Construindo uma nação

culturas adversas e a busca da hegemonia civilizacional no Mato Grosso imperial

Autores

  • Ernesto Sena

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v0i08.20119

Palavras-chave:

Mato Grosso. Império. Século XIX. Índios. Populações. Civilização.

Resumo

Esse artigo analisa alguns aspectos da construção do império brasileiro, notadamente as políticas governamentais em Mato Grosso, as quais os dirigentes imperiais consideravam contingenciais para a formação de uma nação civilizada. Dessa maneira, esse artigo aborda a questão da pluralidade de culturas na conformação dessa mesma nação que deveria ter seus habitantes perfilhados, em que os diversos habitantes da circunscrição territorial do império deveriam ser considerados participantes de uma mesma comunidade

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDERSON, Benedict. Nação e Consciência Nacional. Ática, São Paulo, 1989.

CÂNDIDO, Antônio. Formação da Literatura Brasileira - momentos decisivos. Vol.2. São Paulo: Martins Editora, 1968.

CHARTIER, Roger. A História Cultural: Entre práticas e representações. Difel, Lisboa, 1990.

ELIAS, Norbert. O Processo civilizador. Vol 1, Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.

GEERTZ, Clifort. " Uma descrição densa: Por uma teoria interpretativa da cultura". In: A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Guanabara, 1997.

GUERRA, François-Xavier. “Memórias em Transformação”. Tradução de Jaime de Almeida. Revista Eletrônica da ANPHLAC; Nº 3; 2003. http://www.ifch.unicamp.br/anphlac/

LIMA, Nísia Trindade de. Um sertão chamado Brasil. Rio de Janeiro: IUPERJ/Revan, 1998.

MARCÃLIO, Humberto. História do Ensino em Mato Grosso. Cuiabá: Secretaria da Educação, Cultura e Saúde, 1963.

Relatório de Presidente de Província, Barão de Maracaju, 1880.

Relatório de Presidente de Província, João José Pedrosa, 1879.

Relatório de Presidente de Província, Hermes Ernesto da Fonseca, 1876.

Relatório de Presidente de Província, Hermes Ernesto da Fonseca, 1877.

Relatório de Presidente de Província, Joaquim Galdino Pimentel, 1886.

Relatório de Presidente de Província, José Maria de Alencastro, 1882.

Relatório de Vice Presidente de Província, José Joaquim Ramos Ferreira, 1887.

RODRIGUES, Neuma Brilhante. “‘O amor da pátria e o amor das letras’ : as origens da nação na Revista do IHGB (1839 ”“ 1889)”. Mimeo, 2000.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças - cientistas, instituições e questão racial no Brasil - 1870 - 1930. companhia das Letras. São Paulo:1993.

SIQUEIRA, Elizabeth Madureira, Luzes e Sombras, Modernidade e Educação Pública em Mato Grosso. Cuiabá: UFMT-IE, tese de doutorado, 1999.

SOUSA, Paulino José de. Ensaio sobre o direito administrativo. Rio de Janeiro: Ministério da Justiça, 1960.

VASCONCELOS, Cláudio Alves de. A Questão Indígena na Província de Mato Grosso: Conflito, Trama e Continuidade. São Paulo: USP/FFLCH, tese de doutorado, 1995.

WEINBERG, Gregório. “Modelos educacionais no desenvolvimento histórico da América Latina”. In: Para uma História da Educação Latino Americana. Campinas: Ed. Autores Associados, 1996.

Downloads

Publicado

2011-02-07

Como Citar

SENA, E. Construindo uma nação: culturas adversas e a busca da hegemonia civilizacional no Mato Grosso imperial. Em Tempo de Histórias, [S. l.], n. 08, 2011. DOI: 10.26512/emtempos.v0i08.20119. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/20119. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)