Ensino de física por investigação: uma proposta de sequência investigativa para o ensino de calorimetria

Autores

  • Ronilson da Silva Lima Universidade Federal do Acre (UFAC)
  • Jorge Luis López Aguilar Universidade Federal do Acre (UFAC)
  • Bianca Martins Santos Universidade Federal do Acre (UFAC)
  • Isaías Fernandes Gomes Universidade Federal do Acre (UFAC)

DOI:

https://doi.org/10.26512/rpf.v3iEspecial.25892

Palavras-chave:

Ensino de física. Sequência investigativa. Calorimetria.

Resumo

No que tange o ensino de física é um desafio ensinar com virtuosidade essa área de conhecimento do ensino médio. Os docentes precisam encarar a aversão dos alunos concernente a disciplina ou o conteúdo a ser trabalhado, acarretado pela falta de conectividade do assunto à realidade do aprendiz, agregando uma desmotivação e desinteresse suscitado pela imagem que física é difícil e não se aplica no cotidiano. Para tanto, em meio a essa realidade condizente ao ensino-aprendizagem de física, esse trabalho apresenta uma proposta metodológica através de Sequências de Ensino Investigativas ”“ SEI, pois de acordo com Carvalho (2013), além de sistematizarem importantes resultados das pesquisas em ensino de física, trazem algumas referências essenciais para aulas mais interessantes e motivadoras para os discentes e docentes, de tal modo, essa proposta é referente ao conteúdo de calorimetria, onde objetiva-se contribuir para melhoria do referido ensino.

Uma SEI difere de uma sequência tradicional que segue um roteiro predefinido com a qual se pode comprovar ou visualizar determinado conteúdo, pois inicia-se a abordagem do conteúdo a partir de uma situação problematizadora, podendo ser um problema aberto, assim os alunos serão levados a elaborarem estratégias de resolução por meio de levantamento de hipóteses, a raciocinar sobre a relevância e coerência de determinadas variáveis na resolução do problema, justificar suas escolhas e buscar a linguagem cientifica e matemática adequada, além disso, nesse tipo de trabalho o aluno desenvolve autonomia de pensamento. Tais características são análogas ao trabalho cientifico desenvolvido pelos cientistas, onde os discentes podem construir um melhor entendimento em relação a atividade cientifica e sua natureza possibilitando um ensino cujo construção do conhecimento ultrapasse as leis, teorias e fórmulas, tantas remetidas ao ensino tradicional de física. Nesse sentido, sobre as SEIs, Fernandez (2012) indica algumas habilidades que os alunos podem desenvolverem nessas atividades, tais como: observar, descrever, comparar, analisar, discutir, criar hipóteses, teorizar, questionar, argumentar, atuar com procedimentos, avaliar, decidir, concluir, generalizar, divulgar, escrever e dissertar.

Desse modo, esse trabalho apresenta três propostas de atividades investigativas, com o intuito de utilizar a sequência para dinamizar a aula, despertar o interesse dos alunos a partir da participação ativa na aula, descontruir conceitos errôneos sobre o conteúdo e entusiasmar os educandos em construir a própria aprendizagem através da prática investigativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Publicado

2019-07-06

Como Citar

LIMA, R. da S.; AGUILAR, J. L. L.; SANTOS, B. M.; GOMES, I. F. Ensino de física por investigação: uma proposta de sequência investigativa para o ensino de calorimetria. Revista do Professor de Física, [S. l.], v. 3, n. Especial, p. 81–82, 2019. DOI: 10.26512/rpf.v3iEspecial.25892. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rpf/article/view/25892. Acesso em: 1 fev. 2023.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)