Celebração da Puxada do Mastro de São Sebastião (Ilhéus-BA) no contexto da pandemia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/revistacenario.v9i3.36852

Palavras-chave:

Covid-19, Cultura, Turismo, Ilhéus, São Sebastião

Resumo

A pandemia provocada pelo novo coronavírus trouxe impactos extensivos a diferentes setores da sociedade. Discute-se aqui os efeitos e os impactos no âmbito sociocultural provocados pela pandemia à celebração da Puxada do Mastro de São Sebastião que ocorre em Ilhéus (BA). Município pertencente à Costa do Cacau, no mapa de regionalização do turismo da Bahia. A cidade caracteriza-se tanto pelos seus atrativos naturais, extensão litorânea, presença da lavoura cacaueira e da Mata Atlântica quanto pelo conjunto do patrimônio cultural, memórias e permanências de diversos grupos étnicos e pela história associada ao escritor Jorge Amado. Em Olivença, bairro com características distritais, tem-se a secular e emblemática celebração da Puxada do Mastro, reunindo toda a comunidade e atraindo visitantes para participar dos festejos dedicados ao santo mártir, São Sebastião. O desafio atual, concentra-se na tentativa de se preservar a identidade e salvaguardar os ritos da tradição e enfrentar a contaminação com o vírus (Sars-Cov-2) na região. Esta pesquisa faz parte de um conjunto de ações de investigação, empenhadas por lideranças e governanças comunitárias, para subsidiar estratégias de planejamento e construção da celebração. Tem-se, como objetivo identificar e analisar as apreensões e as dúvidas que o contexto coloca à comunidade, destacando a percepção dos moradores sobre os impactos da Covid-19 para a formatação da celebração cultural. Trata-se de uma pesquisa qualitativa de caráter observacional, desenvolvida de maneira remota. Os meios técnicos de investigação utilizados para alcançar o objetivo foram pesquisa netnográfica e aplicação de questionário semiestruturado por meio virtual. Apresenta-se, por fim, nos resultados, os gráficos e dados relativos à percepção de membros da comunidade acerca dos referidos efeitos e as perspectivas simbólicas para realização da celebração no contexto da COVID-19, considerando as condições de realização, os impactos da reformulação, a inserção e aceitação da tecnologia e as reverberações na comunidade e no turismo da região.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Associação Brasileira das Empresas Aéreas. Estatísticas da aviação brasileira. Recuperado em 13 de janeiro de 2021, de https://www.abear.com.br/imprensa/dados-e-fatos/#domestico.

Associação Brasileira da Indústria de Hotéis da Bahia. (2020). Taxa de ocupação de fevereiro é a maior dos últimos oito anos. Recuperado em 03 de junho, 2020, de https://abihbahia.org.br/storage/estatisticas/estatisticas-desempenho-da-hotelaria-de-salvador-em-fevereiro-2020-c6d78b3f1f5fd6318fad444ba45e6b73-2020-03-10.pdf.

Associação Brasileira da Indústria de Hotéis da Bahia. (2020). Diária Média da hotelaria em janeiro mantém tendência de crescimento. Recuperado em 03 de junho, 2020, de https://abihbahia.org.br/storage/estatisticas/estatisticas-desempenho-da-hotelaria-de-salvador-em-janeiro-2020-f8736f2d5e224e8ce6a79e88fa4451ea-2020-02-17.pdf.

Coelho, M. F., Mayer, V. F. (2020). Gestão de serviços pós-covid: o que se pode aprender com o setor de turismo e viagens? Revista Eletrônica Gestão e Sociedade, v.14, n.39, p. 3698-3706.

Costa, E. F. de J. (2013). Da Corrida de Torra ao Poranci: a permanência histórica dos Tupinambá de Olivença no sul da Bahia. (Dissertação de Mestrado) ”“ Centro de Desenvolvimento Sustentável, Universidade de Brasília (Unb).

Couto, E. S. (2001). A Puxada do Mastro: Transformações históricas da festa de São Sebastião em Olivença (Ilhéus-BA). Ilhéus: Editora da Universidade Livre do Mar e da Mata.

Damasceno, A. (2009). Como praticar a netnografia: procedimentos metodológicos. Recuperado em 10 de agosto, 2020, de https://omelhordomarketing.com/como-praticar-a-netnografia-procedimentos-metodologicos/.

Gondim, C. B., Bolzán, R. E., Espínola, R. S., Alexandre, M. L. O. (2020). Netnografia como Método de Pesquisa em Turismo: análise de estudos de Pós-Graduação no Brasil. Revista Turismo em Análise ”“ RTA, v. 31, n. 1, p. 19-36.

Hall, Stuart. (2006). A identidade cultural na pós-modernidade. 11.ed. Rio de Janeiro: DP&A.

Harari, Yuval Noah. (2018). Sapiens: uma breve história da humanidade. (38 ed). Porto Alegre: L&PM.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2010). Censo demográfico: Plataforma Sidra: população residente, por situação do domicilio e sexo. Recuperado em 24 de junho, 2020, de https://sidra.ibge.gov.br/Tabela/608#resultado.

Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas. (2020). Qual a origem desse novo coronavírus?. Recuperado em 27 de julho, 2020, de https://portal.fiocruz.br/pergunta/qual-origem-desse-novo-coronavirus.

Laraia, R. de B. Cultura: um conceito antropológico. (2008). 22.ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.

Madeiro, C. (2020). Coronavírus faz o que nem Zika, nem óleo conseguiram: parar o turismo no NE. Recuperado em 15 de abril, 2020, de https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2020/03/29/coronavirus-faz-o-que-nem-zika-nem-oleo-conseguiram-parar-o-turismo-no-ne.htm?cmpid=copiaecola.

Manuel, Canales Cerón. (2006). Metodologías de investigación social. Santiago: Lom Ediciones.

Oliveira, L. F. M. de e Trigo, L. G. G. (2017). Patrimônio, turismo e desenvolvimento: um estudo sobre a puxada do mastro de São Sebastião em Olivença, Ilhéus, Bahia. CULTUR, ano 11 - nº 03.

Oliveira, L. F. M. de e Trigo, L. G. G. (2018). Puxada do Mastro de São Sebastião em Olivença (Ilhéus-BA): perspectivas de educação não formal no âmbito do patrimônio e do turismo. (Dissertação de Mestrado) ”“ Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (USP).

Organização Mundial do Turismo. (2001). Apuntes de Metodología de la Investigación en Turismo. Madrid: OMT, 2001.

Panosso Netto, A. e Trigo, L. G. G. (2009). Cenários do turismo brasileiro. São Paulo: Aleph.

Prodanova, Cleber Cristiano e Freitas, Ernani Cesar de. (2013). Metodologia do Trabalho Científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. Novo Hamburgo: Feevale.

Ramos, K. V. (2008). Indianidade e turismo: trocas interculturais em Olivença (Ilhéus-BA). Intercom ”“ Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da comunicação. XXXI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Natal, RN.

Ribeiro, Geraldo Magela. (2017). Igreja Nossa Senhora da Escada: Olivença, Ilhéus, Bahia. Itabuna: Mondrongo.

Sanchez Filho, S. E. M; Mesquita Filho, O. P. de. (2009). Puxada do Mastro de São Sebastião: institucionalização de uma festa popular. Faculdade de Comunicação, UFBA, V Enecult ”“ Encontro de Estudos Multidisplinares em Cultura. Salvador, BA.

Schwarcz, Lilia Moritz. (2020). Quando acaba o século XX. São Paulo: Companhia das Letras.

Silva, Suelen de Aguiar. (2015). Desvelando a Netnografia: um guia teórico e prático. Intercom: Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, 38(2), 339-342. Recuperado em 15 de abril, 2020, de https://doi.org/10.1590/1809-58442015217 .

Downloads

Publicado

2021-09-13

Como Citar

Oliveira, L. F. M. de. (2021). Celebração da Puxada do Mastro de São Sebastião (Ilhéus-BA) no contexto da pandemia. Cenário: Revista Interdisciplinar Em Turismo E Território, 9(3), 304–322. https://doi.org/10.26512/revistacenario.v9i3.36852

Edição

Seção

Artigos