Imprensa alternativa e desbunde: o Pasquim, a contracultura e os movimentos de esquerda nos ‘Anos de Chumbo’

Autores

  • Natália Martins Besagio Universidade Estadual de Maringá

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v0i27.14780

Palavras-chave:

Ditadura. Contracultura. Imprensa alternativa.

Resumo

O período denominado ‘Anos de Chumbo’ foi propício ao desenvolvimento da imprensa alternativa, responsável pela subversão dos ideais militares. Enquanto a imprensa oficial se alinhava ao poder, fazendo apologia à ideia do “Brasil, ame-o ou deixe-o”, os jornais alternativos, como O Pasquim, utilizavam-se do humor como forma de burlar a censura, sendo associados ao movimento da Contracultura e da Nova Esquerda. Diante desse panorama, o presente artigo tem como objetivo abordar os aspectos de produção da imprensa alternativa, associando-os à contracultura de maneira a indicar os pontos de aproximação e distanciamento entre os mesmos. Além disso, através de uma abordagem cultural-gramsciniana, pretende-se analisar a imprensa alternativa enquanto um movimento inserido no contexto de emergência da Nova Esquerda no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMARAL, Luiz. Técnica de jornal e periódico. Rio de Janeiro: Tempo brasileiro, 1987.

DAGNINO, Evelina.“Cultura, cidadania e democracia: a transformação dos discursos e práticas na esquerda latino-americana”.In: ALVAREZ, Sonia; DAGNINO, Evelina; ESCOBAR, Arturo (Orgs.). Cultura e política nos movimentos sociais latino-americanos: novas leituras. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2000, p.61-101.

GASPARI, Elio. A ditadura escancarada. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

GOFFMAN, Ken; JOY, Dan. Contracultura através dos tempos:do mito de Prometeu à cultura digital. Tradução de Alexandre Martins. Rio de Janeiro: Ediouro, 2007.

KUCINSKI, Bernardo. Jornalistas e revolucionários:nos tempos da imprensa alternativa. São Paulo: Edusp, 2001.

LAGE, Nilson. A reportagem: teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística. Rio de Janeiro: Record, 2001.

MACIEL, Luiz Carlos. Negócio seguinte:. Rio de Janeiro: Codecri, 1982.

MACIEL, Luiz Carlos. Anos 60. Porto Alegre: L&PM, 1987.

PETRINI, Paulo. Gêneros discursivos iconográficos de humor no jornal O Pasquim: uma janela para a liberdade de expressão. Londrina, 2012

QUEIROZ, Andréa Cristina de Barros. O Pasquim: um jornal que só diz a verdade quando está sem imaginação (1969-1991). História & Perspectivas, n.31, p.229-252, 2004.

RISÉRIO, Antonio. Duas ou três coisas sobre a contracultura no Brasil. In: COELHO, Claudio Novaes Pinto. Anos 70: trajetórias. São Paulo: Iluminuras; Itaú Cultural, 2005.

RUDÉ, George. Ideologia e protesto popular. Tradução de Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1982.

STEPHENS, Julie. Anti-Disciplinary Protest: Sixties Radicalism and Postmodernism. Cambridge: Cambridge University Press, 1998. Resenha de ADELMAN, M. O Reencantamento do político: Interpretações da contracultura. Revista de Sociologia e Política, n.16, p.143-147, 2001.

Downloads

Publicado

2016-04-01

Como Citar

BESAGIO, N. M. Imprensa alternativa e desbunde: o Pasquim, a contracultura e os movimentos de esquerda nos ‘Anos de Chumbo’. Em Tempo de Histórias, [S. l.], n. 27, 2016. DOI: 10.26512/emtempos.v0i27.14780. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/14780. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos