O discurso do rei: o Sistema de Avaliatividade como instrumento de análise da tradução

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/belasinfieis.v10.n1.2021.32412

Palavras-chave:

Texto Original. Legenda. Dublagem. Avaliatividade. O Discurso do Rei.

Resumo

É notória, em muitas produções audiovisuais, a discrepância linguística entre legenda e dublagem. Este estudo, à vista disso, objetivou investigar como funcionam os mecanismos avaliativos da linguagem (Martin, 2000; Martin & Rose, 2003; Martin & White, 2005) no discurso em inglês do rei George VI presente no filme O Discurso do Rei (Hooper, 2010), disponibilizado em DVD, em comparação com a legenda e a dublagem em português brasileiro, a fim de verificar se ocorrem mudanças atitudinais (Maciel & Rodrigues-Júnior, 2017) entre as três instâncias do mesmo discurso. Para tal, lançamos mão do aporte teórico-metodológico da Linguística Sistêmico-Funcional, proposta por Halliday (1994), e do Sistema de Avaliatividade (appraisal system), mais especificamente do subsistema de Atitude, a partir dos estudos de Martin e White (2005), inserindo-se no escopo da metafunção interpessoal. Inicialmente, por meio dos conceitos de avaliatividade, retextualização (Vasconcellos, 1997) e agnação (Matthiessen, 2001), foi delineado o papel do tradutor, constatando seu caráter de participante nos textos traduzidos. As análises mostraram que as escolhas lexicais do tradutor podem impactar o texto traduzido de três formas: mantendo a avaliação presente no texto original; alterando o tipo de avaliação; ou criando/excluindo uma avaliação. Logo, é necessário pontuar que para se traduzir um texto não basta apenas conhecimentos linguísticos, mas também textuais e discursivos. Pode-se observar também a predominância de avaliações do tipo apreciação de valoração, o que indica que o rei buscava conferir valor às coisas e às ideologias, não atribuindo avaliações especificamente a pessoas. Assim, o nobre utiliza a linguagem para conscientizar a população da situação catastrófica que estavam vivendo, para depreciar os propósitos do inimigo e para valorizar a tarefa que enfrentariam, imprimindo em suas escolhas lexicais os seus próprios sentimentos. Com isso, através de sua influência como monarca, procurou unir a população contra o inimigo comum: o nazismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, F. A. S. D. P. Os elementos de Atitude no discurso do professor: um exercício em Análise do Discurso Sistêmico-Funcional. São Carlos: Pedro & João Editores, 2010.

CATFORD, J. C. A linguistic Theory. London: Oxford University Press, 2012.

DÖRNYEI, Z. Quantitative, Qualitative And Mixed Methods Research. In: DÖRNYEI, Z. Research Methods In Applied Linguistics. Oxford: Oxford University Press, 2007. p. 24-47.

FRANÇA, L. H. Entrevista. In: BENEDETTI, I. C.; SOBRAL, A. (org.). Conversas com tradutores: balanços e perspectivas da tradução. São Paulo: Parábola Editorial, 2003

FUZER, C.; CABRAL, S. R. S. Introdução à Gramática Sistêmico-Funcional em língua portuguesa. Campinas: Mercado de Letras, 2014.

HALLIDAY, M. A. K. An Introduction to Functional Grammar. 2. ed. London: Arnold, 1994.

HALLIDAY, M. A. K; MATTHIESSEN, C. M. I. M. An introduction to functional grammar. 3 ed. London: Holder Educaciona, 2004.

MACIEL, T. F. S.; RODRIGUES-JÚNIOR, A. S. “Estudo comparativo das atitudes avaliativas de Oscar Wilde na carta De Profundis e sua tradução para o português brasileiro”. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, n. 56.3, p. 935-954, set./dez. 2017.

MAPA DE LONDRES. O discursos do Rei e a história de George VI, o pai de Elisabeth II. Disponível em: <https://mapadelondres.org/o-discurso-do-rei-george-vi/>. Acesso em: 06 mar. 2019.

MARTIN, J. R. Beyond Exchange: Appraisal system in English. In: HUNSTON, S.; THOMPSON, G. Evaluation in text: authorial stance and the construction of discourse. Oxford: Oxford University Press, 2000.

MARTIN, J. R; ROSE, D. Working whit discourse: meaning beyond the clause. London: Continuum, 2003.

MARTIN, J. R; WHITE, P. The language of evaluation: appraisal in English. New York: Palgrave, 2005.

MATTHIESSEN, Christian. M. I. M. The environments of translation. In: STEINER, Erich; YALLOP, Colin (Ed.). Exploring translation and multilingual text production: beyond content. Berlin/New York: Mouton de Gruyter, 2001. p. 41-124.

MELLO, G. M. G. G. O tradutor de legendas como produtor de significados. Tese (Linguística Aplicada à Tradução) ”“ UNICAMP. Campinas, 2005.

MUNDAY, J. Evaluation in translation: critical points of translator decision-making. London/New York: Routledge, 2012.

THE king’s speech. Direção: Tom Hooper. United Kingdom, 2010. 118 min.

VASCONCELLOS, M. L. B. Retextualizing Dubliners: a systemic functional approach to translation quality assessment. Tese (Pós-Graduação em Inglês e Literatura Correspondente) ”“ Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1997.

VIAN JR., O. “O sistema de avaliatividade e os recursos para gradação em língua portuguesa”: questões terminológicas e de instanciação. DELTA, v. 25, n. 1, 2009, p. 99-129.

Downloads

Publicado

28-02-2021

Como Citar

ALMEIDA, Fabíola Aparecida Sartin Dutra Parreira; COUTINHO DOS SANTOS, Leonardo. O discurso do rei: o Sistema de Avaliatividade como instrumento de análise da tradução. Belas Infiéis, Brasília, Brasil, v. 10, n. 1, p. 01–18, 2021. DOI: 10.26512/belasinfieis.v10.n1.2021.32412. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/belasinfieis/article/view/32412. Acesso em: 30 maio. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.