Tradução comentada de “ich sterbe”, de Nathalie Sarraute

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/belasinfieis.v7i1.12464

Palavras-chave:

Tradução comentada, Nathalie Sarraute, Francês, Espanhol, Heterogeneidade enunciativa

Resumo

Este artigo consiste numa tradução comentada. É apresentada uma tradução, para o espanhol, do texto “Ich sterbe”, da escritora russo-francesa Nathalie Sarraute. O comentário consiste na explicitação de uma série de critérios que nortearam o trabalho de tradução, e na apresentação de exemplos ilustrativos dos critérios, tomados da tradução. A definição dos critérios se baseia, por sua vez, na análise do texto original, considerado no contexto da obra da autora. Na análise do texto e na exposição do projeto, são desenvolvidas e utilizadas as noções teóricas de heterogeneidades enunciativas, de Jacqueline Authier-Revuz, e de ritmo, segundo Henri Meschonnic.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nicolás GÓMEZ, Universidade de Brasília

Mestrando em Estudos da Tradução na Universidade de Brasília. Graduado em Sociologia (2008) pela Universidad de Buenos Aires, Argentina.

Referências

AGENCIA ARGENTINA DE ISBN. Disponível em: <http://www.isbn.org.ar/>. Acesso em: 30 nov. 2017.

AUTHIER-REVUZ, Jacqueline. Hétérogénéité(s) énonciative(s). In: Langages v. 19, n. 73, p. 98”“111 , 1984. Disponível em: <http://www.persee.fr/doc/lgge_0458-726x_1984_num_19_73_1167>. Acesso em: 1 dez. 2017.

BAJTIN, Mijail. Estética de la creación verbal. Tradução Tatiana Bubnova. 10. ed. México, México: Siglo XXI, 1999.

BASE DE DATOS DE LIBROS EDITADOS EN ESPAÑA. Disponível em: <https://www.mecd.gob.es/cultura-mecd/areas-cultura/libro/bases-de-datos-del-isbn/base-de-datos-de-libros.htm>. Acesso em: 30 nov. 2017.

BERMAN, Antoine. Pour une critique des traductions: John Donne. Paris, França: Gallimard (Bibliothèque des idées), 1995.

CAMPOS, Haroldo De. Da tradução como criação e como crítica. In: Metalinguagem e outras metas. 2a edição. São Paulo: Perspectiva, 1992. p. 31”“48.

FOUCAULT, Michel. La arqueología del saber. Buenos Aires, Argentina: Siglo XXI, 2002.

PEREIRA, Germana Henriques. Nathalie Sarraute: a “era da suspeita”, a delimitação de um novo cânone, e sua tradução. In: Traduzires v. 1, n. 2 , 2012. Disponível em: <http://periodicos.unb.br/index.php/traduzires>. Acesso em: 30 nov. 2017.

LA CENTRAL. Disponível em: <https://www.lacentral.com/sarraute-nathalie/adriana-hidalgo/retrato-de-un-desconocido/9789879396735>. Acesso em: 26 maio 2018.

MESCHONNIC, Henri. Poétique du traduire. Verdier (Poche), 2012.

SARRAUTE, Nathalie. Ich sterbe. L’usage de la parole. Paris: Gallimard, 1980.

Downloads

Publicado

31-07-2018

Como Citar

GÓMEZ, Nicolás. Tradução comentada de “ich sterbe”, de Nathalie Sarraute. Belas Infiéis, Brasília, Brasil, v. 7, n. 1, p. 91–114, 2018. DOI: 10.26512/belasinfieis.v7i1.12464. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/belasinfieis/article/view/12464. Acesso em: 24 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.