O processo de produção de textos traduzidos para Libras em vídeo no Departamento de Letras-Libras (UFRJ) comparado ao processo de produção de traduções editoriais entre línguas orais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/belasinfieis.v9.n5.2020.31990

Palavras-chave:

Estudos da Tradução. Tradução em Libras. Tradução editorial.

Resumo

O presente artigo visa analisar o processo de produção de textos traduzidos do português para a Língua Brasileira de Sinais (Libras) adotado no Departamento de Letras-Libras da UFRJ e compará-lo com o processo de produção de traduções editoriais entre línguas orais. Com esse fim, descreveremos uma proposta metodológica de produção de textos traduzidos registrados em vídeos. Tais traduções envolvem um texto-fonte na modalidade escrita de uma língua oral, no caso, o português, e um texto-alvo, em uma língua de sinais, no caso, a Libras, registradas em vídeo. A metodologia descreve o processo desde o princípio, com o recebimento da demanda, e se desenvolve em diversas etapas: estudo do material, decupagem, tradução, revisão, filmagem, edição, conferência, refilmagem e entrega do material traduzido. Um dos objetivos da metodologia descrita é evitar que haja registros filmados do que seria, na verdade, uma interpretação simultânea. Buscaram-se processos que resultem em uma tradução, de fato, com todas as características peculiares de tal atividade. Tal metodologia foi elaborada a partir da experiência da equipe de tradução do Departamento de Letras-Libras, situado na Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro, usando como base as reflexões de Stone (2009), Silvério et al. (2012), Marques e Oliveira (2012), Taveira et al. (2015), XXX (2012), Galasso et al. (2018) e Pyfers (1999). Acreditamos que o processo aqui descrito possa ser aplicado a qualquer processo tradutório que tenha como ponto de partida uma língua escrita e como alvo uma língua de sinais, sem quaisquer alterações, a não ser as necessárias para adequação aos recursos disponíveis. Como na tradução editorial envolvendo duas línguas orais também são utilizadas etapas bem definidas para a produção do livro traduzido (tradução, preparação da tradução, revisões de prova, versão final da tradução), conforme Moraes (2015) e Machado (2018), foi empregado o método comparativo para alinhar as duas metodologias, a fim de perceber em quais aspectos a tradução de textos envolvendo uma língua de sinais se distingue da tradução editorial, e em quais aspectos ambos os processos se assemelham, lançando ainda mais luz ao primeiro processo. Nas considerações finais, foi dado destaque às funções que o tradutor desempenha em ambos os processos, incluindo uma crítica à falta de interação entre tradutor e revisores na tradução editorial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Teresa Dias Carneiro, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutora em Letras (2014) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Mestre em Letras (1999) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Especialista em Tradução Inglês-Português (1997) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Especialista em Tradução (1992) pela Universidade Federal da Bahia. Licenciada em Língua Portuguesa e Respectivas Literaturas (2017) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Bacharel em Economia (1983) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. É professora adjunta 1 da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Departamento de Letras. Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Dafny Saldanha Hespanhol Vital, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Especialista em “Libras: ensino, tradução e interpretação” (2015) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Bacharel em Letras-Libras, em 2012, pela Universidade Federal de Santa Catarina. Graduada e em Turismo (2013) pela Universidade Federal Fluminense. Tradutora e intérprete de Libras<>Português na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Departamento de Letras-Libras, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Rodrigo Pereira Leal de Souza, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestrando em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Bacharel em Letras-Libras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2017). Tradutor e intérprete de Libras<>Português na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Departamento de Letras-Libras, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Referências

ALFARANO, Regina. Entrevista. In: BENEDETTI, Ivone C.; SOBRAL, Adail (orgs.) Conversas com tradutores: balanços e perspectivas da tradução. São Paulo: Parábola Editorial, 2003. p. 33-44.

ANATER, Gisele. I. P.; PASSOS, Gabriele C. R. Tradutor e Intérprete de Língua de Sinais: história, experiência e caminhos de formação. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 26, p. 207-236, 2010. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2010v2n26p207. Acesso em: 4 jun. 2020.

BAKER, Mona (ed.). Routledge Encyclopedia of Translation.2. ed. London: Routledge, 2001.

BROWN, Keith; MILLER, Jim. The Cambridge Dictionary of Linguistics.Cambridge: Cambridge University Press, 2013.

CAMPELLO, Ana Regina S. e; CASTRO, Nelson P. de. Introdução da glosinais como ferramenta de tradução/interpretação das pessoas surdas brasileiras. Revista Escrita, [S.L.], v. 2013, n. 17, p. 1-14, 10 dez. 2013. Disponível em: http://dx.doi.org/10.17771/pucrio.escrita.22338. Acesso em: 17 abr. 2020.

CARNEIRO, Teresa D.; HESPANHOL, Dafny S.; LEAL, Rodrigo. Outros tipos de tradução. Tradução de Helena Mora. [2018] Disponível em: http://www.vialibras.letras.ufrj.br/index.php/outros-tipos-de-traducao. Acesso em: 12 set. 2019.

CAMPOS, Geir M. et al. Sistema para composição de estúdios virtuais utilizando técnicas de realidade aumentada. In: SYMPOSIUM ON VIRTUAL AND AUGMENTED REALITY, 12., 2010, Natal. Proceedings […].Natal: UFMG, 2010. p. 22-30.

CARDOSO, Alexandre B. da R. Vídeo registro em Libras: uma proposta de acesso ao pensamento original aos surdos. 2016. Dissertação (Mestrado em Estudos da Tradução) ”“ Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/169221/342132.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 14 abr. 2020.

FREITAS, Luiz Carlos B. de. Interação em sala de aula em Libras e Português com experiências transidiomáticas: enquadres de professor e alunos surdos e ouvintes. 2019. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) ”“ Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2019. Disponível em: https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/46655/46655. PDF. Acesso em: 9 set. 2020.

GALASSO, Bruno J. B. et al. Processo de produção de materiais didáticos bilíngues do Instituto Nacional de Educação de Surdos. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 24, n.1, p. 59-72, mar. 2018.

GILE, Daniel. Basic Concepts and Models for Interpreter and Translator Training. Amsterdam/New York: John Benjamins Publishing Company, 2009. 287 p.

HESPANHOL, Dafny S. Tradução comentada do texto “Do patológico ao cultural na surdez: para além de um e de outro ou para uma reflexão crítica dos paradigmas” ”“ Audrei Gesser. Trabalho de Conclusão de Curso ”“ UFSC, Florianópolis, 2012.

KOCH, Ingedore G. V. O texto: construção de sentidos. Organon: Revista do Instituto de Letras da UFRGS, Rio Grande do Sul, v. 9, n. 23, p. 21-27, dez. 1995.

KRUSSER, Renata S. Elementos de design editorial na tradução didática Português/Libras. In: CONGRESSO NACIONAL DE PESQUISAS EM TRADUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE LIBRAS E LÃNGUA PORTUGUESA, 3., 2012, Florianópolis. Anais [...].Florianópolis: UFSC, 2012. p. 1-7.

MACHADO, Carolina. Manual de sobrevivência do revisor iniciante. Belo Horizonte: Moinhos, 2018.

MARQUES, Rodrigo R.; OLIVEIRA, Janine S. de. A normatização de artigos acadêmicos em Libras e sua relevância como instrumento de constituição de corpus de referência para tradutores. In: III Congresso nacional de pesquisas em tradução e interpretação de libras e língua portuguesa, 2012, Florianópolis. Anais [...].Florianópolis: UFSC, 2012. p. 1-7.

MIKKELSON, Holly; JOURDENAIS, Renée The Routledge Handbook of Interpreting.New York: Routledge, 2015. 455 p.

MORAES, Allan. Quer ter um livro de qualidade? Siga estes passos. [2015] Disponível em: https://revisaoparaque.com/blog/quer-ter-um-livro-de-qualidade-siga-estes-passos. Acesso em: 9 set. 2020.

PAGURA, Reynaldo J. Tradução & interpretação. In: AMORIM, Lauro M.; RODRIGUES, Cristina C.; STUPIELLO, Érica. N, de A. (org.). Tradução &: perspectivas e práticas teóricas. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2015. p. 183-207

PÖCHHACKER, Franz. Evolution of Interpreting Research. In: MIKKELSON, H.; JOURDENAIS, R. (eds.) The Routledge Handbook of Interpreting. New York: Routledge, 2015, p. 62-76.

PÖCHHACKER, Franz. Introducing Interpreting Studies.2. ed. New York: Routledge, 2004. 251 p.

PYFERS, Liesbeth. Guidelines for the Production, Publication and Distribution of Signing Books for the Deaf in Europe. Signing Books Project, Netherlands, 1999. Disponível em: https://www.sign-lang.uni-hamburg.de/signingbooks/sbrc/pdf/del_71.pdf. Acesso em: 27 abr. 2020.

QUADROS, Ronice M. de; SOUZA, Saulo X. Aspectos da tradução/encenação na Língua de Sinais Brasileira para um ambiente virtual de ensino: práticas tradutórias do curso de Letras-Libras. In: QUADROS, Ronice M. de (org.). In: Estudos Surdos III. Petrópolis: Editora Arara Azul, 2008. p. 168-207. (Série Pesquisas).

ROCHA, Francine A. Tradução de materiais didáticos para Libras: políticas de educação e de tradução em questão. In: ALBRES, Neiva de A. (Org.). Libras e sua tradução em pesquisa: interfaces, reflexões e metodologias. Florianópolis: Biblioteca Universitária UFSC, 2017, p. 150-175.

RODRIGUES, Carlos H.; BEER, Hanna. Os estudos da tradução e da interpretação de Línguas de Sinais: novo campo disciplinar emergente?: novo campo disciplinar emergente?. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 35, n. 2, p. 17-45, jul. 2015.

SAITO, Daniela S.; SCOLARI, Sérgio H. P.; FELÃCIO, Márcia D. O design de material didático e o processo de tradução/interpretação (Libras/Português): uma aproximação possível. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SISTEMAS MULTIMÃDIA E WEB, 17., 2011, Florianópolis. Anais [...].Florianópolis: Biblioteca Digital Brasileira de Computação, 2011. p. 35-38.

SEGALA, Rimar. Tradução intermodal e intersemiótica/interlingual: português brasileiro escrito para língua brasileira de sinais. 2010. Dissertação (Mestrado em Estudos da Tradução) ”“ Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2010. Disponível em: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/94582. Acesso em: 9 set. 2020.

SILVA, Claudney M. O.; SILVA, Sofia O. P. A. C. Tradução de provas para Libras: uma proposta metodológica: uma proposta metodológica. In: CONGRESSO NACIONAL DE PESQUISAS EM TRADUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE LIBRAS E LÃNGUA PORTUGUESA, 3., 2012, Florianópolis. Anais [...], Florianópolis: UFSC, 2012. p. 1-8.

SILVÉRIO, Carla C. de P. et al. Reflexões sobre o processo de tradução-interpretação para uma língua de modalidade espaço-visual. In: CONGRESSO NACIONAL DE PESQUISAS EM TRADUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE LIBRAS E LÃNGUA PORTUGUESA, 3., 2012, Florianópolis. Anais [...].Florianópolis: UFSC, 2012. p. 1-7

SOUZA, Saulo X. Performances de tradução para a língua brasileira de sinais observada no curso de Letras-Libras.2010. Dissertação (Mestrado em Estudos da Tradução: Lexicografia, Tradução e Ensino de Línguas Estrangeiras) ”“ Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2010. Disponível em: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/94642. Acesso em: 9 set. 2020

STONE, Christopher. Toward a Deaf Translation Norm. Washington D.C.: Gallaudet University Press, 2009. 200 p. (Studies in Interpretation).

STROBEL, Karin. As imagens do outro sobre a cultura surda. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2008.

TAVEIRA, Cristiane. et al. Novas tecnologias na produção de monografias em Libras com alunos do INES: língua de sinais, performance surda e o uso do vídeo digital. In: ROSADO, Luiz A. da S.; FERREIRA, Giselle M. dos S. (Org.). Educação e tecnologia: parcerias. Rio de Janeiro: Editora Universidade Estácio de Sá, 2015, p. 142-186.

VELLOSO, Bruno P. et al. Processo de design instrucional no desenvolvimento de objetos de ensino e aprendizagem bilíngues (Libras ”“ Português). Congresso Nacional de Ambientes Hipermídia para Aprendizagem, 7, 2015. São Luís: UFMA, 2015. p. 1-10.

ZORNOZA, Beatriz H. Grafismo audiovisual: El lenguaje efímero: Recursos y estrategias. 2008. Tese (Doutorado ”“ Curso de Belas Artes) ”“Universitat Politècnica de València, Valencia, 2008.

Downloads

Publicado

31-10-2020

Como Citar

CARNEIRO, Teresa Dias; SALDANHA HESPANHOL VITAL, Dafny; PEREIRA LEAL DE SOUZA, Rodrigo. O processo de produção de textos traduzidos para Libras em vídeo no Departamento de Letras-Libras (UFRJ) comparado ao processo de produção de traduções editoriais entre línguas orais. Belas Infiéis, Brasília, Brasil, v. 9, n. 5, p. 135–166, 2020. DOI: 10.26512/belasinfieis.v9.n5.2020.31990. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/belasinfieis/article/view/31990. Acesso em: 24 jul. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.