Banco de dados em software livre: uma solução para acesso e recuperação do patrimônio documental

  • Fabiana Fagundes Fontana Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada, Porto Alegre, RS, Brasil
  • André Zanki Cordenonsi Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Sociais e Humanas, Departamento de Documentação, Santa Maria, RS, Brasil
Palavras-chave: Banco de dados., Educação., Recuperação da informação., Software livre.

Resumo

Este trabalho apresenta um estudo sobre a criação de um banco de dados em software livre como solução para acesso e recuperação da informação do programa Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, especificamente a documentação produzida e recebida que está sob custódia da coordenação geral do Pacto pela Universidade Federal de Santa Maria. Para a construção do banco de dados, utilizou-se o software livre BASE disponível tanto na suíte de software Libre Office, quanto no Open Office. O diagnóstico foi realizado por meio da observação direta da situação do acervo analógico e de parte do acervo digital, pois os documentos digitais estavam dispersos e muitos foram perdidos. Para os documentos em suporte papel, foi necessário criar representantes digitais para acessá-los no banco de dados, visando a facilitar o acesso e a recuperação da informação aos usuários. A digitalização foi feita de acordo com as recomendações do Conselho Nacional de Arquivos e com adoção de um vocabulário controlado para nomeação dos arquivos digitais. Foi aplicado um formulário online para o levantamento das necessidades informacionais dos usuários visando a construir um banco de dados que suprisse as suas necessidades informacionais. A partir dos resultados obtidos, foi possível construir um banco de dados em software livre, que reuniu, em um único local, a maior parte dos documentos, relatórios e apresentações elaboradas para as capacitações dos professores alfabetizadores integrantes do Pacto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiana Fagundes Fontana, Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada, Porto Alegre, RS, Brasil

Mestre em Patrimônio Cultural na linha de pesquisa Patrimônio Documental e bacharel em arquivologia pela UFSM. Atuo profissionalmente como Arquivista do Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada CEITEC S.A, entidade vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia, Inovações e Comunicações. Fui professora substituta no curso de graduação em Arquivologia/UFSM ministrando as disciplinas de Paleografia e Introdução à Arquivologia e Tutora a distância da Especialização Gestão em Arquivos na UFSM. Possuo conhecimento em Gestão Arquivística dos documentos, elaborando instrumentos para facilitar e agilizar o acesso e recuperação da informação, adoção e implementação de sistemas eletrônicos para gestão de documentos, e-SIC e Dados Abertos. Tenho experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Arquivologia, atuando principalmente nos seguintes temas: software livre, repositório digital, redes de formação, gestão eletrônica de documentos arquivísticos, preservação digital, computação em nuvem e tecnologias digitais aplicáveis ao ensino-aprendizagem da Arquivologia. Link Lattes: http://lattes.cnpq.br/7861871082965196

André Zanki Cordenonsi, Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Sociais e Humanas, Departamento de Documentação, Santa Maria, RS, Brasil

possui graduação em Informática pela Universidade Federal de Santa Maria (1996), mestrado em Ciências da Computação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2000) e doutorado em Informática na Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2008). Atualmente é professor associado da Universidade Federal de Santa Maria. Atua no Mestrado Profissional em Patrimônio Cultural e no Mestrado Profissional em Tecnologias Educacionais, ambos da UFSM. Link Lattes: http://lattes.cnpq.br/4311327191424332

Referências

ALBERCH, Ramon Fugueras; BOIX, Lurdes; NAVARRO, Natális et al. Archivos Y Cultura: manual de dinamización. Gijón: Ediciones Trea, 2001. 173p.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. 18. Ed. São Paulo: Saraiva, 1998. (Coleção Saraiva Legislação).

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA. O Pacto. Disponível em: <http://pacto.mec.gov.br/o-pacto>. Acesso em 28 set. 2015.

CANDIDO, Carlos. Aprendizagem em Banco de Dados, Implementação de Ferramenta de Modelagem E. R. Disponível em: < http://www.inf.ufsc.br/~r.mello/bdnc/Especializacao-CarlosCandido-FerramentaModelagemER-2005.pdf>. Acesso em 15 out. 2016.

BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Arquivos permanentes: tratamento documental. 4. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006. 320p.

CANDIDO, Carlos. Aprendizagem em banco de dados, Implementação de Ferramenta de Modelagem E.R. Disponível em: < http://www.inf.ufsc.br/~r.mello/bdnc/Especializacao-CarlosCandido-FerramentaModelagemER-2005.pdf>. Acesso em 15 out. 2016.

CASANOVAS, Inés. Gestión de documentos electrónicos. Buenos Aires: Alfagrama, 2008. 256p.

CINTRA, Anna Maria Marques; TÁLAMO, Maria de Fátima G. Moreira; LARA, Marilda Lopes Ginez de; et al. Para entender as linguagens documentárias. 2. ed. São Paulo: Polis, 2002. 96p. (Coleção Palavra-Chave, 4).

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS (Brasil). Câmara Técnica de Documentos Eletrônicos. E-Arq Brasil: Modelo de Requisitos para Sistemas Informatizados de Gestão arquivística de Documentos. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2011. 136p.

CUNHA, Murilo Bastos da; CAVALCANTI, Cordélia Robalinho de Oliveira. Dicionário de biblioteconomia e arquivologia. Brasília, DF: Briquet de Lemos/Livros, 2008.

DEVMEDIA. Chave Primária e Chave Estrangeira. Disponível em: <http://www.devmedia.com.br/sql-aprenda-a-utilizar-a-chave-primaria-e-a-chave-estrangeira/37636>. Acesso em 08 dez. 2016.

DOBEDEI, Vera Lúcia Doyle. Tesauro: linguagem de representação da memória documentária. Niterói: Intertexto; Rio de Janeiro: Interciência, 2002. 120 p.

GRUNBERG, Evelina. Manual de atividades práticas de educação patrimonial. Brasília, DF: IPHAN, 2007. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/uploads/publicacao/EduPat_ManualAtividadesPraticas_m.pdf> Acesso em 11 jan. 2016.

RONDINELLI, Rosely Curi. O documento arquivístico ante a realidade digital: uma revisitação conceitual necessária. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2013. 280 p.

SAYÃO, Luís Fernando; SALES, Luana Farias. Guia de Gestão de Dados de Pesquisa para Bibliotecários e Pesquisadores. Rio de Janeiro: CNEN/IEN, 2015. Disponível em:<http://www.cnen.gov.br/component/content/article?id=160>. Acesso em 10 fev. 2016.

STAIR, Ralph M; REYNOLDS, George W. Princípios de sistemas de informação: uma abordagem gerencial. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2006. 646 p.

Publicado
2018-09-01
Como Citar
Fontana, F., & Cordenonsi, A. (2018). Banco de dados em software livre: uma solução para acesso e recuperação do patrimônio documental. Revista Ibero-Americana De Ciência Da Informação, 12(1), 90-119. https://doi.org/10.26512/rici.v12.n1.2019.12438