Tradução de épica burlesca: La Gatomaquia de Lope de Vega

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/belasinfieis.v9.n2.2020.26995

Palavras-chave:

Tradução. Poesia. Épica. LiteraturaBurlesca. La Gatomaquia.

Resumo

Este artigo propõe uma breve introdução ao poema épico-burlesco de Félix Lope de Vega, La Gatomaquia (1634), obra ainda secundária nos estudos lopeanos, cuja extensa bibliografia detêm-se antes na produção dramática do autor. Duas questões centrais serão destacadas ao longo do trabalho: a primeira diz respeito à escolha de Lope de Vega por um gênero burlesco para finalizar sua produção épica, após haver publicado poemas longos que tentavam construir na Espanha um imaginário de uma história vitoriosa, como Luís de Camões fizera em Portugal com Os Lusíadas (1572). No entanto, longe de propor um projeto inovador como havia feito em El arte nuevo de hacer comedias (1609) que tentava dar conta de um novo modelo de comédia que se consolidava na Espanha, Lope explicita sua inserção dentro de uma tradição, cujos nomes de Marcião de Sinope, Diego Hurtado de Mendoza e, especialmente, Homero, mostram-se essenciais para a composição desse poema de caráter jocoso. O estudo pretende analisar, portanto, as referências presentes no poema e o alcance do gênero burlesco na literatura espanhola. A segunda questão aponta para o alcance ainda exíguo da poesia épica espanhola no Brasil, o que propicia a proposta de uma tradução comentada do poema do castelhano para o português, com o fim de impulsionar a literatura espanhola seiscentista em países lusófonos. Dentro deste contexto, será relevante apresentar um pequeno esboço das vertentes teóricas de tradução em diferentes séculos pela Espanha, com especial destaque para as primeiras escolas de tradução, que surgiram no século XVI espanhol em Sevilha e Toledo. Este artigo combina resultados obtidos na tese de doutoramento, que verificou a necessidade de uma edição crítica de La Gatomaquia, cujo alcance seria ainda maior com a subsequente tradução ao português, com a pesquisa que realizo de pós-doutorado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wagner Monteiro Pereira, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduado em Letras Português ”“ Espanhol (2012) pela Universidade Federal do Paraná. Mestre (2015) e doutor (2018) em Letras pela mesma instituição. Professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Instituto de Letras, Departamento de Letras Neolatinas. Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Referências

BALCELLS, José María. La Batracomiomaquia y la epopeya burlesca en la Edad de Oro. IX Simposio de la Sociedad Española de Literatura general y comparada. 2, 1994, p. 25-30.

BENJAMIN, Walter. A tarefa do tradutor. Belo Horizonte: UFMG, 2008.

BLÁZQUEZ RODRIGO, Marcelo. La gatomaquia de Lope de Vega. Madrid: Consejo Superior de Investigaciones Científicas, 1995.

CAMPANA, Patrizia. La silva en Lope de Vega. AISA. Actas V, p. 249-260, 1999.

CAMPOS, Haroldo de. Da transcriação: poética e semiótica da operação tradutora. Belo Horizonte: UFMG, 2011.

COLUNGA, Alberto; TURRANO, Laurentio. Biblia sacra: iuxtavulgatanclementinam. Madrid: La Editorial Catolica, 1953.

CONCHADO, Diana. La Gatomaquia de Lope de Vega y la épica burlesca. Moenia. 2, 1997, p. 421-484.

COVARRUBIAS, Sebastián de. Tesoro de la lengua castellana. Madrid: Iberoamericana, 2006.

DAGUT, Menachem. Can “Metaphor” be translated. Babel. 22. p. 21-32, 1976.

DERRIDA, Jacques. “Des tours de Babel” in GRAHAM, Joseph. Difference in Translation. Londres : Cornell University Press, 1985.

DERRIDA, Jacques.Sovereigneities in question: the poetics of Paul Celan. Nova York: FordhamUniversityPress, 2005.

EGIDO, Aurora. La silva en la poesía andaluza del Barroco. Criticón. v. 46, n. 1, p. 5-39, 1989.

ENTRAMBASAGUAS, Joaquín de. Lope de Vega y su tiempo. Barcelona: Labor, 1935.

ESCARPIT, Robert. L’humour. Paris: Presses universitaires de France, 1962.

HÖFFE, Otfried. Aristóteles: Introdução. Porto Alegre: Artmed, 2008.

HUERTA CALVO, Javier. “La teoría de la crítica literaria” in AULLÓN DE HARO, Pedro. Teoría de la crítica literaria. Madrid: Trotta, 1994.

JAKOBSON, Roman. Linguística e comunicação. São Paulo: Perspectiva, 1975.

LUKÁCS, György. Teoría de la novela. Barcelona: Siglo XXI, 1967.

FUMAROLI, Marc. La querelle des anciens et des modernes. Paris, Gallimard, 2001.

MARAVALL, José Antonio. Antiguos y modernos. Madrid: Alianza Editorial, 1965.

MARAVALL, José Antonio. La cultura del Barroco. Barcelona: Ariel, 1980.

MENÉNDEZ PIDAL, Ramón. La epopeya castellana a través de la literatura española. Buenos Aires: Espasa-Calpe, 1945.

MILTON, John. Tradução: teoria e prática. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

NIDA, Eugene; TABER, Charles. The theory and practice of translation. Leiden: Brill, 1970.

ORTEGA Y GASSET, José. El libro de las misiones. Madrid: Espasa-Calpe, 1940.

PALLÃ BONET, Julio. Homero en España. Madrid: Alianza, 1953.

PIERCE, Frank. La poesía épica del Siglo de Oro. Madrid: Gredos, 1968.

POUND, Ezra. Literary essays of Ezra Pound. Londres: Faber & Faber, 1960.

PRIETO, Antonio. “Origen y transformación de la épica culta en castellano” in Coherencia y relevancia textual. Madrid: Alhambra, 1980.

QUILIS, Antonio. Métrica española. Madrid: Ediciones Alcalá, 1969.

RICOEUR, Paul. A metáfora viva. Rio de Janeiro: Loyola, 2000.

ROZAS, Juan Manuel. La obra dramática de Lope de Vega. Alicante: Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes, 2002.

STEINER, George. After Babel: aspects of language and translation. Oxford: Oxford UniversityPress, 1975.

TORRE, Esteban. Teoría de la traducción literaria. Madrid: Síntesis, 2001.

VÁZQUEZ DE PRADA, Andrés. El sentido del humor. Madrid: Alianza Editorial, 1973.

VEGA, Lope de. La Gatomaquia. Madrid: Fundamentos, 2009 (publicado originalmente em 1634).

VINAY, Jean-Paul; DARBELNET, Jean. Stylistique comparée du français et d l’anglais : méthode de traduction. Paris: Didier, 1972.

Publicado

30-03-2020

Como Citar

MONTEIRO PEREIRA, Wagner. Tradução de épica burlesca: La Gatomaquia de Lope de Vega. Belas Infiéis, Brasília, Brasil, v. 9, n. 2, p. 65–82, 2020. DOI: 10.26512/belasinfieis.v9.n2.2020.26995. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/belasinfieis/article/view/26995. Acesso em: 22 maio. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.