Turismo em tempos de covid-19

perguntas fortes, respostas fracas

DOI:

https://doi.org/10.26512/revistacenario.v8i14.32167

Palavras-chave:

Turismo; Capitalismo; Colonialismo; Patriarcalismo; Covid-19.

Resumo

O presente artigo, de teor ensaística, tem como objetivo discutir a pandemia Covid-19 e seus possíveis desdobramentos em relação ao turismo. Parto de Boaventura de Souza Santos, para quem nos defrontamos com perguntas fortes, para as quais serão dadas respostas fracas, quando em tempos de transição. Para minorar a fraqueza das possíveis respostas, me apoio no próprio professor Boaventura, assim como no geógrafo David Harvey e no historiador Eric Hobsbawn. Para análise considero como indicadores <capitalismo>, <colonialismo> e <patriarcalismo>, para expor os imbricamentos do turismo com/nos mesmos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Brito, N. A. de. (1997). La dansarina: a gripe espanhola e o cotidiano na cidade do Rio de Janeiro. História, ciências, saúde-Manguinhos, v. 4, n. 1, p. 11-30. Disponível: https://www.scielo.br/pdf/hcsm/v4n1/v4n1a01.pdf

De Souza Maciel, M. et al. (2012). A história da tuberculose no Brasil: os muitos tons (de cinza) da miséria. Revi Socied Bras Clín Méd, v. 10, n. 3, p. 226-30. Disponível: http://files.bvs.br/upload/S/1679-1010/2012/v10n3/a2886.pdf

Eco, U. (1989). Sobre espelhos e outros ensaios. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1989.

Faraldo, J.M. & Rodriguez-López, C. (2013). Introducción a la história del turismo. Madrid: Alianza Editorial.

Harvey, D. (2020). Os sentidos do mundo – textos essenciais. São Paulo: Boitempo.

Hobsbawn, E. (2009). O novo século. São Paulo: Companhia das Letras.

Joaquim, M. da G. L. da C. (2012). Os viajantes e o turismo: Narrativas, modos de vida e representações sociais. Dissertação (Doutorado em Sociologia). Instituto Universitário de Lisboa. Lisboa, Portugal. Disponível: https://repositorio.iscte-iul.pt/handle/10071/11882

Preciado, P.B. (2018). La izquierda bajo la piel. Um prólogo para Suely Rolnik. In: Suely Rolnik. Esferas da insurreição – notas para uma vida não cafetina. São Paulo: N-1 Edições.

Ronik, S. (2018). Esferas da insurreição – notas para uma vida não cafetina. São Paulo: N-1 Edições.

Salazar, N. B. (2006). Antropología del turismo en países en desarrollo: análisis crítico de las culturas, poderes e identidades generados por el turismo. Tabula rasa, n. 5, p. 99-128. Disponível: https://www.redalyc.org/pdf/396/39600506.pdf

Santos, B. de S. (2020). A pedagogia do vírus. Coimbra: Almedina.

Santos, B. de S. & Meneses, M.P. (2009). Epistemologia do Sul. Coimbra: Almedina.

Selister, M. (2009). Desconstruir saberes machistas e enfrentar relações de poder patriarcal. Desafios feministas em América Latina: la mirada de las jóvenes. Montevideo: Cotidiano Mujer / Articulación Feminista Marcosur, p. 65-73. Disponivel: http://www.dhls.hegoa.ehu.eus/uploads/resources/5099/resource_files/pub_ensayos09.pdf#page=65

Publicado

2020-06-29

Como Citar

Turismo em tempos de covid-19: perguntas fortes, respostas fracas. (2020). Cenário: Revista Interdisciplinar Em Turismo E Território, 8(14), 101 - 109. https://doi.org/10.26512/revistacenario.v8i14.32167

Edição

Seção

Artigos