Os usos da ideia de luta pela existência na produção intelectual do século XIX

Autores

  • Raick de Jesus Souza FIOCRUZ

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v1i34.24747

Palavras-chave:

Campo intelectual. Evolucionismo. Naturalismo.

Resumo

O evolucionismo foi certamente a maior e a mais transformadora revolução paradigmática ocorrida no campo intelectual do Ocidente durante século XIX. Um dos conceitos que maior celeuma provocou na circulação das ideias evolucionistas foi o de “luta pela existência”. O objetivo central desta investigação é compreender os diversos significados disponíveis durante o século XIX para a ideia de “luta pela existência” tanto no campo intelectual quanto científico. Usaremos como bases os trabalhos de intelectuais ligados ao campo científico ”“ Charles Darwin, Herbert Spencer e Augusto Miranda de Azevedo ”“ e intelectual ”“ Silvio Romero e Araripe Junior. O caminho adotado é análise contextual e linguística das diversas ocorrências do conceito evolucionista de “luta pela existência” na produção intelectuais desses cientistas e literatos que marcaram a vida cultural e intelectual do Brasil da segunda metade do Oitocentos. Uma das premissas iniciais que gostaremos de testar ao longo desta investigação é a pluralidade de significados disponíveis para a ideia de “luta pela existência” para a economia do movimento evolucionista e para a compreensão do mundo natural que circundavam esses homens de letras. Por fim, gostaremos de demonstrar como a ideia evolucionista importada do campo da biologia, subsidiou nossos intelectuais oitocentistas na interpretação do Brasil e do povo brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARARIPE JR., Tristão de Alencar. Música. Pernambuco: Correio Pernambucano, 31/08/1868.

ARARIPE JR., Tristão de Alencar. Contos da roça. Pernambuco: Correio Pernambucano, 05/10/1868.

ARARIPE JR., Tristão de Alencar. ”•Duas palavras”–. In.: JAGOANHARO, Oscar. Contos Brasileiros I. Pernambuco: Correio Pernambucano, 1868.

ARARIPE JR., Tristão de Alencar. Cartas sobre a literatura brasílica. Pernambuco: Correio Pernambucano, 17/06/1869.

ARARIPE JR., Tristão de Alencar. Juvenal Galeno. Fortaleza: Constituição, 29/09/1872.

ARARIPE JR., Tristão de Alencar. O livro de Semprônio. Fortaleza: Constituição, 29/10/1972.

ARARIPE JR., Tristão de Alencar.Escola popular. Fortaleza: Fraternidade, 21/08/1874.

ARARIPE JR., Tristão de Alencar. A poesia sertaneja. Rio de Janeiro: O globo, 11/04/1875.

ARARIPE JR., Tristão de Alencar. Cantos do Equador. Rio de Janeiro: Gazeta de notícias, 10/03/1881.

ARARIPE JR., Tristão de Alencar. Festival Cearense: Carta a José do Patrocínio. Rio de Janeiro: Gazeta de notícias, 10/03/1881.

ARARIPE JR., Tristão de Alencar. Literatura Brasileira. Rio de Janeiro: A semana, 10/12/1887.AZEVEDO, A. C. Miranda. Darwinismo: seu passado, seu presente e seu futuro. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, 1876.

BOWLER, Peter Jr. The non-Darwinian revolution: reinterpreting a historical myth. The Jhons Hopkins University Press: Baltimore, 1992.

CAPONI, Gustavo. Georges Cuvier: un fisiólogo de museo. México: Unam; Limusa, 2008.

DAWKINS, Richard. O maior espetáculo da Terra. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

DARWIN, Charles. A origem das espécies, no meio da seleção natural ou a luta pela existência na natureza. Trad.: Mesquita Paul 1 vol., São Paulo: USP, 2003.

DARWIN, Charles. A origem do homem e a seleção sexual. São Paulo: HEMUS, 1974.

DARWIN, Charles. A expressão das emoções no homem e nos animais. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

DOMINGUÊS, Heloisa; SÁ, Magali; GLICK, Thomas (org.). A recepção do Darwinismo no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2003.

DOMINGUES, Heloisa Maria Bertol et al. (Org.). Darwinismo, meio ambiente, sociedade.São Paulo: Via Lettera; Rio de Janeiro: Museu de Astronomia e Ciências Afins, 2009.

DOMINGUES, Heloisa Maria Bertol. O darwinismo no Brasil, nas ciências naturais e na sociedade. Belo Horizonte: Rev. UFMG, 2014.

HOLMES, Brian. Herbert Spencer. v. 24. n. 3, 4.Paris: PROSPECTS, 1994.

MALTHUS, Thomas. An ensay on the principle of population. Inglaterra: Oxford University Press, 1999.

MARTINS, Lilian. ”•Herbert Spencer e o neolamarckismo: um estudo de caso”–. In.:Filosofia e história da Ciência no Cone Sul. Campinas: UFHIC, 2004.

RUSE, Michael. Mystery of myisteries: is Evolution a Social Construction?. Massachusetts: Harvard Univerity Press. Cambridge, 1999.

SPENCER, Herbert. Progresso: Suas leis e causas. Brasil: eBook Brasil, 2002.

SPENCER, Herbert. A inadequação da lei natural: Uma revisão contemporânea,1893.

ROMERO, Silvio. A literatura brasileira e a crítica moderna. Editora Maud, 1980.

ROMERO, Silvio. Estudos de literatura contemporânea. Rio de Janeiro: Tipografia Universal de Laemmert, 1885.

ROMERO, Silvio. A História do Brasil ensinada pela biografia de seus heróis. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1890.

Downloads

Publicado

2019-11-10

Como Citar

SOUZA, R. de J. Os usos da ideia de luta pela existência na produção intelectual do século XIX. Em Tempo de Histórias, [S. l.], v. 1, n. 34, p. 64–88, 2019. DOI: 10.26512/emtempos.v1i34.24747. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/24747. Acesso em: 6 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos