshop 2020. Towards a Global, Multilingual FrameNet. Marseille, França. https://www.globalframenet.org/ifnw2020

Mel’cuk, I., Clas, A., & Polguère, A. (1995). Introduction à la lexicologie explicative et combinatoire. Louvain-la-Neuve.

Perroti-Garcia, A. J. (2008). Uso de corpora customizados para aperfeiçoar o texto traduzido. Estudos linguísticos, 37(2), 123-128.

Polguère, A. (2018). Lexicologia e semântica lexical: noções fundamentais. Tradução de Sabrina Pereira de Abreu. Contexto.

Seth, W. & Kimberly, A. N. (2017). The climate mitigation gap: education and government recommendations miss the most effective individual actions. Environmental Research Letters, 12. https://iopscience.iop.org/article/10.1088/1748-9326/aa7541

Welch, J. R., Brondízio, E. S., Hetrick, S. S., & Coimbra Jr, C. E. A. (2013). Indigenous Burning as Conservation Practice: Neotropical Savanna Recovery amid Agribusiness Deforestation in Central Brazil. PLOS one, 8(12). https://doi.org/10.1371/journal.pone.0081226

Downloads

Publicado

01-02-2023

Como Citar

ARRAES, Flávia Cristina Cruz Lamberti. Análise léxico-semântica na tradução especializada. Belas Infiéis, Brasília, Brasil, v. 12, n. 1, p. 01–20, 2023. DOI: 10.26512/belasinfieis.v12.n1.2023.39172. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/belasinfieis/article/view/39172. Acesso em: 17 maio. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.