Habeas corpus: reflexões teóricas e estratégias para a tradução (espanhol ”“ português) do termo jurídico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/belasinfieis.v8.n4.2019.23401

Palavras-chave:

Estudos da Tradução. Tradução entre línguas próximas. Tradução do texto jurídico. Itens-culturais-específicos em tradução. Habeas Corpus. Par linguístico Português-Espanhol.

Resumo

Este artigo apresenta reflexões sobre estratégias para a tradução de textos relacionados ao domínio discursivo jurídico. São aqui discutidos alguns usos do termo habeas corpus no par linguístico espanhol ”“ português que, embora eventualmente designados de forma idêntica, têm alcance, efeitos e ritos distintos nos sistemas jurídicos em contato. Considerando habeas corpus um item-cultural-específico, este trabalho aborda a história e o desenvolvimento dessa garantia no Brasil e em alguns países de língua espanhola com o objetivo de refletir sobre as diferenças entre os sistemas jurídicos eventualmente em contato por meio da tradução, chamando atenção para o fato de que dicionários nem sempre preveem a diversidade dos habeas corpus insculpidos no Direito das nações de língua hispânica. A partir disso, são sugeridas estratégias para o tratamento deste termo na tradução do texto jurídico, ressaltando-se a importância da consulta a fontes acuradas e dicionários especializados ””e, preferencialmente, provenientes do país de cuja tradição jurídica se estiver traduzindo ”” de modo a evitar que a tradução desses termos ignore as características que eles apresentam enquanto itens-culturais-específicos. Para tanto, propõe-se uma revisão teórica sobre o habeas corpus como instrumento garantidor de liberdades (tanto de liberdade de locomoção como de liberdades individuais mais amplas), seguida de uma discussão sobre como a tradução de textos jurídicos está ligada aos diferentes ambientes culturais em que esses textos estão colocados. Tomando por base o referencial teórico de Javier Franco Aixelá sobre itens-culturais-específicos, são propostas seis possíveis estratégias para a manipulação do habeas corpus (ou do instrumento que o faça as vezes sob a ótica do Direito Comparado) em tradução do espanhol para o português. Em seguida, analisam-se especificamente as estratégias possíveis para a tradução de termos e são apresentados exemplos de explicação intratextual e de universalização para este termo provenientes do texto jornalístico sobre o Direito. Com essa discussão, este artigo visa a levantar um debate em uma área relativamente pouco trabalhada dentro dos Estudos da Tradução e contribuir para o desenvolvimento do campo com uma pesquisa sobre línguas próximas, como o português e o espanhol.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andrea Cristiane KAHMANN, Universidade Federal de Pelotas

Doutora (2017) e Mestre (2006) em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Especialista em Gestão Estratégica Municipal (2006) pela Universidade de Santa Cruz do Sul. Licenciada em Letras Português/Espanhol (2003) pela Universidade de Santa Cruz do Sul. Bacharel em Direito (2002) pela mesma instituição. Professora da Universidade Federal de Pelotas. Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil.

Daniel Antonio de Sousa ALVES , Universidade Federal da Paraíba

Doutor em Estudos da Tradução (2014) pela Universidade Federal de Santa Catarina. Mestre em Estudos Linguísticos (2006) pela Universidade Federal de Minas Gerais. Graduado em Letras (2003) pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professor da Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa, Paraíba, Brasil.

Referências

ACQUAVIVA, Marcus Cláudio. Dicionário jurídico brasileiro. 12. ed. São Paulo: Editora Jurídica Brasileira, 2004. 1423p. p.686-690.

ALCARAZ VARÓ, Enrique; HUGHES, Brian. Legal translation explained. Manchester, UK; Northampton, MA: St. Jerome Pub., 2002. 204p.

AP [Association Press]. Justicia argentina rechazó recursos en favor de Menem. Emol, 1 dez. 2004. Disponível em: https://www.emol.com/noticias/internacional/2004/12/01/165626/justicia-argentina-rechazo-recursos-en-favor-de-menem.html. Acesso em: 6 out. 2019.

AUBERT, Francis Henrik. Dilemas da literalidade na tradução juramentada. Trabalhos em linguística aplicada. v. 44, n. 2, p.247-263, Campinas, jul. - dez. 2005,. Disponível em: http:/www.scielo.br/pdf/tla/v44n2/a06v44n2.pdf. Acesso em: 6 out. 2019.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. A Constituição e o Supremo. Disponível em: http://www.stf.jus.br/portal/constituicao/. Acesso em: 6 out. 2019.

BRASIL. Congresso Constituinte. Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil (24 de fevereiro de 1891). Disponível em: http:/www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/Constituicao91.htm. Acesso em: 6 out. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Decreto 678, de 6 de novembro de 1992. Disponível em: http:/www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/D0678.htm. Acesso em: 15 jan. 2019.

CALDAS AULETE, Francisco Júlio. Dicionário contemporâneo da língua portuguesa. v. III. 4. ed. Revisada, atualizada e ampliada por: Hamílcar de Garcia e Antenor Nascentes. Rio de Janeiro: Delta, 1985. 3998p. p. 1817.

DDMX [Diario de México]. Tribunal rechaza petición de Lula para evitar prisión. Diario de México, 30 jan. 2018. Disponível em: https://www.diariodemexico.com/tribunal-rechaza-petici%C3%B3n-de-lula-para-evitar-prisi%C3%B3n. Acesso em: 7 out. 2019.

EFE. En Perú admiten Habeas Corpus en favor de Luccetti. Emol, 22 maio 2001. Disponível em: https://www.emol.com/noticias/economia/2001/05/22/55502/en-peru-admiten-habeas-corpus-en-favor-de-luccetti.html. Acesso em: 6 out. 2019.

ESPANHA. Constitución Española (1978). Disponível em: https://boe.es/legislacion/documentos/ConstitucionCASTELLANO.pdf. Acesso em: 5 out. 2019.

ESPANHA. Jefatura del Estado. Ley Orgánica 6/1984, de 24 de mayo, reguladora del procedimiento de «Habeas corpus». Disponível em: https:/www.boe.es/buscar/pdf/1984/BOE-A-1984-11620-consolidado.pdf. Acesso em: 7 out. 2019.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Dicionário Aurélio da língua portuguesa. (Coord. Marina Baird Ferreira, Margarida dos Anjos). 5. ed. Curitiba: Positivo, 2010. 2272p. p. 1069.

FRANCO AIXELÁ, Javier. Itens Culturais-Específicos em Tradução. Traduzido por: Mayara Matsu Marinho e Roseni Silva. In”Traduções, Florianópolis, v. 5, n. 8, p.185”218, jan./jun., 2013.

GARCÃA BELAUNDE, Domingo. El Habeas corpus en América Latina: algunos problemas y tendencias recientes. Ius et Veritas. Lima, n. 9, 1994, p.69 ”“ 81. Disponível em: http:/revistas.pucp.edu.pe/index.php/iusetveritas/article/viewFile/15448/15900. Acesso em: 6 out. 2019.

GARCÃA MORELOS, Gumesindo. El proceso de habeas corpus en el Derecho Comparado. In: GONZÁLEZ OROPEZA, Manuel; FERRER MAC-GREGOR, Eduardo. (Coord.) El Juicio de amparo: a 160 años de la primera sentencia. Tomo II. México: Universidad Autónoma de México, 2011. 593p. p.503 ”“ 528. Disponível em: https:/archivos.juridicas.unam.mx/www/bjv/libros/7/3065/20.pdf. Acesso em: 6 out. 2019.

GÉMAR, Jean-Claude. A problemática da tradução jurídica: princípios e nuances. Tradução de Bruna Steffen revisada por Patrícia Reuillard. Cadernos de tradução, Porto Alegre, número especial, 2016, p. 75 ”“ 90.

HARVEY, Malcolm. What’s so Special about Legal Translation? META, v. 47, n. 2, June 2002, p.177-185.

HOUAISS, Antônio. Dicionário Eletrônico Houaiss da língua portuguesa versão 3.0. São Paulo: Objetiva, 2009. [cd-rom]

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Gêneros Textuais: definição e funcionalidade. In: DIONÃSIO, Ângela P.; MACHADO, Anna R.; BEZERRA, Maria A. (Org.) Gêneros Textuais e Ensino. 2 ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2003, 232p. (p. 19-36).

MASSAÚ, Guilherme Camargo. A História do Habeas corpus no Direito Brasileiro e Português. Revista Ágora, Vitória, n. 7, 2008, p.1-33.

MENDES, Gilmar Ferreira. Habeas corpus. In: MENDES, Gilmar Ferreira; COELHO, Inocêncio Mártires; BRANCO, Paulo Gustavo Gonet. Curso de Direito Constitucional. 4. ed. rev. e atual. São Paulo: Saraiva, 2009. 1486p. p. 565 ”“ 566.

MOSSIN, Heráclito Antônio. Habeas corpus: antecedentes históricos, hipóteses de impetração, processo, competência e recursos, modelos de petição, jurisprudência atualizada. 7. ed. Barueri: Manole, 2005. 689p.

PONTES DE MIRANDA, Francisco Cavalcanti. História e prática do habeas-corpus. Tomo I. 8. ed. corrigida e melhorada. São Paulo: Saraiva, 1979. 373p.

REAL ACADEMIA ESPAÑOLA. Consejo General del Poder Judicial. Diccionario del español jurídico. Disponível em: dej.rae.es. Acesso em: 6 out. 2019.

REUTERS. La justicia boliviana rechaza el 'hábeas corpus' de Repsol YPF y prosigue con la investigación. El País, 13 mer. 2006. Disponível em: https://elpais.com/economia/2006/03/13/actualidad/1142238779_850215.html. Acesso em: 6 out. 2019.

RUFFIA, Paolo Biscaretti di. Habeas corpus. In: MORTATI, Constantino; PUGLIATTI, Salvatore (Dir). Enciclopedia del diritto. vol. XIX. Varese: Giuffré Editore, 1970. 1016p. p. 941-945.

SIDOU, J. M. Othon. Dicionário Jurídico: Academia Brasileira de Letras Jurídicas. 8. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003. 913p.

SILVA, De Plácido e. Vocabulário Jurídico. 26. ed. Atualizada por: Nagib Slabi Filho e Gláucia Carvalho). Rio de Janeiro: Forense, 2005. 1501p.

Downloads

Publicado

23-11-2019

Como Citar

KAHMANN, Andrea Cristiane; DE SOUSA ALVES , Daniel Antonio. Habeas corpus: reflexões teóricas e estratégias para a tradução (espanhol ”“ português) do termo jurídico. Belas Infiéis, Brasília, Brasil, v. 8, n. 4, p. 111–131, 2019. DOI: 10.26512/belasinfieis.v8.n4.2019.23401. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/belasinfieis/article/view/23401. Acesso em: 12 jul. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.