Movimento Xingu Vivo Para Sempre

luta e resistência contra Belo Monte

Autores

  • Flávia do Amaral Vieira UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

Palavras-chave:

Movimentos sociais. Relações de equivalência. Movimento Xingu Vivo Para Sempre. Belo Monte.

Resumo

Este artigo objetiva analisar como o Movimento Xingu Vivo para Sempre, coletivo de movimentos sociais e ambientalistas que lutam por outro modelo de desenvolvimento para a região Amazônica, o que incluía a não construção de Belo Monte, estabeleceu redes e relações de equivalência entre as demandas com a qual trabalha. Para isso, primeiramente é apresentada brevemente uma revisão bibliográfica sobre o que são os movimentos sociais, partindo para a análise do que Laclau (1983) entendeu por relações de equivalência, e posteriormente sobre a Amazônia e Belo Monte, para assim estudar como a teoria se aplica na prática do Movimento Xingu Vivo Para Sempre. Conclui-se que o movimento define relações de equivalência entre suas lutas pela necessidade de combater um inimigo comum.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávia do Amaral Vieira, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

Referências

ALVES, Juliete Miranda. Hidrelétrica de Belo Monte: a apresentação de um projeto e as representações sociais que circulam em torno do conceito de desenvolvimento. ANPPAS, Florianópolis/SC, 2010. Disponível em: http://anppas.org.br/encontro5/cd/artigos/GT14-323-732-20100903185244.pdf> Acesso em: 13/07/2017.
CASTRO, Geldes de Campos. “A favor de outro desenvolvimento”: o Movimento Xingu Vivo para Sempre, Belo Monte e suas manifestações na World Wide Web. In. Somanlu, ano 12, n. 2, jul./dez. 2012. Págs. 221-242.
COHEN, J. Sociedade civil e globalização: repensando categorias. In. Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, v. 46, n. 3, p. 419-459, 2003.
COSTA, L.M. Comunicação e Meio Ambiente: A análise das campanhas de prevenção a incêndios florestais na Amazônia. Belém: NAEA/UFPA, 2006.
INSTITUTO SOCIOAMBIENTAL. A polêmica da Usina de Belo Monte. Disponível em . Acesso: em 20/12/2013.
_____________________________. Um legado de violações. Disponível em: https://medium.com/@socioambiental/belo-monte-um-legado-de-viola%C3%A7%C3%B5es-43ea35c973b8> Acesso em 13/07/2017.
JUSTIÇA GLOBAL, Organizações e movimentos sociais manifestam repúdio às ações de espionagem realizadas pelo Consórcio Construtor de Belo Monte e pela ABIN ao Movimento Xingu Vivo para Sempre. 23 de fevereiro de 2013. Disponível em: http://www.global.org.br/blog/organizacoes-e-movimentos-sociais-manifestam-repudio-as-acoes-de-espionagem-realizadas-pelo-consorcio-construtor-de-belo-monte-ccbm-e-pela-agencia-brasileira-de-inteligencia-abin-ao-movimento-xing/> Acesso 15/07/2017.
LACLAU, Ernesto. Os novos movimentos sociais e a pluralidade do social. Traduzido do inglês pela Tradutec. In. CEDLA Latin American Studies, n° 29. Disponível em: http://www.anpocs.org.br/portal/publicacoes/rbcs_00_02/rbcs02_04.htm> Acesso em 13/07/2017.
MEDEIROS, Pilar Damião de. O intelectual engagé dos movimentos sociais. In. Sociologia, problemas e prática, n. 73, 2013, pp. 79-92. Acesso: http://sociologiapp.iscte.pt/> Acesso em 13/07/2017.
MIGNOLO, Walter D. Desobediência epistêmica: a opção descolonial e o significado de identidade em política. In. Cadernos de Letras da UFF – Dossiê: Literatura, língua e identidade, no 34, p. 287-324, 2008. Disponível em: www.uff.br/cadernosdeletrasuff/34/traducao.pdf> Acesso em 13/07/2017.
MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. Relatório de inspeção interinstitucional. Disponível em: http://www.prpa.mpf.mp.br/news/2015/arquivos/Relatorio_inspecao_ribeirinhos_Belo_Monte_junho_2015.pdf/> Acesso em 13/07/2017.
MOVIMENTO XINGU VIVO PARA SEMPRE. 15.06:liberando o Xingu. 2012. Disponível em: http://www.xinguvivo.org.br/2012/06/15/xingu-23-15-06-liberando-o-xingu/> Acesso em 13/07/2017.
____________________________________________________________________________. Carta do Movimento Xingu Vivo para Sempre. In: Encontro Xingu Vivo para Sempre divulga documento final. Instituto Socioambiental. 2008. Disponível em . Acesso em 13/07/2017.
________________________________________. Fundo Brasil de Direitos humanos. 2013. Disponível em: http://www.fundodireitoshumanos.org.br/projeto/movimento-xingu-vivo-para-sempre-para/> Acesso em 13/07/2017.
________________________________________. No 50º aniversário do Golpe, ação pede condenação da ABIN e de Belo Monte por espionagem. 1 de abril de 2014. Disponível em: http://www.xinguvivo.org.br/2014/04/01/no-50o-aniversario-do-golpe-acao-pede-condenacao-da-abin-e-de-belo-monte-por-espionagem/> Acesso em 15/07/2017.
PAES LOUREIRO, J. J. Cultura amazônica: uma poética do imaginário. São Paulo: Escrituras, 2003.
PONTE, Zuleide Pamplona Ximenes. Amazônia, projeto desenvolvimentista, dissimulação e barbárie. Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal do Pará, 2010. Disponível em: http://www.ppgcs.ufpa.br/arquivos/teses/teseTurma2005-ZuleidePonte.pdf> Acesso em 13/07/2017.
SILVA, Josiele Sousa da. Movimento Xingu Vivo para Sempre e o Discurso da Contestação contra Belo Monte. Disponível em: Acesso em 13/07/2017.
SCHERER-WARREN, Ilse. Das mobilizações às redes de movimentos sociais. In. Soc. Estado [online], v.21, n.1, p. 109-130, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo. php?script=sci_
arttext&pid=S0102-69922006000100007. Acesso em: 13/07/2017.
___________________. Redes e movimentos sociais projetando o futuro. In. Revista Brasileira de Sociologia. v. 01, n. 01, Jan/Jul. 2013. Acesso: http://www.sbsociologia.com.br/revista/index.php/RBS/article/view/29/9> Acesso em: 13/07/2017.
___________________. Redes e incidência nas políticas públicas: entre as singularidades e as universalidades. In. Fronteiras abertas da América Latina: diálogo na ALAS-Associação Latino-Americana de Sociologia / organizadores: Paulo Henrique Martins, Cibele Rodrigues. – Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2012, p. 219-241. Acesso: http://www.academia.edu/3100788/Ilse_Scherer-Warren_Redes_e_incidencia_nas_politicas_publicas_entre_as_singularidades_e_as_universalidades.> Acesso em: 13/07/2017.
Scherer-Warren, Ilse & Lüchmann, Lígia Helena Hahn. Situando o debate sobre movimentos sociais e sociedade civil no Brasil – Introdução. In. Revista Política e Sociedade. Nº 5 – outubro de 2004. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/politica/article/view/1976 > Acesso em 13/07/2017.

Publicado

2018-11-30

Como Citar

Vieira, F. do A. (2018). Movimento Xingu Vivo Para Sempre: luta e resistência contra Belo Monte. InSURgência: Revista De Direitos E Movimentos Sociais, 3(2), 458-483. Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/insurgencia/article/view/19769