Perto Demais de sua Própria Desaparição: O Povo que Falta e a Farsa da Democracia Estética

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/rfmc.v9i3.42997

Palavras-chave:

Autonomia. Emancipação. Arte Popular. Indústria Cultural, Contra-hegemonia.

Resumo

Trata-se de discutir a natureza da autonomia estética como modelo de emancipação social. Para tanto, há de se partir das dificuldades atuais de consolidação da autonomia estética, sem no entanto deixar de usá-la para criticar formas de conciliação entre arte e vida que parecem perder de vista os problemas resultantes da articulação contemporânea entre cultura e produção capitalista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Vladimir Safatle, Universidade de São Paulo, USP

Professor titular do Departamento de Filosofia da Universidade de São Paulo (USP). Doutor em Filosofia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP.

Referências

ADORNO, T. W. Aesthetische Theorie. Frankfurt: Suhrkamp, 2019.

ADORNO, T. W. Sem diretriz – Parva Aesthetica. São Paulo: Unesp, 2021.

ADORNO, T. W., HORKHEIMER, M. Dialética do Esclarecimento. Tradução de Guido de Almeida. Rio de Janeiro: Zahar, 1991.

AGOSTINHO, L. A linguagem se refletindo, São Paulo: Annablume, 2020.

ARANTES, O. B., ARANTES, P. E. Um ponto cego no projeto moderno de Jürgen Habermas. São Paulo: Brasiliense, 1992.

ARENDT, H. Lectures on Kant political philosophy. Chicago: University of Chicago Press, 1992.

BADIOU, A. Petit manuel d’inesthétique. Paris: Seuil, 1998

BENJAMIN, W. Obras Escolhidas, vol 1 – Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Tradução de Traduzido por Paulo Sérgio Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1987.

BENJAMIN, W. Origens do drama trágico alemão. Trad. de João Barrento. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

BLUMLER, J., KATZ, E. The Uses of Mass Communications: Current Perspectives on Gratifications Research. Cidade de Los Angeles: Sage Publications, 1974.

BOURDIEU, P. Les règles de l’art: génèse et structure du champ littéraire. Paris: Seuil, 1998.

DE BOEVER, A. Against aesthetic exceptionalism. Minneapolis (MN): University of Minnesota Press, 2019.

DELEUZE, G., GUATTARI, F. Mille Plateaux. Paris: De Minuit, 1980.

GEFEN, A. L’idée de littérature – de l’art pour l’art aux écritures d’intervention. Paris: Les Essais, 2021.

HEGEL, G. W. F., HÖLDERLIN F, SCHELLING, F. W. J. von (?). O mais antigo programa do idealismo alemão. Tradução de Joãosinho Beckenkamp. Revista Veritas, vol. 48 , n. 2, 2003, pp. 211-237.

HEIDEGGER, M. Kant e o problema da metafísica. Tradução de Alexandre Franco de Sa, Marco Antonio Casanova. São Paulo: Via Verita, 2019.

FOSTER, H. The return of the real. Cambridge: MIT Press, 1996.

FRÜCHLT, J. “On the use of the aesthetic for a democratic culture: a ten-point appeal”. In: Esthetica: Tijdschrift voor Kunst en Filosofie, 2011. Disponível em [https://estheticatijdschrift.nl/wp-content/uploads/sites/175/2014/09/2-Esthetica-Ontheuseoftheaestheticforademocraticculture-aten-pointappeal-2012-04-24.pdf]: acessado em [25/06/2021].

FRÜCHLT, J. “Entrevista com Josef Früchtl, por Carla Milani Damião”. In Revista Paralaxe, vol. 2, n. 2, 2014, pp. 67-76. Disponível em [https://revistas.pucsp.br/index.php/paralaxe/article/view/31136/21570]: acessado em [25/06/2021].

FRÜCHLT, J., MENKE, C., REBENTISCH, J. “Ästhetische Freiheit: eine Auseinandersetzung”. In: 31 : Das Magazin des Instituts für Theorie, vol. 18/19, 2012, pp 126-235.

KANT, I. Crítica da faculdade do juízo, 2ªed. Tradução de Valerio Rohden, António Marques. São Paulo: Forense, 1995

LÖWY, M. Romantismo e messianismo: ensaios sobre Lukács e Walter Benjamin, 2ª ed. Tradução de Tradução: Myriam Vera Baptista, Magdalena Pizante Baptista. São Paulo: Perspectiva, 2012.

LÖWY, M., SAYRE, R. Revolta e melancolia. Tradução de Nair Fonseca. São Paulo: Boitempo, 2015

LYRA, F. “Improvisation, jazz et dialectique négative”, Tese defendida na Universidade de Lille, 2021.

MOSCO, V. The political economy of communication. Cidade de Los Angeles: Sage Publications, 2009.

MOUFFE, C. Agonistic: thining the world politically. Londres: Verso, 2013.

OWENS, C. “The allegorical Impulse: towards a theory of postmodernism”, In: BRYSON, S. et al. (Eds.) Beyond recognition: representation, power and culture. Berkeley: University of California Press, 1984,

PRADO JUNIOR, B. “Ética e estética: uma versão neo-liberal do juízo de gosto - Em homenagem a José Henrique Santos”, Revista Risco, vol. 5, 2007, pp. 128-134. Disponível em [https://www.revistas.usp.br/risco/article/view/44693/48317]: acessado em [25/06/2021].

SAFATLE, V. Cinismo e falência da crítica. São Paulo: Boitempo, 2008.

SCHILLER, F. A educação estética do homem. Tradução de Roberto Schwarz, Márcio Suzuki. São Paulo: Iluminuras, 2011.

SCHMITT, C. Positionen und Begrif. Berlin: Duncker und Humblot, 1994.

SCHWARZ, R. “Nacional por subtração”. In: SCHWARZ, R. Que horas são? São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

SCHWARZ, R. Martinha versus Lucrécia. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

SHUSTERMAN, R. Pragmatist aesthetics: living beauty, rethinking art, 2ªed. Lanham, MD: Rowman and Littlefield, 2000.

VIRNO, P. A grammar of the multitude. Nova Iorque: Semiotext(e), 2004.

Downloads

Publicado

2021-12-31

Como Citar

SAFATLE, V. Perto Demais de sua Própria Desaparição: O Povo que Falta e a Farsa da Democracia Estética. Revista de Filosofia Moderna e Contemporânea, [S. l.], v. 9, n. 3, p. 43–61, 2021. DOI: 10.26512/rfmc.v9i3.42997. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/fmc/article/view/42997. Acesso em: 3 fev. 2023.