Porto e liberdade: o surgimento das associações operárias em Itajaí (SC) no começo do século XX.

Autores

  • André Luiz Rosa

DOI:

https://doi.org/10.26512/emtempos.v0i30.14726

Palavras-chave:

Associação Operária. Atividade Portuária. Descendentes de Escravos.

Resumo

O artigo visa ofertar ao leitor a possibilidade de o mesmo conhecer mais sobre o início das práticas operárias associativas na cidade de Itajaí (SC), no começo do século XX. O texto traz à luz o papel dos trabalhadores de Itajaí, incluindo descendentes de escravos e ex-escravos, no que tange sua organização política e social no período pós Abolição da escravatura. O modo como isso ocorreu, os atores sociais que integraram esse cenário, os personagens antagônicos, o contexto social etc., são exposto no texto, pois são condicionantes que integram o caminho que levou à formação da classe operária de Itajaí.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BATALHA, Claudio H.M. Cultura associativa no Rio de Janeiro da Primeira República. In: BATALHA, Claudio H.M; SILVA, Fernando Teixeira e FORTES, Alexandre. Culturas de Classe: identidade e diversidade na formação do operariado. Campinas: Editora da Unicamp, 2004.

CRUZ, Maria Cecília Velasco. Tradições negras na formação de um sindicato: Sociedade de Resistência dos Trabalhadores em Trapiche e Café, Rio de Janeiro, 1905-1930. In:Afro-Ásia. Salvador, número 24, 2000.

HOBSBAWM, Eric J. Mundos do trabalho:novos estudos sobre história operária. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

LEUCHTENBERGER, Rafaela. O Lábaro protetor da classe operária: As Associações voluntárias de socorros-mútuos dos trabalhadores em Florianópolis ”“ Santa Catarina (1886-1932). Dissertação de Mestrado em História. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas/UNICAMP. Campinas/SP, 2009.

LINHARES, Juventino. O que a memória guardou. Itajaí: Editora da Univalli, 1997. MARTINS, José de Souza. Subúrbio: vida cotidiana e história no subúrbio da cidade de São Paulo: São Caetano, do fim do império ao fim da República Velha. São Paulo: Hucitec, 2002.

MATTOS, Marcelo Badaró. Escravizados e Livres. Experiências comuns na formação da classe trabalhadora carioca. Rio de Janeiro: Bom Tempo, 2008.

MENDES, Camila Menegardo. Redes de solidariedade, associativismo e liberdade nas associações beneficentes negras do Rio de Janeiro noséculo XIX. In: Anais do XXVIII Simpósio Nacional de História. Florianópolis: ANPUH, 2015.

PATTOS, Maria Helena Souza. Estado, Ciência e política na Primeira República: a desqualificação dos pobres. Estudos Avançados. Vol. 13 nº 35. São Paulo.

ROSA, André Luiz. Operários da bola: um estudo sobre a relação dos trabalhadores com o futebol na cidade de Itajaí (SC), entre as décadas de 1920 a 1950. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Santa Catarina: Florianópolis, 2011.

SILVA, José Bento Rosa da. Nacionalidade e etnicidade no litoral do Atlântico Sul: Foz Do Itajaí ”“ SC (1906). Itajaí: Casa Aberta, 2011.

SILVA, José Bento Rosa da. Do porão ao convés: estivadores de Itajaí entre a memória e a História. Recife: UFPE, 2001. (Tese de Doutoramento, 286 p).

SILVA, José Bento Rosa da; COSTA, Moacir. Negros em Itajaí: da invisibilidade a visibilidade ”“ mais de 150 anos de história. Itajaí: Casa Aberta Editora, 2010.

SILVA JR, Adhemar Lourenço. As Sociedades de socorros mútuos: estratégias privadas e públicas ”“ 1854 ”“ 1940. Tese de Doutoramento PUC ”“ RS. Porto Alegre, 2004.

Downloads

Publicado

2017-10-23

Como Citar

ROSA, A. L. Porto e liberdade: o surgimento das associações operárias em Itajaí (SC) no começo do século XX. Em Tempo de Histórias, [S. l.], n. 30, 2017. DOI: 10.26512/emtempos.v0i30.14726. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/emtempos/article/view/14726. Acesso em: 6 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos