O papel da mulher intelectual na libertação da subalternidade de gênero no mundo pós-colonial.

Autores

  • Cleiton Ricardo das Neves Pontifícia Universidade Católica de Goiás
  • Amélia Cardoso Almeida Pontifícia Universidade Católica de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v0i25.14813

Palavras-chave:

Pós-Colonialismo. Gênero. Cultura.

Resumo

O colonialismo promove a despersonalização do ser colonizado, e nesse processo, o ser colonizado é também silenciado, ou seja, não lhe é permitido que se autorrepresente, sendo que sua representação é feita sempre pelo Outro colonizador. Há um elemento ainda mais grave nesse processo de silenciamento do subalterno, que é a questão de gênero dentro da própria empresa colonial, pois a mudez da mulher colonizada é ainda mais preocupante, já que esta é duplamente silenciada, subordinada tanto pelo patriarcado quanto pelo colonialismo. O presente artigo se propõe a analisar as questões relacionadas ao gênero feminino que envolvem as sociedades pós-coloniais e principalmente o papel desempenhado pela mulher intelectual oriunda do mundo colonizado ao problematizar a mudez da mulher subalterna. Para tanto, utilizaremos como base a teoria pós-colonial, especificamente o artigo ”Pode o subalterno falar?“ da intelectual indiana Gayatri Chakravorty Spivak

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BHABHA, Homí.K.O local da cultura. Trad: Myriam Ávila, Eliana Lourenço de Lima Reis, Gláucia Renate Gonçalves. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.

BONNICI, Thomas. O Pós-Colonialismo e a Literatura. Maringá: Editora da Universidade Estadual de Maringá, 2000.

BONNICI, Thomas.Conceitos-chaves da teoria pós-colonial. Maringá: Editora da Universidade Estadual de Maringá, 2005.

BUTLER, Judith. Él género en disputa: El feminismo y la subversión de la identidad, 2007. Traducción de Maria Antônia Muñoz. Ediciones Paidós Ibérica, SA.

SPIVAK, Gayatrí Ghakravort. Pode o subalterno falar?Trad:Sandra Regina Goulartde Almeida, Marcos Pereira Feitosa e André Pereira Feitosa, Belo Horizonte: Editora: UFMG,2010.

SAID, Edward W. Orientalismo: o Oriente como invenção do Ocidente.Trad: Tomás Rosa Bueno. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

SILVA Tomaz Tadeu da. Identidade e Diferença: A perspectiva dos estudos culturais/ Tomaz Tadeu da Silva (org). Stuart Hall, Kathryn Woodward. Petrópolis, Rj: Vozes, 2000.

SCOTT, Joan.Gênero: uma categoria útil para análise histórica, 1995. Tradução de Christine Rufino Dabat &Maria Betânia Ávila.

PEDRO, Joana Maria. Relações de gênero como categoria transversal na historiografia contemporânea, 2010. Texto é resultado de dados coletados para a pesquisa “Do feminismo ao gênero ”“circulação de teorias e apropriações no Cone Sul (1960-2008)”, iniciada em março de 2010, com financiamento do CNPq.

Downloads

Publicado

2015-02-23

Como Citar

DAS NEVES, C. R.; ALMEIDA, A. C. O papel da mulher intelectual na libertação da subalternidade de gênero no mundo pós-colonial. Em Tempo de Histórias, [S. l.], n. 25, 2015. DOI: 10.26512/emtempos.v0i25.14813. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/14813. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê